Tem hora para tudo

8:49 | 06/08/09 | Rodrigo Alvares

O timing para o último post do A Nova Corja não poderia ser melhor. Se alguém ainda duvidava do que alertamos aqui desde 2006, é melhor levar em consideração o que os procuradores do Ministério Público Federal aturaram em uma ação de 1,2 mil páginas, feita com base em cerca de 20 mil ligações telefônicas.

A farsa do desgoverno Yeda Crusius está escancarada. Espero que no meio dessa investigação esteja o documento que fez o governo do Estado entrar com uma medida cautelar covarde contra este blog. Yeda e seus amigos apenas vão colher o que plantaram nos últimos anos.

Ah, sim: não sobrou apenas para a desgovernada. O MPF também indiciou Carlos Crusius, os deputados José Otávio Germano, Luiz Fernando Záchia, Frederico Antunes, o ex-secretário Delson Martini, a assessora Walna Vilarins Meneses, o diretor do Banrisul Rubens Bordini e do presidente do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul, João Luiz Vargas. Todos muito assíduos por aqui nos últimos tempos.

Apesar das várias aporrinhações pelas quais passamos, os melhores momentos destes cinco anos vão perseverar.

Agora, enquanto a desgovernadora está awol, é preciso manter a consciência e saber que ela é apenas a ponta dos problemas. Não sei como vai manter sua mansão com as contas bloqueadas, mas isso não é mais problema meu. Por conta de compromissos profissionais, não posso mais manter atualizações como gostaria, e prefiro fechar o blog a fazer um trabalho meia boca.

Espero que o A Nova Corja permaneça como registro da demência que assola não só o governo Yeda, mas a política gaúcha e brasileira. As eleições do ano que vem serão as mais importantes desde 1989, e boa parte da bandalha praticada por eles ultimamente está nos arquivos do blog.

ABRA$$O

E a agenda de amanhã?

22:49 | 05/08/09 | Rodrigo Alvares

Governo emite nota oficial sobre anúncio
de procuradores do Ministério Público (Palácio Piratini)

Em nota oficial emitida nesta quarta-feira (5) à noite, o governo do Estado afirma que o anúncio feito por procuradores do Ministério Público, em entrevista coletiva, do ajuizamento de ação de improbidade administrativa contra vários agentes públicos, deixou estarrecidos todos quantos defendam o estado democrático de direito, que é fundamentado em liberdades, direitos e deveres pelos quais as instituições republicanas devem zelar.

O texto prossegue chamando atenção para o fato de que as pessoas citadas publicamente pelo Ministério Público sequer conhecem a ação a que terão de se defender. No referido anúncio - conforme diz a nota -, são chamados precipitadamente de réus a governadora do Estado, assim como outros cidadãos brasileiros, sem que qualquer ação penal tenha sido ajuizada.

E mais: no entendimento do Supremo Tribunal Federal nem caberia ajuizamento da ação de improbidade administrativa à governadora, agente político que é. Certamente, os membros do Ministério Público Federal não desconhecem esse entendimento e, portanto, excederam-se ao ajuizar uma ação visivelmente inadequada“.

No entendimento do governo do Estado, é inacreditável que cidadãos agentes públicos possam ser atacados por outros agentes públicos sem serem notificados dos fatos que lhe são imputados.

Em nome de todo o governo, Yeda Crusius reafirma que apoia toda e qualquer investigação que siga o rito processual do direito brasileiro. Reitera também sua plena confiança na Justiça e que acompanha com serenidade os acontecimentos. E afirma ainda que aguarda o momento para mostrar a inteira correção dos atos praticados, lamentando o episódio patrocinado por membros do Ministério Público. ‘A recuperação administrativa e financeira do Rio Grande do Sul é a prova da seriedade, honestidade e probidade com que o Estado é gerido’, destaca.”

