Feliz Natau, Braziu

18:17 | 24/12/08 | Leandro Demori

gabibbo.jpg

E que 2009 ainda pior do que 2008 (porque a gente precisa continuar tirando onda de alguém).

Tags: , , , , , ,

Postado por Leandro Demori, 18:17, 24/12/08, na(s) categoria(s) Aloprando. Você pode acompanhar os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Deixe um comentário ou coloque um trackback em seu site.

9 comentários para “Feliz Natau, Braziu

  1. Felipe de Caxias diz:

    Um 2009 ruim procês também!

  2. maria, maria diz:

    Quero desejar-lhes feliz natal, mas o lixo não-reciclável lá em cima, revira-me o estômago…. Quando farão a limpeza do blog ,mandando os energúmenos para a lixeira?

  3. alex diz:

    Isso. Quanto pelhor, melhor. Que em 2009 a cara-de-pau prá contar mentiras caia por terra com o desmascaramento dos contos-do-vigário que andaram nos passando. Que em 2009, 10 + 10 volte a ser vinte e não 7,5.

  4. Ariela diz:

    Enviarei minha carta de suicídio para esses comments se der tarja preta em 2010.
    E entrarei pelada no Pira-tini, com uma Polar incendiária nas mãos.

    Fogos, fogos, mais fogos!, gritou Nero.

  5. Serra + Pedágio = Serrágio diz:

    Enquanto 43 municípios de MG já decretaram estado de calamidade, em função das chuvas, o “nosso respeitável, honroso e dedicado governador de Minas Gerais”, está em Florianópolis

    MINAS GERAIS ESTÁ ASSIM:

    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/12/20/municipios+de+minas+e+do+rio+decretam+estado+de+emergencia+3220005.html

    JÁ O AÉCINHO ESTÁ ASSIM:

    http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2343404.xml&template=3916.dwt&edition=11350&section=1328

    PARABÉNS A TODOS QUE AJUDARAM A ELEGER E REELEGER ESTE PLAYBOY !!!

    Quando ele sarar da ressaca lá para depois do Réveillon, ele vai aparecer todo bonitinho, com uma cara de preocupado em todos os jornais impressos e na TV, dizendo que o governo de MG esta fazendo de tudo, para ajudar as familiais e blá, blá, blá….e todo mundo acreditará no que aparecer na TV.

    Agora eu pergunto: PORQUE NENHUM JORNALISTA MINEIRO QUESTIONOU ONDE ESTÁ O GOVERNADOR NESSE MOMENTO DE CALAMIDADE NO ESTADO?

  6. André diz:

    Fora do pasto, ainda há esperança : http://www.videversus.com.br/index.asp?SECAO=95&SUBSECAO=0&EDITORIA=11888

  7. Marcelo Amorim diz:

    Esse bonequinho vermelho é uma clara alusão ao PT

  8. maria, maria diz:

    E o anescim playboy de periferia, é o guru da poluta dragonyeda. Quanto à inmprensa mineira, como a daqui, está devidamente ame$$trada.

  9. André diz:

    http://www.grupo30.canalblog.com

    30-12-08
    Nome aos bois: a quem serve a mídia?

    Recentemente, o Tribunal de Justiça promoveu um curso dirigido a jornalistas. Com certeza, tal faz parte da nova estratégia do Judiciário em nível nacional, consoante as diretrizes do Colégio Permanente de Presidentes de Tribunais de Justiça: calar a imprensa sob a ameaça de processos, caso divulguem as mazelas do Sacrossanto Poder Judiciário.

    Não posso crer que tenha sido outro o escopo do referido curso; os caprinos jornalistas que compareceram provavelmente saíram de lá com as orelhas bem murchas e amedrontados, afinal, quem gosta de responder a um processo no exercício da profissão?

    Quando decidi denunciar o nepotismo, procurei vários veículos de comunicação: emissoras de rádio, de TV, jornais e sites da internet. Eu não tinha me dado conta, ainda, de que falar genericamente sobre as irregularidades que grassam no nosso país é uma forma de manter a impunidade; enquanto o conselheiro do Tribunal de Contas publicava seu veemente artigo condenando o nepotismo de forma genérico, seu filho usufruía das benesses de ser comissionado no Tribunal de Justiça. Isso só para citar um exemplo.

    A mídia em geral tem se especializado em noticiar de forma genérica tudo o que acontece dentro do Estado, e ir a fundo quando as coisas acontecem lá longe, já notaram isso? Será que a imprensa capixaba noticiou com o mesmo fervor que a gaúcha a prisão dos magistrados no Espírito Santo? Aposto que não…

    Na mesma senda, observem a fúria que o Tribunal de Justiça dirigiu ao nepotismo e às irregularidades aferidas no Tribunal Militar. E por que isso? Ora, extinto o Militar, a verba virá toda para o Justiça. Além disso, atirar pedras no Tribunal Militar irá lançar a chamada cortina de fumaça sobre as irregularidades do Justiça – nepotismo, improbidade administrativa, assédio moral, falta de habite-se do prédio, e tantas outras coisas que eu venho denunciando aqui.

    A RBS, por exemplo, só noticia o que lhe mandam. Ressalvo o trabalho sério de um radialista da Rádio Gaúcha, mas que é obrigado a cumprir ordens (é o emprego dele – era o meu…) Também a Rádio Guaíba tem feito um trabalho sério. E o que é trabalho sério, para mim?

    Trabalho sério, em primeiro lugar, é o respeito pelo ouvinte, pelo leitor; é o compromisso com a verdade, doa a quem doer. Posso afirmar, por exemplo, que o Jornal do Comércio faz um trabalho sério. O SBT também, e dou meus parabéns àquela emissora, que tem jornalistas realmente comprometidos com a divulgação da verdade. O site Videversus também tem este compromisso. E é justamente essa mídia que devemos privilegiar com nossa atenção e leitura.

    Se eu citasse os nomes dos jornalistas que receberam das minhas mãos as provas do nepotismo, os nomes, e nada publicaram, vocês com certeza ficariam surpresos, pois tem muita gente fingindo que bate no Tribunal quando, na verdade, acata todas as suas ordens. Vejam o que faz o Sindjus, Sindicato dos Servidores da Justiça – uma vergonha, como diria o Casoy. Chamá-los de pelegos é dizer muito pouco. Mas este tema vai ficar para a nossa retrospectiva 2008, amanhã.

    Então, o que eu sinceramente desejo para 2009, em termos de mídia, é que as pessoas aprendam a separar o joio do trigo: desejo que as pessoas enxerguem quando são feitas de bobas pela mídia que serve à ditadura do Judiciário. Quero que as pessoas compreendam que falar genericamente contra a corrupção, contra a venda de sentenças, contra a improbidade administrativa, é compactuar com tudo isso. É preciso dar nome aos bois, para que as coisas mudem neste país.

Comente