A única solução é abandonar os carros

1:07 | 19/05/08 | Marcelo Träsel

A Zero Hora deste domingo traz uma matéria especial sobre a iminente paralisação do trânsito de Porto Alegre. Os habitantes da capital gaúcha apresentam uma forte tendência a choramingar sobre “congestionamentos” de 15 minutos nos horários de pico. Pela quantidade de matérias publicadas ultimamente, a classe média perversa e branca deve andar muito contrariada por ter de dividir as ruas com a maior quantidade de veículos nas ruas, devido aos pobretões que financiam suas fubicas em 20 anos sem juros.

Essa matéria de Zero Hora é até razoável, exceto que só enxerga medidas paliativas de curto prazo. O trânsito nas capitais não tem salvação enquanto as pessoas insistirem em usar carro particular. É uma impossibilidade física conjugar crescimento econômico - isto é, mais carros - e ruas livres. Nem que construam minhocões de três andares ou 20 linhas de metrô. Quem não tem paciência para encarar o trânsito lento nos horários de entrada e saída do trabalho tem de se mudar para o interior. Os que ficam e moram na área central deveriam considerar seriamente abandonar o carro particular e exigir um melhor transporte público. Se o governo vai tomar alguma atitude, que seja desestimular o uso de veículos particulares em dias de trabalho.

Na verdade, usar transporte público é muito mais racional, economicamente falando. Claro, ninguém aqui vai negar que carros são divertidos, convenientes, confortáveis, bonitos e agradam às mulheres. Porém, custam caro. Muito caro. Usar táxi para realizar todas as suas atividades diárias pode compensar mais do que ter um carro, se você mora perto do centro. Considere o seguinte: uma viagem em bandeira 1 do centro da cidade até a Terceira Perimetral não costuma passar de R$ 15. Se você mora nesse círculo e for e voltar ao trabalho de carro todos os dias, gastará R$ 750 por mês, em média. Muito menos do que o valor de uma prestação de automóvel (60 vezes de R$ 487 para um Uno Mille 1.0 bagaceiro na Caixa Federal), mais gasolina, estacionamento, impostos, seguro e os inevitáveis consertos.

Mas só gastará isso se for muito fresco para pegar ônibus. O transporte público de Porto Alegre é na verdade muito bom, ainda mais na região compreendida entre a Terceira Perimetral, a Assis Brasil e a avenida Ipiranga. Se for e voltar de ônibus ou lotação ao trabalho e deixar o táxi para sair à noite, vai gastar no máximo o mesmo valor da prestação de um carro e de lambuja poderá usar o dinheiro da gasolina, impostos, estacionamentos e consertos para tomar cerveja. E ainda vai parar de dirigir alcoolizado.

Fazendo uma análise meio capenga dos dados do Observatório de Porto Alegre, conclui-se que entre 20 e 25% da população reside nos bairros na região definida acima. Se a maior parte dessa gente usar menos o automóvel particular e mais o transporte público, teremos um bom alívio no trânsito. Sobretudo quando se leva em conta que os moradores desses bairros são os mais ricos da capital e, conseqüentemente, a concentração de carros deve ser maior. Se a Prefeitura criasse linhas expressas de transporte coletivo vindas dos bairros mais distantes, talvez até alguns dos habitantes dessas regiões aderisse ao abandono dos carros.

É claro que carros são muito bons para fazer viagens ou passeios de fim de semana, ou para carregar muitas compras do supermercado. Ou ainda para sair à noite. Algumas pessoas podem se dar o luxo de ter veículos só para isso, mas para a maioria seria um investimento muito pesado em relação ao retorno. Uma solução pode ser o aluguel de carros e os sistemas de entregas de lojas e supermercados. Se uma boa parcela da população começasse a consumir esses serviços, as leis do mercado ditam que eles se tornariam mais eficientes e baratos. O aluguel de carros, principalmente, deveria ser mais simplificado.