Não me tirem para Pedro Simon

7:15 | 31/07/09 | Rodrigo Alvares

mad.jpg

Cada vez mais embaçada essa história

12:35 | 30/07/09 | Rodrigo Alvares

“Eu tenho muita vontade de chegar na governadora, olhar nos olhos dela e falar, o Marcelo não está aqui com a gente pelo simples fato de não ter aceito mudar de lado. Isto é uma coisa que me conforta e conforta a minha família. A maior virtude de um homem é o seu caráter, é sua honestidade, é o cara ser íntegro. Infelizmente, o Marcelo foi covardemente apunhalado. São coisas da política suja, da política baixa

“Eu queria desejar força para a governadora e falar que o Marcelo confidenciava para vários amigos dele que ele iria se candidatar a deputado federal pelo PSDB nas próximas eleições e também falar que todos os seus amigos, todos os seus parentes sabem que o Marcelo não se suicidou. Brasília inteira sabe que Marcelo não se suicidou

Marcos Cavalcante no programa Bom Dia (Rádio Guaíba), apresentado por Rogério Mendelski - 29/07

Mais tarde, no Jornal da Record:

Voltaire Porto – O Vice-governador em algum momento foi comentado pelo Marcelo Cavalcante, você tem alguma informação do Paulo Feijó?

Marcos Cavalcante – Paulo Feijó é um cara que surgiu desde o começo do governo com a governadora Yeda e isso também faz com que a gente possa pensar que ele está envolvido também. O Lair e a Magda a gente viu umas contradições das coisas que aconteceram da visita que ele fez no dia. A gente não sabe se ele esteve aqui no dia ou se esteve antes e ele voltou na quarta feira no dia que o Marcelo foi enterrado. E ai a gente tem que investigar isso ai.

Certo que não vai dar em nada

11:16 | 29/07/09 | Rodrigo Alvares

Depoimento de Buchmann deve abrir
nova investigação (Correio do Povo)

Foto: Cristiano Estrela/CP
02cpers9.jpg
Demorô

A Polícia Federal (PF) prepara estratégia para deflagrar o que pode ser denominada a Operação Rodin II. Hoje, o superintendente da Polícia Federal Ildo Gasparetto se reúne, em Santa Maria, com o delegado Gustavo Schneider, que conduziu a investigação da fraude do Detran. Denunciada em 2007, a fraude teria desviado R$ 44 milhões da autarquia, gerando uma CPI na Assembleia e que originou a Operação Rodin na PF.

Foi Schneider também quem tomou o depoimento de quase cinco horas do ex-diretor do Detran Sérgio Buchmann dois dias antes de ele ser demitido pela governadora Yeda Crusius. Buchmann teria feito declarações explosivas sobre a relação de empresas, em especial com a Atento Service, que prestava serviço de guincho para o Detran.

A empresa cobra uma suposta dívida de R$ 16 milhões, reconhecida pelo governo, que teria autorizado o pagamento à época da ex-presidente do Detran Estella Maris Simon, exonerada por se negar a pagá-la.

Gasparetto decidiu ir a Santa Maria após ler o conteúdo do depoimento de Buchmann, degravado de fitas de áudio e vídeo. No município, pretende decidir o destino das revelações do ex-presidente do Detran, também exonerado por supostamente não reconhecer a dívida com a Atento. Gasparetto poderá anexar o conteúdo do depoimento a inquéritos já existentes ou abrir nova operação investigatória.”

Dose F5 de demência - 28/07/2009

17:32 | 28/07/09 | Rodrigo Alvares

BM flagra bateria e carregador de celular com
pombo-correio próximo ao Presídio Central (Zero Hora)

Policiais militares flagraram pouco antes das 13h desta terça-feira um pombo-correio no 4º Regimento de Polícia Montada (RPMON) da Brigada Militar no bairro Partenon, zona leste de Porto Alegre.

A ave caiu no pátio da corporação enquanto transportava um carregador e uma bateria de celular dentro de uma mochila, de acordo com o major João Diniz Prates de Godoy, que responde pelo comando do 4º RPMON:

Foto:André Feltes
6750485.jpg

‘Conseguimos ver que a pomba se dirigia ao Presídio Central.’

De acordo com o major, a força do vento ou o peso do equipamento teria derrubado o pombo, que não apresentava ferimentos graves. Mesmo assim, será encaminhado ao departamento veterinário da Universidade Federal do RS (UFRGS) para observação.

O major Godoy informou que o monitoramento será reforçado no entorno do presídio.”

Vou cobrar royalties do PSOL

17:28 | 27/07/09 | Rodrigo Alvares

“NOTA OFICIAL: PSOL questiona paradeiro da governadora Yeda

O (des)governo gaúcho

O PSOL - Partido Socialismo e Liberdade do Rio Grande do Sul - repudia o sumiço injustificável da governadora Yeda Crusius, que se encontra em lugar incerto e não-sabido, sem que tenha passado o cargo ao vice-governador, Paulo Feijó, como determina a Constituição.

