Não há limites para a demência

14:54 | 15/06/08 | Walter Valdevino

Do G1:

Projeto prevê plantio de árvore para casar ou se divorciar

Um projeto em tramitação na Câmara dos Deputados pode tornar obrigatório o plantio de mudas de árvores toda vez que alguém casar, se divorciar, comprar carro zero quilômetro ou construir imóveis residenciais e comerciais.

Pelo projeto, do deputado Manato (PDT-ES), noivos teriam que plantar 10 mudas de árvores para casar. No divórcio, a conta aumentaria: 25 mudas. No caso da compra de veículos, são 20 mudas para carros novos, 40 para os de médio porte e 60 para veículos pesados. Construtoras seriam obrigadas a plantar 10 mudas para cada imóvel residencial e 20 para cada unidade comercial.

(…)

Para a SOS Mata Atlântica, toda iniciativa para incentivar o plantio de árvores é válida, mas nem sempre eficaz. De acordo com o coordenador de fomento florestal da entidade, Nilson Máximo, depois de plantada uma muda é preciso um acompanhamento de dois anos para que ela tenha chances de chegar à fase adulta.

(…)

O deputado disse não se preocupar com o choque que pode ocorrer entre o projeto, se for aprovado, e as legislações de estados e municípios sobre normas para o plantio de árvores. “É preciso começar por algum lugar. Tem que começar por uma lei federal”, afirmou.”

Quer saber detalhes do projeto? Clica aqui.

Deputado Manato… Manato. Sabia que já tínhamos postado alguma coisa sobre o nobre deputado. Fui procurar e achei este post de 07/05/05:

“Defensor da contratação de parentes para o serviço público, o presidente da Câmara, Severino Cavalcanti (PP-PE), atendeu pedido do PDT e indicou para presidir a comissão antinepotismo o deputado Manato (PDT-ES), cujo gabinete emprega a mulher de um ex-colega, José Carlos Elias (PTB-ES), que também já contratou a mulher de Manato em 2003.

(…)

Folha - O sr. então é contra o nepotismo?
Manato
- Sou favorável que seja [proibido] até o segundo grau e que em uma parte seja até retroativo.

Folha - Mas a mulher do sr. chegou a ser contratada para o gabinete do ex-deputado Elias…
Manato
- A minha esposa (…) trabalhou porque ela é médica, faz ultra-sonografia e atendia ao gabinete dele. Foi por influência minha? Foi. Aí eu conversei com a [deputada] Denise Frossard sobre a [ONG] Transparência Brasil, e ela me disse que, se pegar no dicionário, isso não é nepotismo, mas se olhar na ética, é influência. Eu falei: “Pô, Denise então eu tô cometendo uma coisa que sou contra”. (…) Eu tenho a minha mea-culpa porque eu cometi um equívoco durante quatro meses. Não é porque George Bush fumou maconha quando tinha 18 anos que ele vai defender o tráfico de drogas.”

Tags: , , ,

Postado por Walter Valdevino, 14:54, 15/06/08, na(s) categoria(s) Demência moral, Gente inútil. Você pode acompanhar os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Deixe um comentário ou coloque um trackback em seu site.

5 comentários para “Não há limites para a demência”

  1. Fernando diz:

    Ah, se desse certo… hehehehe… chama a Marina $ilva!!!

  2. GBRL diz:

    Só melhora.

  3. Darcio diz:

    O nobre deputado deve ter tido muito tempo para pensar um projeto desses..

  4. Hermano diz:

    Terra tinha um dia antes.

    G1 = serviço público.

  5. Marcelo Amorim diz:

    25 árvores por divórcio? faltarão canteiros em porto alegre

Comente