Outra solução ainda seria ter automóveis familiares. Por exemplo, eu tenho minha mãe, irmão, avó e quatro tias morando em Porto Alegre. Será que a família não poderia se cootizar e ter apenas dois ou três carros disponíveis para realizar passeios e compras? Talvez até mesmo vizinhos e colegas de trabalho pudessem ter carros em sistema de time-share.

Finalmente, existe uma enorme vantagem em não se andar de carro: a segurança. Em conversas com amigos e colegas, todos têm concordado que ultimamente é muito mais perigoso circular em automóveis do que no transporte coletivo ou a pé. Basta ler os jornais. Por outro lado, nunca ouvi falar de alguém ser assaltado ao chegar em casa de táxi. Deve haver casos, mas são raros. Na pior das hipóteses, quem terá o veículo roubado é o taxista, não o passageiro.

Essas propostas, é claro, colidem frontalmente com a maioria dos valores de nossa sociedade, começando com o individualismo ocidental, a “liberdade de ir e vir” e o direito à propriedade até o status conferido pelo fato de o sujeito poder não apenas comprar, mas sustentar um automóvel. Não admira que não apareçam muito nas rodas de chimarrão e, conseqüentemente, nos jornais. Que dirá nos governos: certamente não saberiam bem como chegar em um sujeito que após 20 anos de trabalho duro pode finalmente pagar a prestação de um Uno Mille e pedir para ele desistir desse sonho.

Tags: , , , ,

Postado por Marcelo Träsel, 1:07, 19/05/08, na(s) categoria(s) Gaúcho é melhor em tudo, Povo Bovino. Você pode acompanhar os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Deixe um comentário ou coloque um trackback em seu site.

56 comentários para “A única solução é abandonar os carros”

  1. Walter Valdevino diz:

    Não há solução NUNCA JAMAIS.

    Paris, por exemplo, tem um dos melhores transportes públicos do MONDO e engarrafamentos absolutamente colossais.

  2. goiaba diz:

    Parabén$, Träsel, muito bom o post.

  3. Guillermo diz:

    Excelente Träsel! Pena que não existe boa vontade do Estado e da população.

    Walter - solução definitiva não tem, mas se tivesse boa vontade da população poderíamos conviver com “congestionamentos” de 15 minutos por mais tempo. Do jeito que está, em pouquíssimo tempo estaremos com trânsito absolutamente caótico.

    Lembrando que em 2014 tem a Copa. Imagina o caos daqui a 6 anos (como diz o Vanucci, 6 anos é logo ali…).

    DÁ-LHE GRÊMIO!!!

  4. Sérgio diz:

    Metrô seria bacana, heim?

    E na real, a gente não tem nenhuma via expressa decente em porto alegre, é tudo com mil sinaleiras dos infernos.

  5. GBRL diz:

    “O transporte público de Porto Alegre é na verdade muito bom…”

    Desculpe, Träsel, mas não é.

    Por força de mais um seqüestro-relâmpago, estou a pé desde o dia 5 e sempre encontro dificuldade quando chego numa parada de ônibus sem saber qual linha pegar. É tudo MUITO mal informado, ao contrário do que acontece em qualquer lugar decente. Se Porto Alegre tivesse nomes ou números nas paradas e um sistema de informação claro, que levasse em consideração que nem todo mundo sabe tudo sobre todas as linhas, melhoraria muito. Mas mesmo assim, ainda precisaria de pontualidade e conforto para fazer as pessoas largarem seus carros.

    Não sei o que vou fazer se encontrarem o meu carro ou quando o seguro me pagar o valor devido. A princípio pretendo não ter mais nada, porque ainda me apavoro com a idéia de dirigir sozinho à noite. Mas sei que vou precisar de paciência toda vez que quiser ir de ônibus ou lotação para um lugar onde não costumo ir.

    Abraço.

  6. Ed diz:

    Excelente. Mas além de transporte público começa a ficar claro que bicicletas podem ajudar, e muito, esse processo de mudança em POA.

