Policial é expulso por causa de desinfetante

8:40 | 06/02/09 | Jones Rossi

Cabo levou para casa o produto. Devolveu intacto, mas foi expulso quatro anos depois

Um desinfetante de 500 ml, que custa menos de R$ 2 em qualquer supermercado, fez o cabo Gildásio Silva dos Santos, de 36 anos, ser expulso da Polícia Militar. No dia 13 de fevereiro de 2004, quando  era do serviço de administração do 23º Batalhão da PM, Santos levou um frasco do desinfetante Pinho Brill, pertencente ao Estado, para casa. Foi denunciado por duas policiais militares e transferido para o 36º Batalhão. Depois de um processo de quatro anos, em julho passado Santos foi expulso pelo comando da Polícia Militar de São Paulo  “pelo cometimento de atos desonrosos, atentatórios à Instituição e incompatíveis com a função policial-militar”, conforme foi informado no Diário Oficial do Estado, do dia 25 de agosto de 2008*.

No primeiro interrogatório, o cabo Santos se declarou inocente e disse que o desinfetante foi dado a ele pelo ex-soldado temporário Kléber Ferreira. Mesmo tendo devolvido o produto intacto depois que a história veio à tona e ter sido considerado apto a continuar na Polícia pelo Conselho de Disciplina, que optou por uma “sanção não exclusória” , a PM não levou nada disso em conta.

“Houve uma remessa de material para a unidade e eu estava ajudando a descarregar. O desinfetante foi dado a título de doação, como já tinha acontecido antes e com objetos de valores até maiores. Eu peguei o produto, na frente de todo mundo, e levei para a administração. Nem estava precisando, tanto que depois devolvi sem uso”, contou Gildásio. Depois da denúncia das policiais, o comandante do Batalhão no qual Silva trabalhava pediu a devolução do produto e foi atendido no dia seguinte.

No Boletim Geral da Polícia Militar, publicado quatro dias após a portaria no Diário Oficial, o texto diz que “sua experiência profissional na Instituição não lhe permitia cometer erro tão banal”. Em 2004, Santos contabilizava cerca de 12 anos como policial. A Corregedoria também questionou o fato de Santos não ter questionado por que a “doação” estava lhe sendo feita e “como o produto havia chegado a suas mãos (do ex-soldado).” Para a Corregedoria, o cabo “agiu de má-fé” e “ludibriou” a administração militar. No boletim também consta a informação de que “houve a doação de alguns produtos aos policiais militares da sub-unidade a que pertencia o acusado”.

O baixo valor do produto não serviu como argumento. “Não importa se o valor do produto era ínfimo ou não”, diz o texto do processo, “o que está em discussão é a probidade, a legalidade, a moralidade e a honra policial-militar, valores estes que não têm preço”, continua. Por fim, foi definida a expulsão de Gildásio Silva dos Santos, por “incompatibilidade com a função policial-militar”, pelo “atentado contra a Instituição, que alcançou a seara da desonra” e “pelo acusado não ter justificado a transgressão disciplinar cometida.”

A advogada que defende Gildásio, Luciana Tales dos Santos, disse que o ex-cabo, que atualmente trabalha como segurança, deve entrar na Justiça para voltar ser reintegrado à PM. “Embora a gente respeite a decisão da Polícia, certos procedimentos constitucionais e outros que estão inclusive no Regulamento Disciplinar da Polícia Militar não foram adotados. Existem atenuantes que não foram levados em conta.”

Procurada pela reportagem para comentar o caso, a Polícia Militar informou que o cabo foi expulso por ter se comprovado “a prática de atos que contrariam os valores e deveres éticos para o exercício da profissão policial-militar.” Kléber, o temporário que deu o desinfetante para o cabo Gildásio, pediu demissão pouco tempo depois do inquérito da polícia.

GILDÁSIO FALA

- O que aconteceu no dia 13 de fevereiro de 2004?

Houve uma remessa de material para a unidade. Seria a título de doação, como aconteceu antes, algumas até de valor mais alto, como lâmpadas fluorescentes. O temporário Kléber (Ferreira) me deu um desinfetante. Peguei, levei até a administração e deixei lá, e depois levei para casa.

- Como o desaparecimento do desinfetante veio à tona?

Duas policiais me denunciaram. O Comandante me chamou quase um mês depois. Eu nem estava precisando. Devolvi o produto intacto, no dia seguinte depois dele me pedir.

- O que aconteceu depois?

Ele instaurou uma investigação preliminar e depois me transferiu para outra unidade. (Gildásio foi para o 36 Batalhão)

- O que você está fazendo agora?

Uns bicos como segurança.

- Quer voltar para a polícia?

