Cobertura dos Jogos Paradesgovernados

17:55 | 06/08/08 | Rodrigo Alvares

Alguém precisa avisar a imprensa gaúcha que o Rio Grande do Sul não é a China. Até os cegos em Seattle já entenderam como se faz jornalismo com a Rede Mondial de Computadores. Os pulitizadus precisam que a Folha, o Estadão, a Veja e até a carta Capital preencham as lacunas e o silêncio que reina no Estado.

Para começar, ninguém se importa com o Bovinão, mas os jornais e revistas do centro do país insistem em fazer matérias para explicar o fenômeno de escândalos que o desgoverno Yoda apresenta a cada semana.

Óbvio que a Mídia Má, Feia e Bobona deslocou todos os seus recursos - um punhado de repórteres - para Porto Alegre tendo em vista a derrubada de desgovernadora. É um absurdo que esse pessoal saia por aí fazendo perguntas e descobrindo coisas dificílimas para a mídia local conseguir.

Uma intervenção é mister de ser feita não só no governo, mas também na mídia bovina. Nem preciso bancar o petista e escrever que isso é culpa do monopólio da RBS, porque não é. O apagão jornalístico é de todos os veículos.

Mas é inconcebível que o presidente da ANJ admita que o seu jornal leve tantos furos e se resigne a publicar um “De acordo com a Folha” para cada volta que a Zero Hora leva e não investigue o que acontece não só nesse, mas em todos os governos.

Porque não dá para crer que ninguém nas redações de Porto Alegre não tenha se atinado em coisas básicas de reportagem, como procurar o cartório onde está o registro da casa de Yeda, ligar para Lair Ferst ou simplesmente perguntar quem diabos comprou o tal apartamento em Capão da Canoa ou o Passat da desgovernadora.

Mais uma vez, isso não é uma questão partidária ou ideológica. Mas viver 40 anos sem concorrência é um caso grave e o silêncio sobre as falcatruas, constrangedor. Aí me aparecem esses repórteres do centro do país e publicam coisas que os pulitizadus não estão interessados em saber ou que os outros saibam.

Parece que todos no Bovinão estão mais interessados é em garantir o seu e seguir sua vidinha sem incomodar a catrefa que comanda a vala há décadas. Nada moralmente mais brasileiro.

Tags: , , , , , ,

Postado por Rodrigo Alvares, 17:55, 06/08/08, na(s) categoria(s) Desgovernada Yeda. Você pode acompanhar os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Deixe um comentário ou coloque um trackback em seu site.

68 comentários para “Cobertura dos Jogos Paradesgovernados”

  1. Dani diz:

    Pior é ter que ouvir a desgovernada viciada em Seda Chocolate em alguns momentos, como nesta semana, no Palácio, na ocasião da posse dos novos secreOtários. Num samba-do-criôlo-doidjo, disse que o governo é um “time” (de várzea, esqueceu de comentar), lembrou do tempo em que jogava vôlei (deve ter tomado umas cortadas na cabeça pra entortar tanto a cachola, certo) e, ainda, falou que até o final do governo vai juntar a rapaziada do secretariado e formar dois times para uma confraternização. Claro, estamos em época de Olimpíadas. Será que no Palácio tem antidoping?

  2. Eduardo diz:

    Perfeito.

  3. R. diz:

    Bom desabafo

  4. Zaraios diz:

    Pura falta de caráter de todos os jornalistas da RBS. Sempre foi assim e assim será. O pior é pertencer a mesma espécie que estes caras. O que eles devem ensinar aos filhos?

  5. Nitrium diz:

    É apenas importante não generalizar, Zaraios.

  6. Pedro Henrique diz:

    Ensinam os filhos a mesma coisa que eles fazem. É simples. E intrínseco. Não pode estar rolando há 40 anos e ser coisa de apenas um punhado de pessoas. Tem muita gente envolvida, em diversos níveis, em todos os escalões.

    E não sei se a culpa é realmente dos jornalistas e não do espaço de manobra dado a eles. ZH não publica contra ZH, mesmo que o jornalista cavoque tudo.

  7. GBRL diz:

    “Parece que todos no Bovinão estão mais interessados é em garantir o seu e seguir sua vidinha sem incomodar a catrefa que comanda a vala há décadas. Nada moralmente mais brasileiro.”