  7. Paulo R. Parizi diz:

    Mais ônibus?
    Quantos milhares de pessoas seriam beneficiadas se houvesse uma linha de trem rápido até o campus da UFRGS, na “agronomia”? E até a restinga?
    E se a porra da ligação por barco até guaíba já existisse?
    E se houvesse um trem bala até o litoral, como isso iria desafogar Porto Alegre?
    E se criássemos uma cultura de teleprocessamento, em que não fosse necessário atravessar a cidade para comprar um parafuso?

    Mas, podem esquecer! Com esse povinho medíocre que nós somos?
    Enquanto a tragédia anunciada se aproxima, vamos tomando um mate, falando mal dos outros e comemorando guerras que perdemos…

  8. Fróid diz:

    A única “programa de incentivo estatal” para deixar de andar de carro particular em Porto Alegre é esta que o GBRL experimentou. O programa funciona em parceria com o “programa de incentivo ao sequestro relâmpago” que consiste, basicamente, na retirada de todo e qualquer policiamento ostensivo das ruas da nossa querida “capetal”.

    Ah…. antes que eu me esqueça. O texto é excelente mesmo mas… o transporte público da capetal é um caos. Tá á bangú faz tempo!! Exatamente como relatou o GBRL.

  9. Marcelo Träsel diz:

    GBRL, o sistema de transporte público aqui em POA é bom em comparação com o de outras capitais de mesmo porte. tente pegar ônibus em recife. mas concordo que precisaria ter mais informação, problema que eu não percebo muito porque conheço bem as linhas de ônibus. aliás, começaram a aparecer uns mapas em certas paradas. na PUC já tem.

    quanto ao teleprocessamento, é um ponto importante. acho que esqueci de comentar o fato de que hoje em dia se consegue quase tudo por tele-entrega, por um valor bem razoável.

  10. Lucas diz:

    A única solução é o MONOTRILHO

  11. Ed diz:

    GBRL, uma passadinha no site da Carris já resolve boa parte dos problemas. Ali tem o itinerário de todas as linhas dessa empresa.

  12. Kalash diz:

    (Sugerir transportes públicos em detrimento ao uso de carros particulares) = COMUNISMO

    Ou não?

  13. gg diz:

    POA precisa de um bom metrô de superfície.

    Agora, as construtoras fizeram *tudo* para estragar esta cidade em futuro breve, inclusive manipulando a audiência pública recente (parece que há rolo judicial rolando por aí, iniciado por entidades de moradores), aumentando a densidade.

    Simplesmente, o Olívio Dutra era um estúpido, que achava (e acha) que a vocação do RS é a Vida Bovina e era contra metrô, isto é: era contra chamar qualquer empre$a que toca$$e as obra$, por que capitalismo=$$$=”O Mal”.

    Podia ter chamado aí uma empresa japonesa para explorar linhas de TRAM ou metrô, mas nãããããããããooooooo.

    Gaúcho é burro mesmo. O PT, o Olívio, a crise financeira deste estado e o povo *se merecem*.

  14. Fróid diz:

    A Carris é apenas uma entre dezenas de empresas….. além do mais… o cara precisar de computador, ADSL e escambau PRA PEGAR UM ÔNIBUS é demais, não?? E muito mais simples um painel nas paradas listando as linhas, itinerários e horários (ainda que este último seja pura ficção).

  15. gg diz:

    GBRL: concordo. Tem que ter mais informação.

    O sistema público *ainda* é bom, as linhas T funcionam e há ônibus de 15 em 15 min nos corredores (é assim que se fala?). Embora isso signifique ficar de pé em ônibus lotado. Lotação me faz vomitar, cortando por aquelas ruazinhas.

    Porto Alegre quase não teve urbanismo.

    E do Plano Diretor, alguém participou? Pois é…Mudaram tudo. Disseram que tem que ter prédios altos. Vai afetar o trânsito…

    Engraçado: Paris, Boston, Londres, etc, etc, etc, não tem prédios tão altos para residência quanto querem botar aqui…Gaúcho é melhor em tudo!

  16. gg diz:

    têm

  17. GBRL diz:

    Träsel, não vamos nos comparar com Brasil. Aqui nada funciona. Vamos nos comparar com cidades européias, onde mesmo as capitais de países “pobres” têm um sistema de transporte melhor que o nosso. Ter Recife como parâmetro é ruim, né?