Claro, com certeza. Quando eu comecei não existia SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), a PM fazia de tudo. Atendia parturientes, atropelamentos, mendigos. Meu interesse não é dinheiro. Quando entrei, a gente ganhava 10 salários mínimos, hoje ganha quatro.

*Matéria publicada em novembro de 2008 no Jornal da Tarde (SP)

Tags: , ,

Postado por Jones Rossi, 8:40, 06/02/09, na(s) categoria(s) Uncategorized. Você pode acompanhar os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Deixe um comentário ou coloque um trackback em seu site.

49 comentários para “Policial é expulso por causa de desinfetante”

  1. adamastor diz:

    Uns roubam desifentantes, outrps roubam o Detran, outros ganham mensalão, outros ganham mesada da iniciativa privada e um outro ainda diz que não viu nada…

  2. GBRL diz:

    Agora, sim, o Brasil é um país sério.

  3. Tiele diz:

    O País da justiÇa. Me ‘abóbo’! :T

  4. Armando Pinto diz:

    Se furtou, tem que ser demitido mesmo, não importa o valor do bem. Mas que falta de assunto desta corja!

  5. Van diz:

    Sarney fundador do PFL junto com seu sócio ACM, conhecido letrado e latifundiário bahiano, indicado à Vice de Tancredo Neves (oposição), assumiu à presidência em 1985, diante da comoção de todo o povo brasileiro pela morte de Tancredo.

  6. ZeC diz:

    Armando, já que pregas valores tão probos, uma curiosidade: que achas da questão do Busatto falando sobre desvios em várias estatais, historicamente, ao vice-governador e, de outro lado, a Governadora lamentar tanto a necessidade de demiti-lo do cargo de Chefe da Casa Civil? (Conforme entrevista à ZH)

  7. Jacinto Aquino Rêgo diz:

    Armando Pinto, a culpa foi da YEDA!

  8. SBENTENAR diz:

    - Este Armando Pintcho, deve ser uma cria da NC para aumentar o IBOPE (fora Montenegro) ou um fanático que pensa com a cabeça “naquilo”. Poro Pintcho saruga!!

  9. Armando Pinto diz:

    Para o Jasente Alino Rêgo: Yeda, como aqueles geniais artistas, só terá o reconhecimento público pelos seus brilhantes serviços após terminar sua grande obra, ou seja, após 2014. O TEMPO DIRÁ!

  10. Omar Martins diz:

    Pinto… Yeda… 2014… dosimetria da aplicação da lei penal do Brasil… Credo! Pára o mundo que eu quero descer…

  11. FitoPlancton diz:

    na verdade as duas policiais já estavam de olho no desinfetante, mas o cabo correu na frente e levou o pinho brill pra casa… o que serviu de motivo para alimentar um ódio eterno daquelas duas mulheres… q cousa! a ira feminina!

    kjadf

  12. Todas as mulheres do mundo diz:

    Feitoplanta, vc. é fruta?

  13. ZeC diz:

    Registre-se: bem de acordo com minha expectativa, o Armando não respondeu minha provocação. Compreendo. De repente, ele não sabia.

  14. Arthurius Maximus diz:

    Também concordo com a punição. Se foi provado que ele roubou e ainda por cima mentiu sobre a doação; cometeu dois crimes.

    Contudo, infelizmente, esse caso retrata bem a realidade do que a justiça brasileira é; e como a “mão pesada” da lei é aplicada diferentemente para as várias “categorias” de cidadãos.

    Enquanto o PM é punido por roubar algo que vale 2 reais; o STF dá carta branca para que os que tenham vastos recursos financeiros cometam crimes impunemente, graças aos recursos protelatórios “eternos” de que dispõem os cidadãos abonados de nosso país. O que transforma nosso sistema penal (em palavras de um próprio membro do STF) em algo da “Terra do Faz de Conta”.

    E a nação aceita tudo calada….

    Dizer o que?

  15. Adam Smith diz:

    Na verdade voces nao entenderam direito. O pm caiu na verdade na “pegadinha do mallandro” que rola dentro da corporacao.

  16. Power Guido diz:

    Esses comentários estão cheios de apelidos engraçados, parem com isso! E isso começa com o Seu Armando Pinto, por favor, se é pra comentar cada post, então começe a colocar nome ou endereço do blog para mostrar a cara. e tenho dito.

  17. Juca Brito diz:

    “STF dá carta branca para que os que tenham vastos recursos financeiros cometam crimes impunemente”

    Excelente medida do STF. E não vale só para colarinho branco nem apenas daqui para a frente. Quem já se encontra preso sem o trânsito em julgado terá de ser solto. Finalmente, está se pondo em prática o preceito constitucional de direito ao crime - salvo em especialíssimas condições e com punição devidamente atenuada e protelada.

