Arquivo para a categoria ‘Uncategorized’

Yo! MTV Raps

17:40 | 17/07/09 | Jones Rossi

yeda.jpg

“Vida loka, mano”

Policial é expulso por causa de desinfetante

8:40 | 06/02/09 | Jones Rossi

Cabo levou para casa o produto. Devolveu intacto, mas foi expulso quatro anos depois

Um desinfetante de 500 ml, que custa menos de R$ 2 em qualquer supermercado, fez o cabo Gildásio Silva dos Santos, de 36 anos, ser expulso da Polícia Militar. No dia 13 de fevereiro de 2004, quando  era do serviço de administração do 23º Batalhão da PM, Santos levou um frasco do desinfetante Pinho Brill, pertencente ao Estado, para casa. Foi denunciado por duas policiais militares e transferido para o 36º Batalhão. Depois de um processo de quatro anos, em julho passado Santos foi expulso pelo comando da Polícia Militar de São Paulo  “pelo cometimento de atos desonrosos, atentatórios à Instituição e incompatíveis com a função policial-militar”, conforme foi informado no Diário Oficial do Estado, do dia 25 de agosto de 2008*.

No primeiro interrogatório, o cabo Santos se declarou inocente e disse que o desinfetante foi dado a ele pelo ex-soldado temporário Kléber Ferreira. Mesmo tendo devolvido o produto intacto depois que a história veio à tona e ter sido considerado apto a continuar na Polícia pelo Conselho de Disciplina, que optou por uma “sanção não exclusória” , a PM não levou nada disso em conta.

“Houve uma remessa de material para a unidade e eu estava ajudando a descarregar. O desinfetante foi dado a título de doação, como já tinha acontecido antes e com objetos de valores até maiores. Eu peguei o produto, na frente de todo mundo, e levei para a administração. Nem estava precisando, tanto que depois devolvi sem uso”, contou Gildásio. Depois da denúncia das policiais, o comandante do Batalhão no qual Silva trabalhava pediu a devolução do produto e foi atendido no dia seguinte.

No Boletim Geral da Polícia Militar, publicado quatro dias após a portaria no Diário Oficial, o texto diz que “sua experiência profissional na Instituição não lhe permitia cometer erro tão banal”. Em 2004, Santos contabilizava cerca de 12 anos como policial. A Corregedoria também questionou o fato de Santos não ter questionado por que a “doação” estava lhe sendo feita e “como o produto havia chegado a suas mãos (do ex-soldado).” Para a Corregedoria, o cabo “agiu de má-fé” e “ludibriou” a administração militar. No boletim também consta a informação de que “houve a doação de alguns produtos aos policiais militares da sub-unidade a que pertencia o acusado”.

O baixo valor do produto não serviu como argumento. “Não importa se o valor do produto era ínfimo ou não”, diz o texto do processo, “o que está em discussão é a probidade, a legalidade, a moralidade e a honra policial-militar, valores estes que não têm preço”, continua. Por fim, foi definida a expulsão de Gildásio Silva dos Santos, por “incompatibilidade com a função policial-militar”, pelo “atentado contra a Instituição, que alcançou a seara da desonra” e “pelo acusado não ter justificado a transgressão disciplinar cometida.”

A advogada que defende Gildásio, Luciana Tales dos Santos, disse que o ex-cabo, que atualmente trabalha como segurança, deve entrar na Justiça para voltar ser reintegrado à PM. “Embora a gente respeite a decisão da Polícia, certos procedimentos constitucionais e outros que estão inclusive no Regulamento Disciplinar da Polícia Militar não foram adotados. Existem atenuantes que não foram levados em conta.”

Procurada pela reportagem para comentar o caso, a Polícia Militar informou que o cabo foi expulso por ter se comprovado “a prática de atos que contrariam os valores e deveres éticos para o exercício da profissão policial-militar.” Kléber, o temporário que deu o desinfetante para o cabo Gildásio, pediu demissão pouco tempo depois do inquérito da polícia.

GILDÁSIO FALA

- O que aconteceu no dia 13 de fevereiro de 2004?

Houve uma remessa de material para a unidade. Seria a título de doação, como aconteceu antes, algumas até de valor mais alto, como lâmpadas fluorescentes. O temporário Kléber (Ferreira) me deu um desinfetante. Peguei, levei até a administração e deixei lá, e depois levei para casa.

- Como o desaparecimento do desinfetante veio à tona?

Duas policiais me denunciaram. O Comandante me chamou quase um mês depois. Eu nem estava precisando. Devolvi o produto intacto, no dia seguinte depois dele me pedir.

- O que aconteceu depois?

Ele instaurou uma investigação preliminar e depois me transferiu para outra unidade. (Gildásio foi para o 36 Batalhão)

- O que você está fazendo agora?

Uns bicos como segurança.

