Tag ‘Banrisul’

Ideologia: eu quero uma pra vender

17:31 | 10/03/09 | Rodrigo Alvares

Da coluna Panorama Político, no O Globo de hoje:

Banco do Brasil quer comprar o Banrisul

Quando o governo Lula chegar ao seu final, em 2010, é possível que nenhum banco público estadual sobreviva. O Banco do Brasil já adquiriu o Besc (Santa Catarina), o BEP (Piauí) e a Nossa Caixa (São Paulo). Agora, está negociando o preço da compra do BRB (Brasília) e realizando auditoria para definir o valor do Banestes (Espírito Santo).

Os próximos alvos do BB são o Banpará (Pará) e o Banese (Sergipe). O Caso do Banrisul (RS) é o mais complicado, pois será preciso mudar a Constiuição estadual. Mas no BB se avalia que a compra da Nossa Caixa abriu uma janela ideológica para viabilizar o negócio.”

Se isso acontecer mesmo, vai ser uma graça ouvir os argumentos dos petistas no ano que vem.

Uma foto de sábado para o domingo

17:44 | 01/02/09 | Rodrigo Alvares

Foto: Rodrigo Alvares/ A Nova Corja
banrisulfavela.jpg
A calçada é privada, mas o banco é público

Eu poderia estar pensando em roubar o Banrisul da Avenida Paulista. Poderia tentar sacar dinheiro da minha conta - mentira, fechei há anos. Diabos, eu poderia pedir um patrocínio da estatal para o blog. Mas não, queria apenas registrar o momento, sei lá, semiótico.

Foi apenas mais um momento clássico da inversão de valores dos habitantes do Bovinão. Ao invés de retirar o mendigo da porta do Melhor Porque é Nosso - e ei, nada contra, até acho que ele estava no lugar certo - o segurança da agência me abordou enquanto tentava tirar outras fotos:

Segurança: “O que tu pensa que tá fazendo?”

A Nova Corja: “Nada, estou tentando fazer uma ligação.”

Segurança: “Mentira. Eu te vi tirando a foto do mendigo. Por que tu fez isso?”

A Nova Corja: “Porque eu estou na calçada e ela é pública.”

Segurança: “Não, não é. Ela pertence ao banco.”

A Nova Corja: “Ah, entendi. Então, a porta do Banrisul pertence àquele mendigo? Porque ele parece bem confortável ali.”

Segurança: “Magrão, vaza daqui antes que eu te quebre a cara”.

Diante de tal argumento, resolvi ir embora. Pobre de quem tentar tirar a foto da agência do Banrisul nas Ilhas Cayman.

Se virem, mas divulguem nosso banco

16:09 | 07/12/08 | Rodrigo Alvares

Para deixar de lado pendengas clubísticas herdadas pelo mestre Júlio de Castilhos, segue esse post antes de começar os jogos de Grêmio e São Paulo e já com as últimas conquistas e visibilidade dos Bonecos da Lagoa.

Não está na hora de os dois principais times do Bovinão se livrarem daquele “Banrisul” nas respectivas camisetas? Nada - ou tudo - contra o bancomelhorporqueénosso. Mas convenhamos, a dívida está paga (A/C Paulo Odone, Cc: Vitório Píffero), o governo teve uma baita visibilidade e o diabo a quatro nos últimos anos.

grenal_volta7.jpg

E para o quê? Receber R$ 3,6 mião por ano cada, enquanto os times do Sudeste recebem uma média de R$ 15 milhões. Alguém de fora do pasto vai argumentar: “Então, meu, nossa torcida é muito maior e ganhamos mais títulos. Por que você num torce pro Timão ou pro Palmeiras, que estão sempre ganhando títulos?”.

A minha resposta é sempre a básica para encerrar o assunto: “Olha, só discuto futebol com quem já venceu duas Libertadores para cima”. Mas fujo do assunto.

É insano o acordo de Grêmio e Inter com o desgoverno. A dívida para com o banco está paga - e mesmo que não estivesse - existem mil jeitos de negociá-la. Mas não, Yoda insiste em manter todos os times do Bovinão sob seu cabresto.