    O mais engraçado não é essa atitude bovina (literalmente) dos bovinóides. É esse povo se achar o melhor do mundo e o mais politizado do Brasil. Me defeco as calças toda vez que alguém diz essa maravilha.

  8. Eliane Fronza diz:

    pior é ouvir em faculdades de comunicação - Famecos, no caso - que Zero Hora e companhia são os melhores modelos de jornalismo.

  9. Dodo diz:

    Quem diz uma barbaridade dessas?! But then again, esperar o que da Famecos?

  10. Edu diz:

    Daqui a pouco o jornal de maior circulaçao no RS sera a Folha de Sao Paulo…sinal dos tempos…

  11. Moses diz:

    “Nem preciso bancar o petista e escrever que isso é culpa do monopólio da RBS, porque não é. O apagão jornalístico é de todos os veículos.”

    O que deve ser compreendido, Rodrigo, é que “a RBS” há muito deixou de ser apenas uma empresa que detém a maioria esmagadora do mercado. Eles são o referencial jornalístico, cultural, intelectual e moral da maioria das faculdades, bem como da maioria das empresas concorrentes. Vc acha que o cara que trabalha n’O Sul quer nostrar trabalho para os eventuais leitores ou para a firma da Ipiranga? A resposta é óbvia.

    Veja essa idéia dessa figura bizarra, o gaúcho. Antes da RBS, o reconhecimento desse estereótipo como sendo o típico habitante do RS não se dava de forma homogênea, bastando ver que a capitulação de Porto Alegre e da Serra é coisa de 20 anos prá cá, e obra deles.

    Observe ainda o que eles fizeram em relação a uma série de “eventos”, descaracterizando uns e fabricando outros, tornando, de uma forma ou de outra, todos com a mesma cara, a cara da RBS, que é meramente copiada pela “concorrência”: expointer, feira do livro, garota verão, semana farroupilha, o tal relógio dos 500 anos, é tudo a mesma coisa, tudo “propriedade” deles. A Usina, da qual nunca fui fã, a Bienal do Mercosul, tudo tem a cara da RBS. Ou é viagem minha?

    Então, não venha querer mexer o teu café com a colher “dos petistas”, não vem enxertar cutucada em quem execra a RBS no meio de um post que (corretamente) revelou o estado das coisas. Num artigo desses, os que sempre odiamos a RBS não merecemos qualquer crítica, a não ser para fazer média ou para bancar o mauzão, malabarismo que a perspicácia do teu texto torna despiciendo.

  12. Charolês diz:

    Nuntendi nada? Como é mesmo que se diz?

    “Mídia Má, Feia e Bobona” é só a do centro então?
    Cempre jurei que tinha gente do RS envolvida na santíssma tríade de três.

  13. Rodrigo Alvares diz:

    Moses: não quero bancar o “mauzão”, mas há um bom tempo acho uma completa perda de tempo atribuir todos os males do Rio Grande do Sul à RBS.

    E os petistas merecem sim ser criticados como todos os gaúchos. Falam mal da Zero Hora, mas dão pulinhos nos gabinetes da AL quando emplacam uma nota na coluna da Rosane de Oliveira.

    O problema é generalizado, revisem.

  14. Bernardo diz:

    A verdade é que não há reportagem a ser feita.
    TODOS SABEM DE TUDO.

  15. sidnei diz:

    ESSA YEDA É O QUE HA DE PIOR NA POLITICA GAUCHA. PIOR QUE ELA SÓ A JUVENTUDE TUCANA QUE AINDA ACREDITA NELA..TIPO UM TAL LEITÃO E CIA….FOGO NELA

  16. Marcelo Träsel diz:

    Não custa lembrar que o jornalismo é reflexo de seu público. RBS simplesmente percebeu que vendia mais jornais e tinha mais pontos no Ibope quando exaltava nossas façanhas para toda terra e continuou fazendo isso, como qualquer empresa sensata.

    A maioria dos repórteres acha isso tão patético quanto nós, mas o sujeito precisa pagar o leite das crianças.

  17. Haroldo diz:

    E pra piorar o C.Povo ainda fechou o site (eu, que não sou a$$inante, nem sei se piorou ou melhorou depois que o Bi$po Mac€do tomou conta…)

    Notícias na téneti sobre o R$: Terra e NC…

  18. André diz:

    “Não custa lembrar que o jornalismo é reflexo de seu público” Só reflexo ? Bzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz ………………………

  19. Moses diz:

    O RS é “as china”.