- Quer voltar para a polícia?

Claro, com certeza. Quando eu comecei não existia SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), a PM fazia de tudo. Atendia parturientes, atropelamentos, mendigos. Meu interesse não é dinheiro. Quando entrei, a gente ganhava 10 salários mínimos, hoje ganha quatro.

*Matéria publicada em novembro de 2008 no Jornal da Tarde (SP)

Democracia à brasileira

19:11 | 10/02/07 | A Nova Corja

“Um país onde é possível um metalúrgico chegar à Presidência, um petroquímico chegar ao governo da Bahia, um advogadozinho ainda meio chumbrega chegar a governador de Sergipe, um bancário chegar a governador do Piauí e uma mulher com a perna quebrada (Ana Júlia) chegar ao governo do Pará só pode ser uma democracia.”

Luíz Inácio Lula da Silva, Presidente da República, 10 de fevereiro de 2007.

Agradeça ao Otávio Germano, Yeda

0:19 | 04/12/06 | Marcelo Träsel

Roubaram o carro da governadora eleita. Um amigo de Yeda Crusius estava fazendo um test-drive ontem à noite, quando foi rendido por dois homens. O Passat vermelho foi encontrado agora há pouco na Cidade Baixa, conforme a RBS TV.

A polícia resolveu tratar a governadora eleita melhor do que faz com o resto dos contribuintes:

Crimes semelhantes costumam ficar sob responsabilidade das delegacias distritais, no caso, a 10ª DP. Mas foi acionado o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV).

Rigotto também viu a violência passar perto de si, quando um segurança seu matou um ladrão. Nada mudou na política de Segurança do Palácio Piratini, tocada de forma incompetente por Otávio Germano. Quem sabe com isso a Yeda pensa bem antes de chamar qualquer bunda-mole para a secretaria.

Le plus ce change…

15:59 | 02/11/06 | Marcelo Träsel

O Jornal Já fez um resumo do plano de governo de Yeda Crusius, com os pontos mais relevantes. A proposta que se tem para a segurança pública, tratada de forma totalmente incompetente pelo secretário Otávio Germano durante os quatro anos de Rigotto, é a seguinte:

Desvincular a Justiça da Segurança Pública, transformando-as em duas secretarias, dando mais autonomia administrativa às instituições policiais. Caberá à Secretaria de Segurança: formular políticas públicas para a área e coordenar a implantação, integrar o trabalho policial e dos demais órgãos vinculados à Secretaria e articulá-lo com as ações das outras áreas do governo, em particular, das áreas sociais, prevenindo a criminalidade.

Ou seja, não será nesse governo que veremos sequer um primeiro passo para a resolução do problema. Esse fetiche de dividir secretarias é só isso: um fetiche. Satisfaz psicologicamente a opinião pública, mas não serve para nada. Como a principal plataforma da governadora eleita é a “modernização da gestão pública” — isto é, cortar gastos —, não é bom esperar em pé que ela contrate mais policiais e destine mais dinheiro a ninharias como comprar munição e gasolina.

Manuela compromete casamentos de prefeitos

12:18 | 18/10/06 | Gabriel Brust

A vereadora de Porto Alegre e deputada federal eleita Manuela D’Ávila (PCdoB) não acredita que sua votação expressiva (a candidata mais votada no primeiro turno) tenha algo a ver com o fato de ser atraente (pelo menos se comparada ao padrão das mulheres na política brasileira), mas os fatos mostram que teve. No segundo turno, ela está sendo utilizada pela Frente Popular para tentar alavancar a candidatura de Olívio. Em todos os eventos de apoio ao candidato, Manu está lá. O que já começa a causar desconforto, pelo menos entre algumas esposas de prefeitos do interior do Estado. Em sua coluna de ontem em Zero Hora, Rosane de Oliveira registrou o assédio de alguns prefeitos sobre Manuela em um encontro que selava o apoio de centenas de administradores municipais à candidatura da Frente Popular. A repercussão nos municípios não foi boa. Na coluna de hoje, Rosane afirma que várias primeiras-damas, especialmente da região do Alto Uruguai, se sentiram incomodadas. Uma delas, que não quis se identificar, diz que foi motivo de chacota em sua cidade, por conta do suposto assédio de seu marido à deputada eleita. É bom Manuela começar a pensar em políticas de apoio à região do Alto Uruguai para serem aplicadas durante o seu mandato em Brasília.

É ferro na boneca

10:32 | 01/06/06 | Rodrigo Alvares

O deputado federal Alberto Fraga (PFL/DF) manda um requerimento ao Congresso para avivar a memória das pessoas em tempos de PCC. Fraga pede que Márcio Thomaz Bastos explique aonde está a munição da Campanha do Desarmamento. “Se o Ministério da Justiça diz que arrecadou 500 mil armas, o que foi feito das munições? Qual a quantidade arrecadada? Qual o destino de munições ou de que forma foram utilizadas?”.