Agora, sem essa mongolice bipolar - sim, é difícil, mas vamulá -, tu realmente acha que não tem empresas babando para substituir aquele “Banrisul” nas camisetas? Com um orçamento superior ao que a estatal paga? São cerca de 10 milhões de consumidores com bom poder aquisitivo, apesar da falência estadual.

Antes de surtarem nos comentários, pensem nas principais “Fala, Liderança” dos dois times - exemplos: Odone, Yoda, Záchia, Vaz Neto - e que tipo de acordo foi firmado para renovarem esse patrocínio jurássico.

Bah, isso dava um Super 8

19:10 | 26/11/08 | Rodrigo Alvares

Banrisul Corretora assina parceria para impulsionar o cinema gaúcho

A Banrisul Corretora de Valores firmou convênio com o Sindicato dos Contadores do Rio Grande do Sul para impulsionar a produção cinematográfica no Estado. O presidente da Banrisul Corretora, Alejandro Arandia, considera o acordo peça-chave na parceria da instituição com o desenvolvimento audiovisual gaúcho. “Os contadores são profissionais que trabalham diretamente com os investidores e, dessa forma, são capazes de apontar as vantagens em redirecionar para iniciativas culturais parte da contribuição ao Imposto de Renda, através da Lei de Incentivo à Cultura”, afirmou.

Para viabilizar o projeto, Arandia e o vice-diretor financeiro do Sindicato dos Contadores, Rui Jesus de Barros, assinaram um protocolo de intenções durante a abertura da Mostra Banrisul de Cinema, na Casa de Cultura Mario Quintana. Na oportunidade, a secretária da Cultura , Mônica Leal, destacou que o Banrisul é, hoje, o maior apoiador da cultura do Rio Grande do Sul. O vice-presidente do Banco, Rubens Bordini, salientou que, com o fortalecimento da instituição em 2007, o Banrisul dobrou o investimento em cinema, garantindo apoio a uma grande parte dos filmes produzidos no Estado. (…)

A Mostra Banrisul de Cinema vai até o próximo domingo (30) e apresentará os filmes Houve uma Vez Dois Verões, Extremo Sul, O Homem que Copiava, Diário de um Novo Mundo, Nossa Senhora do Caravaggio, O Cárcere e a Rua, Saneamento Básico - o Filme, Dias e Noites, Tolerância, Valsa para Bruno Stein, Wood e Stock, O Cárcere e a Rua, Netto e o Domador de Cavalos, Manhã Transfigurada e Sal de Prata. As sessões têm entrada franca. A programação completa, com os dias e horários de exibição de cada filme, pode ser conferida no site www.banrisulcorretora.com.br , no link Notícias da Corretora.”

Folgo em saber que o Banrisul não tem coisas mais importantes para resolver.

Vota nóis

15:26 | 24/11/08 | Rodrigo Alvares

Ainda não votou hoje no A Nova Corja para Melhor blog em Português no The Bobs? Ainda tá em tempo para ir lá e espalhar o link para seus amigos. Se precisa de alguma razão, segue abaixo.

tarja1.jpg

Quem tem tem tudu

18:27 | 27/09/08 | Walter Valdevino

Notinha no Correio do Povo deste sabadão:

Ex-assessor do PT diz que conta desapareceu

O ex-assessor parlamentar do PT Paulo Salazar afirmou ontem que irá ao Banrisul solicitar o rastreamento de uma conta poupança registrada em seu nome. De acordo com ele, depósitos e transferências com recursos utilizados em campanhas pelo PT foram movimentados nessa conta. O banco apontou a conta como inexistente. “É muito estranho que tenha sumido. Tenho o cartão para comprovar que ela existe e quero explicações”, disse.”

Vem, abraça eu

11:31 | 16/09/08 | Leandro Demori

Vou deixar registrado nesta máquina do tempo chamada téneti o nome dos órgãos de classe e entidades de imprensa que foram informados por esta Corja sobre a tentativa do Banrisul (= governo Yeda) de calar este blog e a opinião de seus leitores.

Como todas são .orgui (= póbris), sabe como é, os e-mails podem não ter chegado. Então vamos deixar público o pedido de apoio moral. E vai daqui o nosso abra$$o.