  20. lf diz:

    Jornalista é povo! Ruim, mas povo.

  21. Moses diz:

    “Não custa lembrar que o jornalismo é reflexo de seu público” é o “eu estuprei pq ela provocou, tava de saia”.

  22. Carlos diz:

    Vim do jogo do grêmio agora…uma das coisas mais constrangedoras, pra mim, é ouvir a torcida cantando o hino do RS no começo do jogo, seja primeiro ou segundo tempo…dá vontade de vomitar…estado falido, totalmente corrupto, hipócrita, burro…q se acha O estado. Pelo amor de deus.

  23. Marcelo Träsel diz:

    Moses, aposto que você tem na parede uma charge de um aparelho de TV com o logotipo da rede Globo manipulando uma pessoa com fios de marionete. Ou algo parecido.

    André: não apenas, mas em minha opinião mais de 50%. Até porque os jornalistas também são gente normal, com valores e princípios e visões de mundo absolutamente normais.

  24. marcelo diz:

    são gente normal e como todos nós, são simultaneamente produtores e consumidores de jornalismo. o jornalismo não é um campo apartado do resto da sociedade, e a idéia de dominação unilateral da mídia, “manipulação”, é o mesmo que acreditar que as pessoas são receptáculos vazios, tábulas rasas diante de uma força onipotente da comunicação. na real o “público” GOSTA do tipo de jornalismo exercido aqui, é criador e criatura desse padrão.

  25. Lucas C. diz:

    Qual é, esse papo de que o problema não é só a RBS não dá mesmo. Desde quando o C Povo e O Sul tem ALGUMA INFLUENCIA MINIMA nesse estado fudido?

    E a Zero Hora não faz o que o ‘público quer’, traesel. Eles fazem o que eles querem. Se algum cidadão porto-alegrense quiser ler um jornal minimamente melhor que bula de remédio ou folhetim pra analfabetos PRECISA comprar o único jornal que se leva a sério aqui. Ninguém aqui parece ter dinheiro e vontade de investir numa alternativa plausível a ZH.

    Agora, por favor, parem com essa mania anti-petista metida a engraçadinha de achar que tudo que os petê reclamam é errado. Parecem adolescentes!

  26. Sérgio diz:

    Tenho que concordar com o Lucas.
    Mas tá braba a situação aqui na China.

  27. Gralha diz:

    Que debate imbecil. Vão votar no mascote da RBS pra Olimpíada que é o que REALMENTE importa.

    klgjskdfjask

  28. Gralha diz:

    O INSONE

    A-de-os

  29. Moses diz:

    Argumento pro homine, Träsel, e ainda contra quem tu nem conhece? Vai, te esforça, tu consegue coisa melhor do que uma coisa rasa dessas.

  30. Moses diz:

    marcelo,
    é óbvio que as pessoas não são receptáculos vazios. É que não existe compensação de culpas. A estupidez do povo daqui precede a existência da rbs, a qual, como demonstrei, é bem mais que uma simples empresa. A rbs evidentemente tem todo o mérito empresarial de explorar essa estupidez, e qualquer um aqui faria o mesmo se estivesse no lugar dela. Acontece que o conteúdo do post era sobre a mídia bovina, e álém de me chamar de imbecil, ninguém trouxe um só argumento para desconstruir a verdade de que o jornalismo gaúcho é a rbs e mais nada, e de que não tem menor cabimento criticar PT, PSTU ou o caralho num contexto desses, pq o único destinatário da crítica lúcida feita pelo Rodrigo só pode ser a própria rbs. Aliás, como bem demonstrou o Wander Wildner num post abaixo, falando da enrabada que a Claro lhe deu, também não cabe a conversa fiada de que a demanda regula a oferta. Aqui, infelizmente, o capitalismo ainda não chegou.

  31. Alex Sonic diz:

    Vale a pena conferir o blogue do Adolfo Braga. Chama o Lair F. de “hiena esperta”.
    Cabe proce$$o por difamação?

  32. Epaminondas Cricri diz:

    Nova Corja, cada vez mais:

    Interesse máximo - metajornalismo
    Público alvo preferencial - jornalistas
    Notícias locais - apenas pretexto, orabolas!