Ainda com as férias do presidente da Assembleia Legislativa, o Executivo gaúcho está acéfalo. O PSOL entende que o povo gaúcho não merece tamanho abandono e questiona o paradeiro da governadora.

Roberto Robaina

Presidente do PSOL/RS

Pedro Ruas

Secretário de Relações Institucionais do PSOL/RS

Discordo. O povo gaúcho merece muito mais demência. O potencial é quase ilimitado.

Update 17h40

Yeda está no Palácio Piratini (André Machado/ZH)

A governadora Yeda Crusius está despachando neste momento no Palácio Piratini. A agenda também não é confirmada pela assessoria, mas envolveria a conversa com secretários. O destino, por enquanto não é o Palácio das Hortênsias.

A informação pode ser que acalme o ânimo do PSOL que protestou pelo fato da governadora Yeda Crusius não ter transmitido o cargo ao vice-governador Paulo Feijó nestes dias em que está fora do Palácio Piratini.”

Por que não Germano Rigotto?

15:56 | 27/07/09 | Rodrigo Alvares

O senador Pedro Simon (PMDB/RS) perdeu uma ótima chance de fazer novamente o próximo desgovernador do Bovinão nesta entrevista concedida ao jornal Zero Hora. Germano Rigotto está por aí dando mole e traria mais, digamos, doçura no trato do governo com a população.

rigorrto5.jpg
“Venha comigo se quiser sobreviver, Yeda. Vai ficar tudo bem”

Zero Hora – Há a expectativa de que a governadora Yeda Crusius negocie com o PMDB a saída do titular da Habitação, Marco Alba. Qual é a sua posição?

Pedro Simon – Não sei de nada. Teremos candidato próprio ao governo do Estado. Então, mais cedo ou mais tarde iremos nos afastar do governo. O interessante é a governadora compor o governo com gente ligada a ela e que fique até o final da gestão.

ZH – Como Yeda planeja uma reforma no secretariado, é o momento de Alba sair?

Simon – Esse é um problema dela. Se Alba sair, defendo a tese de que não devemos indicar substituto. Devemos sair e pronto. Todos os integrantes do PMDB que ela quiser tirar, está no direito de tirar. Ela sabe que nós queremos sair numa boa. Somos contrários a complicar e dificultar o governo. Seremos um aliado permanente em favor da governadora para que governe bem o Rio Grande.

ZH – O PMDB pretende conduzir essa substituição?

Simon – Não. Preferimos não indicar substituto.”

Quem melhor do que Germano Rigotto para entrar nesse governo e deixar a desgovernadora ainda mais refém do PMDB para as eleições - tática também vista no Senado. José Serra (PSDB/SP) não se fez de bobo e nomeou Geraldo Alckmin secretário estadual de Desenvolvimento, por exemplo.

Mas o Chuchu lidera as pesquisas para o governo bandeirante - o que não quer dizer nada, eu sei -, ao contrário de Yeda e Rigotto. Coloquem o ex-governador na vaga de Alba ou até de secretário da Casa Civil que todos os problemas e miguelices produzidas no Palácio Piratini desaparecerão.

Afinal, eles nunca existiram no governo do Guri Chorão.

Cadê Bubu para negociar?

20:02 | 26/07/09 | Rodrigo Alvares

Yes… (Painel/ FSP para assinantes)

Fracassaram as conversas da equipe de Luiz González, marqueteiro do PSDB, com a Blue State Digital, que estruturou a bem-sucedida campanha de marketing digital e telefônico de Barack Obama na internet.

…we can!

Com isso, sobra no jogo para tentar fechar com os magos da internet para 2010 o estafe de Dilma Rousseff, que teve novas e animadoras conversas com a empresa nos EUA nas últimas semanas. Em agosto, o chefão da Blue State, Ben Self, desembarca no Brasil para as tratativas finais.”

Deviam ter chamado o Voluntário para negociar com Self.

Fui dar uma volta para catar a piedade alheia

12:12 | 24/07/09 | Rodrigo Alvares

Foto: Cris Castello Branco / Governo do Estado de SP
6728906.jpg
Vocês também avisam os nóia da Crackolândia antes de serem presos?”