(more…)

Mate o legislador de sua preferência

9:35 | 05/05/06 | Walter Valdevino

Um dos projetos d’A Nova Corja para este ano é fazer um levantamento de algumas das demências morais de nossos políticos: projetos absurdos, declarações sem nenhum sentido, falcatruas etc. Faço, portanto, minha contribuição antecipada para 2010.

Meu LEGISLADOR DEMENTE MORAL de hoje é o senador Paulo Paim (PT-RS).

Cansei de escutar por aí “eu voto no Paim porque, ele sim, é um político decente”. Paim parece ter entrado naquela categoria de políticos na qual também se encontra o senador Eduardo Suplicy (PT-SP): é o queridinho dos paulistas, mas não consegue articular sequer uma frase completa (até seu filho, Supla, é mais inteligente do que o pai).

Pois bem, a demência moral de Paim ficou evidente nesta terça-feira, quando o Senado aprovou um projeto de lei, de sua autoria, que obriga todas as universidades particulares do país a conceder bolsas a 15% de seus alunos. De acordo com o projeto, os 5% dos estudantes com menor renda terão 80% de desconto nas mensalidades; os outros 10% terão redução de 50%. Os alunos beneficiados não poderão possuir renda familiar per capita acima de um salário mínimo e meio (R$ 525).

(more…)

E o meu pai é detetive

16:26 | 01/05/06 | Renato Parada

Deu hoje, na Rosane de Oliveira: “o vocalista da banda Comunidade NIn-Jitsu, Mano Changes, é uma das apostas do PP para a Assembléia.”

Será o candidato dos detetives, dos despachantes e das patricinhas do Estado.

Teu país preferido, Walter

12:48 | 24/01/06 | Renato Parada

Falta de banheiro faz trabalhadores usarem fralda na China

Trabalhadores camponeses do sul da China que tentam voltar para casa para as comemorações do Ano Novo Lunar estão sendo obrigados a usar fraldas durante as viagens. A grande concentração de passageiros e a lotação extrema dos trens têm tornado impossível o acesso aos banheiros.

(more…)

MONDO CHAUÍ

21:18 | 22/01/06 | Carlos Bencke

PT dirá a fórum é vítima de golpismo de mídia e oposição (sic)

Panfleto que será distribuído por partido cobra investigações de caixa dois de Serra em 2002

(more…)

Ui, mas que potência

15:21 | 20/01/06 | Carlos Bencke

China tem primeira tradução sem cortes do livro “Lolita”

Se tem uma coisa que me irrita EXTREMAMENTE é quando alguém vem dizer “mas a China está crescendo nãoseiquantosporcentoaoano.”

A CHINA É UM LIXO.

Poderia estar crescendo 700% ao ano. Continuaria sendo um país de merda. Um governo que acha que vai conseguir controlar a MIGUELICE HUMANA só pode ser um fracasso.

Se a China ultrapassar os EUA economica e politicamente daqui a alguns anos, aí sim estamos todos ferrados.

E S T U D O

1:55 | 20/01/06 | Carlos Bencke

O quadro reverte novamente para os tucanos com o outro presidenciável do PMDB, o governador Rigotto. Ele perde em simulações com Alckmin e Serra. No primeiro caso, Lula obtém 41% dos votos, Alckmin, 18%, Heloísa Helena, 10% e Rigotto, 3%.

No segundo, Lula tem 38% das intenções de voto, seguido por Serra, com 32%. A senadora do PSOL tem 8% dos votos. Rigotto aparece empatado com o senador Cristovam Buarque, com 2% das intenções de voto. (Folha)

Rigotto provocando surtos

16:21 | 19/01/06 | Carlos Bencke

O presidente do Senado, Renan Calheiros, chamou hoje o líder do PMDB no Senado, Ney Suassuna (PB), à mesa diretora, de onde presidia a sessão, para uma conversa rápida sobre sucessão presidencial. “Se é para ter candidato próprio do PMDB, então vou eu“, afirmou Renan a Suassuna, admitindo a possibilidade de colocar também seu nome à disposição do partido para ser indicado candidato à Presidência da República. [estado.com.br]

Não dormi nada bem esta noite

15:10 | 19/01/06 | Carlos Bencke

Tive um pesadelo.

Rigotto continua conseguindo apoio dentro do PMDB e vence as prévias.

O PSDB faz a cagada de escolher Serra como candidato. Serra vira Tarso e se queima por ter mentido que não deixaria a prefeitura 1 ano e pouco depois de assumir.

O PT, sem dinheiro e sem moral, não consegue dar conta da campanha de Lula, que não vai para o segundo turno.

Serra e Rigotto vão para o segundo turno.

Rigotto é eleito Presidente do Brasil.