  33. Marcelo Träsel diz:

    Moses, sugiro informar-se antes de usar termos difíceis em latim. O certo é “ad hominem”, ou “argumentum ad hominem” (RÓNAI, Paulo. “Não perca o seu latim”. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980).

    “Pro hominem” seria na melhor das hipóteses uma declaração a favor do interlocutor. Seria um ato falho de tua parte, indicando que a brincadeira da charge sobre a mídia manipuladora tocou num nervo exposto?

  34. Fróid diz:

    Xiiii…..agora esse bate-boca se estenderá “ad infinitum”…. sdgjklgh!!!

    Discutir se a “RBS é assim por que o povo quer assim” ou se o povo é assim por que “a RBS o faz assim” é como a história do “ovo x galinha”.

    O fato é que nenhum dos dois presta…… (no caso RBS/povo).

  35. Moses diz:

    Sim, Träsel, há um erro meu aí, apesar de tu saber tanto quanto eu que é um termo manjado, usual, não “difícil”, tanto assim que, em que pese o erro, tu compreendeu perfeitamente o que eu quis dizer, preferiu sair pela tangente.

    Mas é latim que se discute aqui? Ou será que Paulo Francis estava certo, ao dizer que a gramática é o último refúgio dos canalhas? E não vem com essa de brincadeira: assim como agora tu utilizou o latim e um argumento psicologesco para tentar desqualificar a mim e não aos meus argumentos, lá em cima tu utilizou uma charge para tentar me tirar para bocó.

    Não é problema lingüístico: é de argumentos e de hombridade.

  36. Moses diz:

    Em tempo: retiro essa última frase aí em cima. É exagero. Desconsidere-a, Träsel.

  37. Alisson Coelho diz:

    Pra mim é simples. Determinado meio de comunicação por mais influênte que seja não forma a totalidade do pensamento da população.

    Leve em conta que: Determinadas igreja evangélicas proíbem a TV, isso não faz delas melhores e mais críticas.

    Você recebe uma educação que começa na sua casa, passa pela escola, pelos amigos e tem algumas influências da mídia.

    Os adolescentes de hoje estão cagando pra TV. O negócio é tenéti.

    Por tudo isso não dá pra dizer que todos os nossos problemas são fruto da RBS.

    PS: No interior do Estado, até algum tempo atrás, eu só via Correio do Povo. A maioria era assinante e dava muita credibilidade ao jornal.

  38. Gringo diz:

    Sugestão para a próxima pesquisa - depois de limparem o sangue do Ultimate Fighting entre Moses e Träsel:
    Quem você acha que serão os quatro nomes que Lair Ferst irá incluir no rolo do Detran? Assinalar no máximo quatro nomes.
    ( ) Yeda
    ( ) Yoda
    ( ) Yopa
    ( ) Zé Otávio Germano
    ( ) Zé Victor Castiel
    ( ) Zé das Medalha
    ( ) João Papai Noel Vargas
    ( ) João e o Pé de Feijão
    ( ) João Coragem
    ( ) Aod Cunha Jr.
    ( ) Héber Roberto Lopes
    ( ) Pinduca

  39. Quaresma diz:

    O Moses não é do povo, já que esqueceu o famoso jingle de campanha “o povo não esquece! Abaixo RBS!”

  40. Tiele diz:

    Acredito que a maioria das criaturas que acabam com o Estado (país) em cada eleição, são os que não tiram tempo para ver tv ou ler jornais e revistas, os desinformados. Um ponto positivo da mídia: faz-nos perceber todos esses erros e nos ensina o caminho que NÃO deve ser seguido.
    Meninos brigões, parem de competir, se estão aqui, ambos estão no caminho certo. Não há porque provar quem é o melhor e o mais inteligente. Quem sabe se agirmos mais do que ficarmos na frente do pc criticando os outros, dê um caminho mais positivo como resolução pra esses problemas (tantos).
    Ou sirvamos um café e fiquemos aqui a falar da vida alheia…e o RS que é uma merda! Melhor pôr a culpa em quem não abre a boca pra se defender, enquanto não apresentamos a solução :/ Tenhadó!
    Criticar a RBS e continuar utilizando de seus meios para quaisquer informações é uma ótima opção para que ela continue a crescer. Mas se mesmo assim, volta e meia desejar dar uma olhadinha na ZH e dessa forma saber de tudo que está impresso nela (ou no site) pra vir comentar aqui, a RBS agradece a sua assiduidade! Sendo assim, nem critiquemos, deixa eles trabalharem do jeito deles e vamos ali abrir o jornal e leeeer.
    :T

  41. Moses diz:

    Entrevista escadinha da véia loca na band am.