    Ed, nem sempre se está na frente de um computador quando se decide ir para algum lugar. Enquanto eu não tiver um celular com acesso à internet, vou precisar de informação nas paradas. E mesmo assim, nem todas as linhas de Poa são operadas pela Carris. O que eu faço? Entro nos sites de todas as empresas e procuro quais delas têm ônibus que passam no ponto onde eu estou? Haja tempo.

  18. tiagón diz:

    excelente. eu desisti de conjecturar e já há algum tempo ODEIO AUTOMÓVEIS. viva o taxi e o ônibus.

  19. goiaba diz:

    no Site da EPTC tem todos os horários e linhas.
    Quer sentir o terror?
    Vai pegar um ônibus em Viamão ou Alvorada.

  20. Fróid diz:

    Ah tá….então a coisa não tá tão ruim assim….. afinal até lixeiras já temos na cidade. Pra parada de ônibus digital falta pouco. Só falta um terminal de computador em cada parada para os passageiros pesquisarem quais linhas devem utilizar.

    Com essa até perdi o ônibus.

  21. brunette diz:

    1- Eu acho o sistema de transporte público de POA bom, pelo menos nas linhas transversais, os T’s (T1, T2, T3, T4, T5 etc). Já o TV, que é o ônibus que sobe o Morro Santa Tereza é complicado… Aliás, o morro Santa Tereza e outras regiões da cidade não são tão bem guarnecidas de ônibus.
    2- Quanto a informação, esse é um problema que não noto, pois toda vez que preciso ir a algum lugar diferente, olho tudo no site da EPTC…
    3- Carros são um saco mesmo, estamos muito “novos-ricos”. É o POVO achar que está melhor de grana, corre a comprar um carro. Realmente, para certas pessoas NÃO COMPENSA, nem financeiramente, nem em termos de segurança.
    4- Bicicletas são ótimas e civilizadas, mas vai tentar andar de bicicleta por Porto Alegre. Em certas vias é impossível, ou, no mínimo, perigosíssimo.

  22. Leandro Demori diz:

    CARRO, ROUPA e CELULAR são os mais vistosos meios de INCLUSÃO SOCIAL do governo Lula, os únicos que unem os boys (motoboys & playboys). Parem de querer acabar com as conquistas do Braziu suadoo!

    Träsel = Fidel.

    Bicileta em Porto Alegre = maloqueiro na Ipiranga.

    Eu = só ando a pé (mas eu continuo a andar). “Carro E Grana, by LEONI.”

  23. Cynthia diz:

    32300050 - nesse número sempre tem um atendente disposto a passar informações sobre o ônibus que o precisa pegar pra ir pra QUALQUER lugar. Eu já usei zilhões de vezes. Não precisa ter internet, é apenas mais UMA alternativa, deixem de ser tão extremistas.

    Bom, como eu moro na região metropolitana e pego a BR-116 pra vir e voltar do trabalho todo dia, meu problema com o trânsito começa antes.

    Mesmo assim, olha só: antes eu pegava 3 conduções pra vir pro trabalho, num trajeto que demorava 1h30min. Depois de 5 anos fazendo isso, enchi totalmente o saco. Meu salário, no entanto, não permite que eu compre e MANTENHA um carro - logo, comprei uma moto. A prestação e a manutenção são mais baratas, o consumo e a poluição são menores e eu demoro no máximo 40 minutos (quem costura o trânsito e corre feito condenado demora menos, mas aí depende de cada um…)

  24. Cynthia diz:

    Ah: mas se eu morasse em Poa, continuaria a pé.

  25. Pedro diz:

    DEVIAM PARAR DE FABRICAR PESSOAS.

  26. Marcelo Träsel diz:

    kalash: sim, é comunismo. veja as tags que eu botei no post. :-)

    pedro: de fato, única solução para todos os problemas da humanidade. escreverei novo artigo revendo minha posição.

    cynthia: no teu caso, de fato, recomendaria ter carro. não sou assim TÃO comunista. moto eu acho perigoso. te desejo sorte.