    Como a barbárie já se instalou há muito por aqui, e os platelmintos não perceberam, pode ser que uma piora dramática acabe convencendo alguns dos tolerantes patológicos. Ou seja, para o crime, a decisão aparentemente favorável do SFT, pode prejudicar os negócios no médio/longo prazo. Pena que a solução chegará tarde para muita gente.

  18. Tiele diz:

    “nome ou endereço”… pra receber livros!
    adoramos presentear os sábios, na Corja! aproveite, Armandão!

    dfsgfads.

  19. Armando Pinto diz:

    O meu nome indica a minha atividade profissional, tendo que manter o sigilo sobre a minha identidade real por motivos óbvios.

  20. Armando Pinto diz:

    Para o Zé classe C: não sou como a maioria; não funciono por provocação, ainda mais as mais baixas.

  21. adso diz:

    parece mesmo que foi pegadinha do malandro da corporação.
    alguém nao gostava do cara e resolveu fuder ele de algum jeito muito idiota.

    ranking da PM de SP:
    afastados por levar detergente pra casa: 1
    afastados por levar grana do tráfico: 0

    ta boa a cousa.

  22. Tito Washburn diz:

    Deixando claro que ele não roubou nada. Roubo envolve violência. No máximo, e nem parece ser o caso, é furto.

  23. Diogo diz:

    É isso aí.

    Começam com um desinfetantezinho qualquer, e logo depois, da noita para o dia, constroem castelos milionários.

    Aliás, o que ele fez [ou deixou de fazer], para essas duas colegas de corporação, para arruinarem a vida dele dessa forma?

    Eu, hein?

    Mulheres, amos vocês!

    Amigo, ok? Ok.

  24. felipe augusto diz:

    Se ele tivesse entrado numa favela qualquer, EXTERMINADO uns cinco BANDIDOS e uns sete CIDADÃOS DE BEM, TRABALHADORES, INOCENTES, ele teria ganhado uma medalha, e não a expulsão.

  25. André diz:

    N otícia velha assim como o post do Jones - o que não tira a relevância dela : http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=13566

    Diárias de até R$ 775 para membros do Ministério Público da União

    (24.11.08)

    Integrantes do Ministério Público da União aumentam seus salários com diárias em valores superiores a até sete vezes o recebido por servidores do Executivo com diárias quando viajam a trabalho. Para estes membros, que ganham salários de R$ 21 mil a R$ 23 mil, o valor de uma diária vai de R$ 700,16 a R$ 775,83.

    O chefe do MPU, o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, recebe quase dois salários mínimos, R$ 816,17 por dia fora de Brasília. É o maior valor de diária pago pela administração pública federal.

    As informações são do saite do Conselho Federal da OAB e também estão disponíveis no portal Terra e na página da Internet do jornal O Dia.

    Um ministro do STF tem direito à quantia de R$ 614, e juízes federais, de R$ 571. O valor para senadores e deputados também é menor: R$ 330 e R$ 300. E o advogado-geral da União e o defensor-público-geral da União recebem bem menos, entre R$ 148,29 e R$ 187,83, conforme a cidade de destino.

    As diárias de procuradores federais, procuradores da Fazenda Nacional, auditores fiscais e delegados da Polícia Federal, sem cargos de chefia, são mais baixas ainda, de R$ 103,08 a R$ 130,56, de acordo com a cidade.

    Os servidores do Executivo são os que recebem a menor diária na administração pública, mesmo quando comparados com aos demais do mesmo nível do Legislativo, Judiciário e MPU. Os valores estão congelados há 13 anos. O Ministério do Planejamento informou que não há previsão de reajustar as diárias do Executivo.

    As diárias foram criadas no serviço público para cobrir as despesas de transporte, hospedagem e alimentação do funcionário que precisa se deslocar para outra cidade. O valor alto causa constrangimento em parte dos membros do MP. O procurador da República em Santa Catarina, David Lincoln Rocha, está movendo ação civil pública contestando a lei que fixou as diárias em 1/30 dos vencimentos brutos dos integrantes do órgão.

    Ele pediu liminar para reduzir a quantia ao valor pago aos titulares das demais carreiras jurídicas da União ou valor máximo de R$ 183,00. Para ele, a lei é inconstitucional porque viola os princípios da moralidade e da eficiência da administração pública.

    O juiz da 1ª Vara Federal em Joinville, Roberto Fernandes Junior, extinguiu a ação sem julgar o mérito, pelo entendimento de que “a matéria não pode ser analisada em ação civil pública, e sim em ação direta de inconstitucionalidade (Adi)”. Inconformado, o procurador David Rocha já recorreu ao TRF-4.