  42. Moses diz:

    O cara na pergunta já diz q “tudo indica q não há irregularidades”

  43. Alisson Coelho diz:

    Criticar o RS e a mídia = Melhor divertimento

  44. Camilo diz:

    Tiele = CC da mídia má-fêa-bobona.

  45. Fróid diz:

    Criticar o RS e a mídia = Melhor divertimento [2]

    Melhor ainda quando aparece alguém querendo dar lição de moral……sdghklç!!

  46. Tiele diz:

    “Tiele = CC da mídia má-fêa-bobona.”
    ahahaha!
    divertido, divertido!
    :P

    Só comentei preocupada com o caso calculável de morte que se daria após a briga dos meninos (acima)!mas tááááá, tá bem.. “tomo meu café e leio meu jornal” quieta… seeeem problemas!eheh ;)

  47. ariela diz:

    eu ia mandar uma banana ao jornalismo gaúcho aqui, mas vou ser “menos”.

    parabenizo o Rodrigo pela crítica.
    falta um espelho para os jornalistas do RS se enxergarem como são: medíocres. fazem apenas o seu feijão-com-arroz.

    o pagamento do leite das crias não funciona como argumento; isso chama-se covardia: medo de ser demitido e perder seu crachá, que é o que define o jornalista gaúcho típico.

    outro dia, vi uma pauta que notei, criei e reportei criticamente há 3 anos em uma revista do centro do país ser veiculada na TVCOM como “novidade”.

    é patético: os jornalistas só fazem as matérias quando são mandados ou quando o release cai sobre o colo deles. e nenhum fenômeno existe ou é enxergado fora da agenda setting.

    eu não defendo jornalista nenhum do Brasil nem do RS a menos que ele me mostre quem é de fato, e não apenas me mostre seu crachá.

    pronto, falei.
    agora, que venham os tomates.

  48. Wagner diz:

    Estão exigindo diploma para exercer a profissão de jornalista? Era bem melhor quando isso não era necessário.

    W

  49. Alisson Coelho diz:

    Não acho Wagner…

    Se começar outra “polêmica”, chama o Lasier pra fazer a mediação.

  50. Clarice diz:

    Uma dúvida: na opinião de vocês, se o governo fosse do PT ou outros menos cotados, seria diferente o comportamento da mídia má etc etc etc? Digamos, se Yeda fosse Olivio, ou Tarso, ou Dirceu, ou Pont ou outros, estaríamos com manchetes e matérias diferentes nos jornais gaúchos?

  51. Camilo diz:

    Clarice: claro. A mídia é má, fêa, bobona, golpista E DIREITOSA.

  52. Clarice diz:

    Mas, então, existe direita e esquerda ainda, a estas alturas do campeonato?

  53. Grazielle diz:

    Qual a vantagem de críticar a mídia, se não se têm as armas (instrumentos) necessárias, para suprir o espaço que existiria caso ela fosse extinta?
    E a opinião pública?
    A RBS faz o que bem entende, porque têm (dinheiro) para isso. Quem lê, lê por que quer, ou porque acha certo, ou sei lá porquê!
    Mesmo que vocês criassem um Jornal, que apontasse essas (supostas) realidades, iria acreditar quem quisesse. E seria só mais uma forma de ver o governo; a ZH tem o seu, vocês tem o de vocês, e assim por diante. Quem diz o que é mais certo é o público, ou cada um por si, com sua própria consciência.
    Fiquem certos de que a oposição traz fortaleza a um governo.

