Idealismo demonista: encontramos

17:37 | 25/11/08 | Rodrigo Alvares

De: Assessoria de Comunicacao Social
Para: “cs@gvg.rs.gov.br”
Data: 25 de novembro de 2008 14:25
Assunto: Feijó alerta: Governo deve ouvir mais a sociedade

Feijó alerta: Governo deve ouvir mais a sociedade

O governo deveria saber ouvir e dialogar com todos os setores da sociedade”. O alerta foi feito hoje (25/11), pelo vice-governador do Estado, Paulo Afonso Feijó, sobre a situação que envolve a greve do magistério e a votação dos pedágios. Segundo Feijó, o governo tem que ter mais humildade em questões sensíveis que influenciam a vida de todos os gaúchos.

O vice-governador é contra o regime de urgência de votação dos pedágios, proposto pelo governo do Estado, principalmente quando o contrato envolve um prazo de 20 anos – cinco do contrato ainda vigente mais 15 anos de prorrogação. “Nesse caso, como em todos os outros que afetam a vida das pessoas, deveria haver um exaustivo debate com a sociedade antes de o projeto ser colocado em votação”, afirma Feijó, que sempre foi e sempre será favorável à licitação nas iniciativas do governo. “A licitação significa transparência, competição, melhores serviços e menor preço, o que é obrigação de dirigentes que administram o dinheiro público”. Ele destacou, também, que as reivindicações solicitadas pelos parlamentares são coerentes e oportunas.

Em relação à greve do magistério, Feijó lembra que não é com radicalismo e queda de braço que a questão será resolvida. “Os professores precisam ser ouvidos, principalmente em relação a seus baixíssimos salários e a falta de valorização da categoria”. Para Feijó, ninguém quer que pais e alunos sejam prejudicados, “mas não podemos esquecer que a defasagem histórica dos salários do magistério é uma realidade incontestável”.

O vice-governador destaca que sempre foi um defensor de maiores investimentos em áreas prioritárias para a população, entre elas, a educação.

Assessoria de Comunicação Gabinete do Vice-Governador
051-3226.7276 e 051-3323.6708
www.gvg.rs.gov.br

Tags: , , , ,

Postado por Rodrigo Alvares, 17:37, 25/11/08, na(s) categoria(s) Desgovernada Yeda. Você pode acompanhar os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Deixe um comentário ou coloque um trackback em seu site.

21 comentários para “Idealismo demonista: encontramos”

  1. Diogo diz:

    Hum.

    Aí tem coisa…

  2. el barto diz:

    viram que o “amigo” de vcs tá apostando o auto?

  3. Ariela diz:

    Falou o meu herói.
    Ele não é fofo?

    Enquanto a demência geral e absoluta se abate sobre a manada, ele vai lá e manda sua mensagem de Dalai Lama. Olha, é o único cara coerente da política do RS. Feijó 2010 djá!

  4. Ariela diz:

    Enquanto isso, mais de 80 mortas em SC.
    Vergonha. Ontem li na ZH que a Defesa Civil “não pôde” avisar a população sobre a chegada de tanta chuva, porque “o sistema” de meteorologia catarina é lento e leva umas cinco horas para atualizar avisos sobre clima.

    Lavaram as mãos.
    E estenderam-nas para levar grana em cima de gente morta.
    As pessoas atingidas deveriam exigir indenização do Estado por negligência e danos materiais, no mínimo.

  5. Van diz:

    Eu adoru essa foto do cara saindo acenando, tá fazendo camiseta?

  6. Humberto diz:

    Me ocorreu uma dúvida boba…
    Se a Yeda for (será) candidata em 2010, será que o Feijó consegue se candidatar também?

  7. Rodrigo Alvares diz:

    Van: digamos que o personagem ali nos inspira.

  8. Juca Brito diz:

    …será que o Feijó consegue se candidatar também

    Leia de novo o texto. Ele é candidato.

    Tenho vontade de guardar todos os comentários que li sobre ele neste blog e ajudá-lo fervorosamente a eleger-se, só para ficar quatro anos gargalhando depois. O sadismo me inunda, às vezes.

  9. Cahê Gündel Machado diz:

    Impeachment na Yeda djá! Feijó governador! Já pensou? Ele iria se livrar dos elefantes brancos (Banrisul, CEEE, Corsan et caterva), reduzir os impostos, mandar os CCs pra rua, cortar pelo menos metade das secretarias, além de implantar os vouchers nas escolas. Precisamos de mais Feijós. Quero um partido liberal!

  10. Cahê Gündel Machado diz:

    Entrem aqui: http://pauloafeijo.blogspot.com/

  11. Ariela diz:

    Há.
    Feijó 2010 djá!
    (Se já estamos no Manicômio do Inferno, não pode piorar mais. Pode?)

  12. Van diz:

    Pode, sim, Ariella, a coisa mais simples e mais fácil despacho é despachar Feijó. Outro virá. Acredite em mim.

  13. Van diz:

    Eu li a reportagem do Feijó, ele se exime de qualquer responsabilidade, por qualquer ato ou por idéia, ou mesmo por discordar da governadora.Jamais! Guarda um respeito irônico, é traíra, detesto traíra.

  14. Fróid diz:

    # Van diz:
    6:21, 26/11/08

    Eu li a reportagem do Feijó, ele se exime de qualquer responsabilidade, por qualquer ato ou por idéia, ou mesmo por discordar da governadora.Jamais! Guarda um respeito irônico, é traíra, detesto traíra.

    ========================

    Já eu, adoro os traíras. A maioria dos casos de corrupção só vem á tona por que eles entregam os canalhas de bandeja.

    Se o Brasil tivesse mais traíras estariamos em muito melhor situação do que estamos….

  15. Max Colorati diz:

    Ariela, em matéria de política, tudo sempre pode ser pior.

    Os mais novinhos não lembra, mas nos idos anos do ex-presidente Sarney diziam que nada poderia ser pior, aí veio o Coulorr, después o home do fusca (Itamar), depois 8 (eu disse ooooiiiitttoooo) anos de FFHH, e por último (tchan, tchan, tchan…).

  16. Van diz:

    Fróid, esse é o tipo de pensamento conveniente. É um pensamento cafajeste.

  17. dante diz:

    apoiando o fróid,

    se o brasil tivesse mais “pensamentos cafajestes” COMO ESSE estaríamos em melhor situação.

  18. Cahê Gündel Machado diz:

    Apoio Fróid e Dante.

  19. Van diz:

    Apoiado.

  20. Ariela diz:

    Hum, é claro que tudo sempre pode ser pior, já advertia Murphy, que não me deixa dormir em paz. Mas o Feijó (meu herói) não poderia ser pior que a Yeda. E eu acho que ele tem mais o que fazer do que fazer política. Se há alguma candidatura, é balão de ensaio, termômetro. Ele gosta é de ganhar dinheiro, no jogo da empresarice; ele gosta é de lustrar a careca e pegar uma onda no fim de semana.

    Falando nisso, farei um post em ode ao Feijó e ao governo gaúcho, é só eu conseguir espantar algumas moscas de meus anões.

  21. Marcelo diz:

    Tio Feijas é o cara.

Comente