    Questionado se entrará com Adin contra a lei, o chefe do MP, Antônio Fernando de Souza, afirmou que não se manifestaria.

    Pra frente, Braaaaaaaasillllllllllllllllllllllllllll !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  26. Ariela diz:

    agora entendi:
    o pinto é o amante do exu de laquê.
    dureza, hum?

  27. Armando Pinto diz:

    Senhorita Ariela, veja bem como te referes em relação à governadora Yeda Crusius. Podes responder um processo por isso.

  28. marlon diz:

    PROCE$$O

    por certo “jornalista” práticas já utilizada$.

    medo terá, medo terá. hiwdhufshfds

  29. Max Colorati diz:

    É, Ariela, o Pinto tem razão. Você pode ser acusada de ofender os umbandistas!

  30. Armando Pinto diz:

    Este senhor Cocôlorati tb está sujeito a um processo por ofensas a uma autoridade constituída do nosso Estado maravilhoso, que atualmente está sendo maravilhosamente governado por uma maravilhosa mulher, Yeda Crusius. Sr. Cocôlorati, volta para a tua maloca, pois apareces por aqui só para destilar toda a tua falta de esmero no trato das palavras, a tua baixa cultura e educação e a tua deselegância com as pessoas.

  31. GBRL diz:

    Saquei: o Armando tá pegando a Yeda. Botou chapéu de touro no Barbicha.

    Mazá, garôuto!

  32. Armando Pinto diz:

    Yeda é ótima

  33. Armando Pinto diz:

    E esse Marlon é veado.

  34. marlon diz:

    bá, o cara com um nome desses e ainda tem a LATINHA de me chamar de veado.

  35. marlon diz:

    olha o PROCES$$O. sem falar nos CASCUDOS.

  36. Armando Pinto diz:

    Senhor Marlon (boneca), és um homossexual sim senhor, pois não largas do meu pé, ou melhor, do meu pinto.

  37. marlon diz:

    queria ver tu falar isso na minha frente.

  38. Armando Pinto diz:

    Epa! Veado metido a brigão? Que coisa!

  39. marlon diz:

    vai, continua escrevendo essas merdas, protegido pelo anonimato da internet. uma hora tu vai ter problemas.

    além de ter idéias cretinas, é covarde.

  40. Armando Pinto diz:

    Credo!

  41. Rodrigo Alvares diz:

    O Marlon está certo, Armando. Se tu fica aqui querendo causar só porque o teu blog linca o NC, repense o universo e pare de encher o saco.

  42. Juca Brito diz:

    “além de ter idéias cretinas…”

    Ideias cretinas?

    Ótima ideia: http://lablogatorios.com.br/cretinas/

  43. Armando Pinto diz:

    Tudo bem palhaço mor. Isso aqui é uma corja mesmo e eu só queria me divertir. Se está incomodando tanto, ADEUS, por que a diversão acabou e é só isso que esse espaço pode proporcionar, já que o conteúdo é baseado apenas na intenção de realizar uma crítica que chame a atenção. Ou seja, nada do que é informado aqui tem grande valor. Só tentei movimentar um pouco a corja, criando um personagem que irrite um pouco, mas divirta também. Foi bom enquanto durou. E o NC está riscado do meu mapa.
    Good Bye

  44. marlon diz:

    só pra deixar claro: tu não tá “riscado do meu mapa”. se eu ficar sabendo quem tu é e te ver na rua, pode ficar certo que tu vai apanhar pra deixar de ser trouxa. não sou da tua laia para te “mandar livro”, palhaço.

  45. Rodrigo Alvares diz:

    Relaxem, por favor. Isto é apenas um blog. Jeez.

  46. Ariela diz:

    O pinto enlouqueceu de vez.
    Processo?
    Querido, eu amaria um processo que ME acusasse por conta de apelidos.

    Agora, prova aí que você não é homofóbico.
    Homofobia é crime inafiançável
    , rapaz de cabeça de pinto.

  47. Tiele diz:

    Deus, medo do Marlon! ;/

    Eu só consegui rir desse babaca metido a armado! Melhor ignorar do que dar ibópe pra esse sem carater e sem noção do ridículo!

  48. Camilo diz:

    ESTOURA A CARA DELE, MARLON !!!

    _____________________________________
    @Armando Pinto: “criando um personagem que irrite um pouco, mas divirta também.”

    Não conseguiu nem um nem outro. Adeo$, YODA-lover.

    Ahn… Me pro$$e$$a, ok!

  49. Ideias promocionais diz:

    Ideias promocionais…

    A Nova Corja » Blog Archive » Policial é expulso por causa de desinfetante…

Comente