  27. Nitrium diz:

    Ótimo post, T.

  28. GBRL diz:

    Defensores ferrenhos das administrações municipais e apaixonados por Porto Alegre, entendam uma coisa: não é admissível, em uma cidade decente, que internet, telefone e perguntas para motoristas sejam as únicas formas de uma pessoa descobrir qual ônibus tem que pegar para ir para determinado lugar partindo de determinada parada.

    Em qualquer lugar do mundo civilizado, uma velhinha manca com 100 anos consegue chegar onde quiser apenas olhando os avisos das paradas. É assim que tem que ser. As outras alternativas são ótimas, mas não podem ser o meio principal.

    Agora falem de pontualidade, conforto e acessibilidade universal. E não adianta dizer que o T9 tem tudo isso, porque a maioria da população não anda de T9.

  29. Fróid diz:

    Mais uma vez, concordo com o GBRL. O método de informação tem de ser universal (tipo placa de trâsito por exemplo). Internet, telefone e outros recursos tecnológicos são apenas complementares.

  30. Rosalvo diz:

    Concordo com o Walter. Nunca, jamais em tempo algum vai haver solução. Ou pedagia o centro, mas tem que ser marrudo pra implementar porque é extremamente impopular. Rodízio só serve pra quem trabalha com carro comprar uma lata pra rodar nos dias de proibição.

    Träsel, o problema é que essa lentidão de 15 minutos não vai parar por aí. Esse é só o sintoma que o inferno está chegando. Desista de procurar racionalidade em quem nunca teve carro e agora tem. O número deles só vai aumentar. Exemplo prático: em Curitiba, o supra-sumo do mundo civilizado e do planejamento urbano, estava com esses “congestionamentos” há uns 2 anos e hoje com 1 carro pra menos de 2 habitantes tem que ser herói pra contornar o centro entre 8 da manhã e 8 da noite. Não virou São Paulo, mas a perspectiva não é muito animadora.

  31. Mário Camera diz:

    Walter: “Paris, por exemplo, tem um dos melhores transportes públicos do MONDO e engarrafamentos absolutamente colossais”

    Por isso que eu só pego helicóptero.

  32. Cynthia diz:

    PEDRO!
    Bah, eu sempre disse isso! (só parei quando minhas amigas começaram a ter filhos, aí ficou meio chato), mas a verdade é essa!

    Se cada casal tiver cinco filhos, esses cinco vão crescer e querer cada um o seu carro antes de cada um ter mais cinco que vão crescer e… Enfim. É isso que tá acontecendo (e não venham me dizer que a classe média tá diminuindo a porcentagem de filhos por casal porque a classe média é NADA comparada à população absurda que habita as vilas de todo o Estado.

    As pessoas têm que parar de se reproduzir, isso sim.

  33. Cynthia diz:

    Ah, Träsel: se eu comprar carro, vou demorar quase a mesma 1h30min nos horários de pico e ainda contribuirei com a poluição e o caos da BR / Capital… :/

  34. Pedro diz:

    Sim, eu também acho que é a melhor solução.
    Ano passado foi lançado o projeto “Planejamento Familiar” na Assembléia. Pesquisem sobre ele pra ver se está funcionando.
    Anos atrás, inventaram aquele lance do bastonete no braço. Mas disseram que era preconceito.
    Sério. Eu não sei até quando a humanidade vai se reproduzir. Será que ninguém pensa nisso? Fora que a a Terra é que nem estádio de futebol: deve ter um limite de ocupação.
    Falam em diminuir tudo: gases, plástico, etc… mas NUNCA falam em diminuir as pessoas.

  35. Pedro diz:

    o NÚMERO de pessoas. “diminuir as pessoas” ficou estranho ehheeh

  36. Marcelo Träsel diz:

    GBRL: o T9 pode ser tudo, menos confortável e pontual. uso todo dia e atesto.