  54. dante diz:

    grazielle, não tenho todo o conhecimento necessário, mas creio que, se a RBS utiliza concessões públicas, não é tão simples assim ela “fazer o que bem entende”. tudo bem que ela seja uma EMPRESA e que vise o lucro, mas vamos com calma.

    outro ponto: esse papo de “consciência” vale muito pra quem é ESCLARECIDO, mas a grande maioria [= votos] não é necessariamente esclarecida.

    o último ponto é o seguinte [esse já foi abordado aqui muitas vezes]: não há problema algum em um veículo de comunicação ser de direita, esquerda, EVANGÉLICO ou SATANISTA, desde que esclareça publicamente essa opção.

    agora, o que NINGUÉM ainda se deu conta é que a crítica não é à RBS, mas ao jornalismo gaúcho [e talvez brasileiro] como um todo. não sei por que continuam a bater nessa tecla de

    RBS = MONSTRO.

    não. o que foi apontado é outra equação:

    JORNALISMO GAÚCHO = INCOMPETENTE.

    o que me parece [mas confesso ser LEIGO no assunto] é que o jornalismo virou uma profissão muito mais voltada ÀS ARTES do que ao seu CERNE: política, economia e assuntos de interesse REALMENTE público.

  55. Clarice diz:

    Se o jornalismo da RBS é incompetente, por que a empresa é tão rica?

  56. André diz:

    Moses … Moses Kuhn Besouchet ?

  57. Tiele diz:

    Clarice, acredito que entre aí a velha mania dos brasileiros de criticar tudo que ama! O povo “detesta novela” mas é o que mais dá dinheiro pra Globo, talvez funcione assim em muitos meios de comunicação que são tão “amados” por aí (e por aqui)! E como pra tudo que dá errado, cria-se um (alvo) culpado…! :]

    :x

  58. Moses diz:

    Sim, André.

  59. Arthur diz:

    Clarice, o fato da RBS ser rica já foi explicado em algum comentário perdido por aí: a mediocridade do público consumidor, diretamente proporcional à mediocridade da imprensa gaúcha.

    A diferença da RBS pras demais empresas de comunicação do estado é o tino empresarial de seus donos.

  60. Clarice diz:

    Bem, acho que esta entrevista pode esclarecer um pouco as coisas:

    http://www.fazendomedia.com/fm0026/entrevista0026.htm.

    De minha parte, concordo plenamente com o Renan.

    É algo muito triste esta profissão.

  61. ingrid diz:

    é rica porque 85% dos cabeças é tudo uma judeuzada unida e misteriosa….

  62. Moses diz:

    Clarice, quem foi que escreveu que o jornalismo da RBS é “incompetente”, seja lá o que isso signifique?
    Considerando que “competência” é o supra-sumo da falta de argumentos, pois serve para explicar o sucesso de alguém sem recorrer às explicações (!), eu, particularmente, fiz o contrário, pois procurei mostrar que “competentes” (eita termo raso!) eles são. Aliás, não vi ninguém aqui dizer que eles não são “competentes”, no sentido vulgar-administrativesco do termo.
    É como aquela piada do galo bão e do galo marvado…
    Abs!

  63. Alisson Coelho diz:

    São muito competentes…
    Alguém por aqui disse que todos os profissionais dos outros veículos do RS querem trabalhar lá, e isso é verdade.

    Agora, fecho com o dante. A questão não é a RBS, mas sim, o jornalismo gaúcho, tendo em vista que o grupo Record também não tem noticiado nada.

  64. dante diz:

    acho eles competentes pro feijão-com-arroz, como disse a ariela. nada mais. JORNALISMO CULTURAL e olhe lá.

    o problema é que, como não há concorrência, a impressão é a de que eles fazem bem o trabalho.

    não fazem.

  65. Tiele diz:

    Alisson Coelho tem a minha assinatura! ;)

  66. Grazielle diz:

    Dante.
    Concordo que o problema esteja na não exposição das posições políticas; mas acho que público é a TVE e não as outras emissoras.
    E não acho que a população seja assim tão ignorante e ingenua, a ponto de acreditar em tudo que aparece na tv e em tudo que dizem os jornais.

  67. Quaresma diz:

    Grazielle, todos os meios radiodifusão são propriedade pública, segundo a legislação brasileira. BasicamenteIsso significa que o sinal é público, as empresas só tem a propriedade dos prédios, antenas, equipamentos, propriedade intelectual, etc.

    É bastante curioso ler a constituição, Art. 220 ao 224. Recomendo principalmente os seguintes trechos:

    “Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

    § 5º - Os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio ou oligopólio.”

    “Art. 223. Compete ao Poder Executivo outorgar e renovar concessão, permissão e autorização para o serviço de radiodifusão sonora e de sons e imagens, observado o princípio da complementaridade dos sistemas privado, público e estatal.”

  68. Rogério diz:

    _www.novacorja.org/folha

Comente