Toca para o aeroporto

18:25 | 23/07/09 | Rodrigo Alvares

Mulher de Sarney cai e deve passar por cirurgia em SP (Folha)

A mulher do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), Marly Sarney, sofreu um acidente na manhã desta quinta-feira e deve ser transferida na noite de hoje para o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Dona Marly, 77, deve passar por uma cirurgia, já que fraturou três costelas e também sofreu quatro fraturas na região do ombro. O presidente do Senado deve acompanhar a mulher durante todo o tratamento em São Paulo.

Segundo a assessoria do presidente do Senado, dona Marly teria tropeçado em um tapete e sofrido uma queda.

Os assessores não souberam informar se o acidente ocorreu na Ilha de Curupu, onde Sarney passa férias com a família, ou na residência deles em São Luís, no Maranhão. Mas disse que o presidente do Senado está muito abalado com o ocorrido e preocupado por causa da idade de sua mulher.”

De acordo com a Infraero, dois voos procedentes de São Luís devem aterrissar no aeroporto de Guarulhos por volta das 2h30 de amanhã. Sorte da dona Marly que o senador não é uma pessoa comum e já deve estar em algum jatinho.

Imprensa gaúcha tem um Watergate nas mãos

11:43 | 23/07/09 | Rodrigo Alvares

A história é conhecida e chega a ser um fetiche para os jornalistas, mas quem fizer um paralelo dela com o desgoverno Yeda Crusius (PSDB/RS) vai perceber que a única diferença é que os pilantras de Richard Nixon foram julgados e condenados em dois anos.

nixonfist.jpg

“Henry Kissinger es-tá mor-to, OK? Acabou a coletiva”

As semelhanças são tantas que até os destemperos de Yeda contra seus ex-aliados, a oposição e a Mídia Má encontram-se com as reclamações que Nixon fez quando era presidente, mas tentou remendar em sua autobiografia, “Na arena”, recomendado para a desgovernadora ler enquanto está de férias.

Abaixo, um trecho do mea culpa do ex-presidente americano com a imprensa:

“Sou o primeiro a reconhecer que os políticos poderiam melhorar suas relações com a imprensa. Acima de tudo, eles deveriam tratar os profissionais da mídia com respeito. Eles têm uma tarefa a cumprir. Você deve tratá-los com respeito. Eles têm uma tarefa a cumprir. Você deve ajudá-los a fazer seu trabalho, desde que eles não lhe preguem nenhuma peça

Se até Nixon admitiu isso, não custa muito Yeda revisar tudo e impedir episódios constrangedores como estes, publicados na Zero Hora de hoje:

“Segundo um secretário com acesso à governadora, Lied estava constrangido e quase chorou ao se reunir com Yeda na segunda-feira. (…)

Não consigo compreender por que saiu só Buchmann. Todos os envolvidos no episódio deviam ter sido afastados juntos. Por que esperar? O nosso governo é muito lerdo‘, desabafou um homem de confiança de Yeda. (…)

‘Não foi apenas uma pessoa que criou confusão. Por que pinçar um envolvido (Buchmann), justamente o que está em conflito com o Palácio, e tirá-lo do governo‘, afirmou um dirigente do PMDB.”

Richard Nixon se ferrou por causa da trupe do Monthy Python que o cercava. Yeda Crusius mal consegue controlar seus Três Patetas.

Cuidado, demência farroupilha adiante

18:54 | 22/07/09 | Rodrigo Alvares

Apesar de constar na agenda, a desgovernadora Yeda Crusius (PSDB/RS) deu bolo no acendimento da Chama Crioula. Os brigadianos deviam estar em poucos números para ela não comparecer e ouvir esta coisa linda.

Avante, não retrocedam
Porque a luta tem suas manhas
E só quem tem ideais
Pode contar suas façanhas

E só quem tem ideais
Pode contar suas façanhas

Depois da ponte da Azenha
O grito de liberdade
A República Rio-Grandense
Era uma realidade

Piratini, capital
Dos sonhos, da igualdade
E tremula, tricolor
Com sonhos de humanidade

Avante, não retrocedam
Porque a luta tem suas manhas
E só quem tem ideais
Pode contar suas façanhas

Depois da prisão em Fanfa
Levado ao Rio e à Bahia
Bento fugiu pelo mar
Com ajuda da confraria

Barco vermelho em Rio Pardo
Estratégia e valentia
E os acordes da vitória
O nosso hino nascia

Avante, não retrocedam
Porque a luta tem suas manhas
E só quem tem ideais
Pode contar suas façanhas

A epopéia dos manchões
Que Garibaldi empreendeu
Com dois e coragem
O adverso venceu