  37. MONZO diz:

    “Em qualquer lugar do mundo civilizado, uma velhinha manca com 100 anos consegue chegar onde quiser apenas olhando os avisos das paradas”.

    FALÁCIA

  38. GBRL diz:

    É verdade, Monzo: Portugal é considerado mundo civilizado e lá a confusão é a mesma. Ou pelo menos era em 2001. Deve ser daí que vem o nosso know-how no assunto.

  39. MONZO diz:

    Na Irlanda também é um lixo. Ok, a Irlanda de certo modo é o Brasil ruivo, mas mesmo assim.

  40. Ed diz:

    Algumas paradas já tem umas placas indicativas de quais ônibus passam por ali. Obviamente terão vida curta devido aos ordinários que VÃO vandaliza-las, mais cedo ou mais tarde. Mas volto a insistir, bicicleta é um dos caminhos a seguir. Claro que vai ter que rolar umas ciclovias pra facilitar, mas na prática hoje dá pra ir a muitos lugares em POA de bike, coisa que faço quase diariamente. A engronha maior não é a selvageria dos automóveis, mas sim equipamentos seguros pra deixar a bicicleta no destino.

  41. Rico diz:

    Träsel, como o GBRL e outros disseram, o transporte coletivo aqui é um lixo. Porto Alegre é uma cidade muito precária, devíamos parar de babar ovo para ela e cobrar quem de direito.

    Em 2003 eu trouxe uma namorada paulistana pra cá, num desses feriadões da vida: “É uma cidade pra iniciados, né?” (sobre a falta de placas e sinalização viária). “É meio desleixada, né?” (sobre o lixo, os homens-carrinho e carroças nas vias públicas). “E o trânsito é meio jerereca, né?” (Sobre a mania dos locais de trancar o cruzamento, não dar seta, ficar se xingando como camioneiros quando de qualquer “evento arbitrável”, além da maravilhosa inexistência de vias expressas, ou seja, sem semáforos).

  42. Estevao diz:

    Buenas, eu preciso ir do Menino Deus pro Navegantes todo dia.

    Demora 1h de ônibus (T5 ou T2) e 15min de carro. Enquanto não tiver uma linha mais rápida entre esses 2 pontos, preciso escolher entre 1h30 do meu dia ou contribuir para o bem comum, diminuindo o trânsito na capital…

    Como bom capitalista, opto pelos meus 90 minutos a mais.

  43. marlon diz:

    estou em são paulo há 3 meses, longe do metrô (nos confins do morumbi-vila sônia-campo limpo: nem os mapas sabem que bairro é este) e, por deus, que saudade do transporte público de Porto. que saudade do trânsito de Porto. da Carris. etc.
    quem criou o transporte público em Porto (BUSÃO) foi o PT. eu preferia 10 vezes trem/metrô/aeromóvel, mas em comparação com qualquer outra administração… quem reclama é porque não andou 25 anos de bus aí e/ou não acompanhou a política da cidade.
    claro que podia ser muito melhor em comparação com (algumas) cidades européias, mas pra Bananão tá mais que bueno.

  44. Bruno Galera diz:

    É o que Estevão disse. Muito fácil largar o carro morando no Bom Fim, trabalhando no Centro e bebendo na Cidade Baixa. Bicicleta, então, facílimo.

    Agora vai morar na zona sul e trabalhar na zona norte. Ou estudar no Vale ou na Puc. Uma hora e meia de ônibus, 20 minutos de carro.

  45. Tolinho diz:

    Vendi meu carro há três meses por diletantismo e desde então tenho usado o transporte público. Tá certo que às vezes dá vontade de sair pra comprar uma cerveja de madrugada, mas, no mais, estou economizando MUITO DINHEIRO.

  46. Leandro Demori diz:

    http://tinyurl.com/4d5sfn

  47. Rico diz:

    Marlon:

    Vivi os últimos 5 anos em São Paulo, nunca comprei carro, nunca precisei de um e estava a 40 minutos de qualquer lugar na cidade.

    Vila Sônia e adjacências podiam ter metrô desde 2005 se o Governo Federal, do PT, investisse o imposto que arrecada dos paulistanos no metrô local. A propósito, o metrô de Caracas, financiado com a sua e a minha grana do BNDES (fundo de garantia), ficará pronto antes que a linha amarela de São Paulo.

    Sobre o Morumbi e qualquer coisa do lado de lá das Marginais:

    http://www.laudano.com.br/2006/02/aula-de-geografia.html

    Se você se apegou à Vila Sônia, compre um carro como qualquer paulistano que mora longe. Agora fazem em até 72 vezes. :)

  48. dante diz:

    não se preocupem com carro, eu dou carona a todos vocês, como sempre.

    abraço a todos!

  49. Marcelo Träsel diz:

    bruno, releia o post e perceba que estou falando do quadrado delimitado por ipiranga, terceira perimetral e assis brasil/cairu.

  50. » 1968, Porto Alegre - SINE NAVTA NAVIS diz:

    […] Estou procurando o motivo para me orgulhar duma cidade em que o transporte coletivo é caro, inexiste bilhete único, não há metrô (p&$ no c# de quem chama o Trensurb de metrô), regiões inteiras estão incomunicáveis por causa da maneira estúpida com que as linhas de ônibus foram distribuídas e não há um único site - meia-boca que seja - com informações decentes sobre a malha de transportes urbanos. […]

  51. da vida honesta dos desmotorizados | oito diz:

    […] jornalista Marcelo Träsel comentou aqui e aqui sobre os benefícios para o trânsito portoalegrense e para a qualidade de vida da […]

  52. Sérgio diz:

    Ótimo post.
    Tive carro por sete anos e depois vendi e nunca mais comprei.
    Não ter carro poupa muito dinheiro e incomodação (para mim e para os outros).
    Concordo que falta informação no transporte público. Parece que assumem que todo mundo já conhece todas as linhas. Felizmente estão começando a aparecer mais informações nas paradas além de uma placa escrita “Ônibus”.
    Quando estou na rua e não sei que linha de ônibus pegar sempre ligo pra EPTC (118) e eles ajudam.

  53. “Nova Corja comunista!” « Cão Uivador diz:

    […] de plantão pensariam ao ler os dois artigos do Marcelo Träsel que indico: o primeiro é sobre o cada vez mais caótico trânsito de Porto Alegre, e o segundo trata do projeto arquitetônico previsto para a área do Estaleiro Só - cuja postagem […]

  54. Marcelo diz:

    Alguém disse aí que Paris tem engarrafamentos colossais. Grande merda! Qualquer pessoa sensata que more em Paris não precisa passar pelos congestionamentos, o sistema ferroviário é excelente e você pode ir a qualquer parte da cidade com ele.

  55. PRESENCE PROMOTORA diz:

    PRESENCE PROMOTORA, empresa especializada em FINANCIAMENTO E REFINANCIAMENTO, de CAMINHÕES, UTILITÁRIOS, MOTOS, CARROS.

    Se para você financiar veículos sempre foi burocrático e no final, não conseguia concluí-lo? Com a presence promotora atuando com a sua excelência no mercado, sua história será diferente! Com diversos planos e formas de pagamento, você pode financiar o seu veículo rapidamente, sem aquela enrolação!
    Trabalhando diretamente com os melhores Bancos, trazemos até você as melhores taxas e após a aprovação, você vai poder negociar seu bem como se estivesse pagando A VISTA!
    ?
    Entre em contato sem medo!
    PRESENCE PROMOTORA - http://www.presencepromotora.com.br
    Fone/fax 11 2261-2008

    E ainda tem mais! Nos informando sobre este anúncio e fechando contrato, você será premiado com um final de semana para 2 pessoas em uma pousada muito especial no litoral norte.

  56. “Nova Corja comunista!” | Cão Uivador diz:

    […] de plantão pensariam ao ler os dois artigos do Marcelo Träsel que indico: o primeiro é sobre o cada vez mais caótico trânsito de Porto Alegre, e o segundo trata do projeto arquitetônico previsto para a área do Estaleiro Só – cuja […]

Comente