Na invasão de Laguna
Anita ele conheceu
E desta união de ideais
Um mundo nunca esqueceu

Na carta de Alegrete
De ideias, houve guerra
Mas também ficou provado
que quem acerta não erra

Na paz de Ponche verde
A revolução se encerra
Mas escreveram façanhas
Molduras para toda a terra

Para proteger o laquê, use 200 brigadianos

12:33 | 22/07/09 | Rodrigo Alvares

Brigada montou megaoperação para
proteger Yeda (Correio do Povo)

Menos de uma semana após o protesto em frente à casa da governadora Yeda Crusius, a Brigada Militar montou uma megaoperação no Centro da Capital para evitar possíveis manifestações de sindicalistas. Duas horas antes da chegada de Yeda, que havia confirmado presença em uma solenidade na Universidade Estadual do RS, 200 policiais fizeram um cordão de isolamento para garantir sua proteção.

Foto: Paulo Nunes
02brigad.jpg
“É uma escola de lata aí dentro, magrão?

Pessoas que passavam pelas imediações da Farrapos, Barros Cassal e Alberto Bins foram abordadas pela polícia. ‘Todas as pessoas que estivessem com algum volume saliente, como mochilas ou pacotes, foram revistadas’, admitiu o comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Leonel da Rocha Andrade.

A corporação atuou juntamente com dois pelotões do Batalhão de Operações Especiais (Boe), agentes do 11º BPM e da 4ª Companhia do 9º BPM. ‘Essa mobilização é para evitar incidentes que venham a denegrir ou muitas vezes tumultuar a comunidade’, completou Andrade.

O forte aparato de segurança chamou a atenção dos moradores, acostumados com o reduzido número de efetivo na área. O subcomandante-geral da BM, coronel Lauro Binsfeld, negou falta de policiamento e enfatizou que a segurança de Yeda será reforçada.

‘Temos que dar um basta ao movimentos radicais. A Brigada Militar não irá mais tolerar ações de falta de respeito‘, apontou Binsfeld, em referência ao ato do Cpers, na semana passada. O subcomandante afirmou que, a partir de agora, a mesma operação será repetida em todos os atos de governo.”

Melhor questionar de quem vem a falta de respeito no Rio Grande do Sul. Ainda bem que Yeda vai tirar uma semana de férias enquanto os prefeitos imploram ajuda em relação à gripe suína e assim evitar aglomerações no ambiente hermeticamente fechado que é o seu gabinete.

O recesso parlamentar funcionou mesmo

11:50 | 22/07/09 | Rodrigo Alvares

“Ai, pai, tô adorando meu telefone”

- Maria Beatriz Sarney, filha de Fernando Sarney e neta de José Sarney

Gravação liga Sarney a atos secretos (Estadão)

Uma sequencia de diálogos gravados pela Polícia Federal com autorização judicial, durante a Operação Boi Barrica, revela a prática de nepotismo explícito pela família Sarney no Senado e amarra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), ao ex-diretor-geral Agaciel Maia na prestação de favores concedidos por meio de atos secretos.

Em uma das conversas, o empresário Fernando Sarney, filho do parlamentar, diz à filha, Maria Beatriz Sarney, que mandou Agaciel reservar uma vaga para o namorado dela, Henrique Dias Bernardes.

Ouça os diálogos que ligam Sarney a atos secretos e a favores de Agaciel. Abaixo, trecho da conversa que deixa Sarney com as calças na mão:

Sarney - Alô?

FS - Benção, pai.

Sarney - Deus lhe abençõe. Olha, você não tinha me falado o negócio da Bia…

FS - Não, Não, ela falou comigo ontem.

Sarney - Mas ele (Bernardo, o irmão de Bia que deixaria o Senado) entrou logo com um pedido de demissão. Agora, pra…(é interrompido por Fernando)

FS - Eu falei com o Agaciel.

Sarney - Já falou com o Agaciel?

FS - Eu falei, falei.

Sarney - Tá.

FS - Pedi pro Agaciel segurar com ele. Agaciel tá com os dois currículos (do Bernardo e do Henrique) na mão dele, tá com tudo lá.

Sarney - Tá bom, eu vou falar com ele.

FS - Eu preveni. É só isso aí. É isso que eu queria. Que tu desse uma palavrinha com ele (Agaciel). Ele já tá sabendo, tá? Eu já…Se tu der resolve.”