Sindicato dos Jornalistas Rio Grande do Sul
http://www.jornalistas-rs.org.br/

Federação Nacional dos Jornalistas
www.fenaj.org.br/

Associação Brasileira de Imprensa
www.abi.org.br/

Associação Riograndense de Imprensa
www.ari.org.br/

Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo
www.abraji.org.br/

Associação Nacional de Jornais
www.anj.org.br/

Ps. A gente jura que entende se os órgãos acima não tomaram partido por que temos um filósofo entre nós. Desligando Walter Valdevino do blog neste momento OK? OK

Qualquer coisa batam ofício na Olivetti, tirem cópias no mimeógrafo e nos enviem facsímile (secretária saindo para comprar bobina) OK? OKKK

Z.Z…z…z..z..Zz.Zz…zZz.ZZz.z… ronc….bulb…….erffff…..Zz.Zz…zZz

O Relatório da Camino

15:32 | 14/08/08 | Leandro Demori

O procurador-geral do Ministério Público de Contas, Geraldo da Camino, divulgou seu relatório sobre a misteriosa compra da meia-água da desgovernadora Yoda. As dívidas pairam sobre a capacidade mágico-matemática de Yoda em adquirir uma casa com comprador interessado em pagar R$ 1 milhão pela merreca de R$ 750 mil.

O empresário que vendeu a laje ao casal Yoda + Barbicha, Eduardo Laranja, tem uns merréis para pagar no Banrisul, como adiantou com excrusividade esta Corja [nossa, que furões que eles são!].

Leia o que diz Geraldo da Camino:

“Estou encaminhando representação ao TCE para ampliação das investigações, pois há ainda alguns aspectos que precisam ser esclarecidos. Preciso de mais tempo para investigar o caso. Até por que a lei é nova, de 5 de junho deste ano, é o primeiro caso nessa nova lei que dá ao Tribunal de Contas competências para investigar avanço patrimonial e processo de enriquecimento de agentes públicos.

Alguns aspectos da defesa ainda precisam ser esclarecidos. Não recebi pressão de governo ou da oposição.”

[Conclusões]
Esta Corja esperava mais do relatório, algo como a implosão completa do desgoverno. (zzzz.z.zzz …. ronc…) A boa notícia é que as investigações serão aprofundadas, o que dá uma chance de 98,75% de bombas nos próximos meses. A parte ruim é que nada da investigação até aqui pode ser divulgada para não melar o restante do processo.

Enquanto isso seguimos pastando.

UPDATE (17h54):

1) Informativo eletrônico n. 011 de 14/08/08 do MPC sobre a representação ao TCE.

2) Os dois primeiros vídeos abaixo são da coletiva do procurador-geral do Ministério Público de Contas, Geraldo da Camino, e o terceiro é do presidente interino do TCE-RS, Porfírio Peixoto, dizendo que não está sabendo nada de nada com nada e mais nada (qualidade de som favela e pobreza A Nova Corja):

Exclusivo ($$$): dívidas do Sr. Laranja com o Banrisul

21:58 | 13/08/08 | A Nova Corja

De tédio não se morre no Bovinão, nosso querido pa$to.

Não é que bem na semana em que o Procurador Geral do Ministério Público de Contas, Geraldo da Camino, irá divulgar seu relatório sobre as desculpas da querida desgovernadora Yoda Cru$iu$ sobre a compra mi$terio$a de sua man$ão, um pombo-lôco-correio dá de cabeça nas vidraças blindadas do 98º andar do Busine$$ Center da Nova Corja Corp. (mudamos de andar por segurança, medo da Tauru$, ok?) e nos deixa um documento MUY intere$$ante.

Lembra de um dos nossos posts que citava o Estadão e dizia isto?:

Além disso, o partido [Pê Tê] quer que o Ministério Público de Contas verifique se o Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) lançou na conta de provisão de créditos de liquidação duvidosa dívidas que o vendedor do imóvel, Eduardo Laranja da Fonseca, teria com a instituição.”

Obviamente todos os bovinóides (zzz…zzz..zzz) ficaram curiosos para saber que dívidas seriam essas de Laranja e sua Self Construtora com o Banri$ul. Pois o pombo-lôco nos esclareceu (quase) tudo. Eis a montanha de dinheiro (clica na imagem para ler maismaiordegrande):

O que isso quer dizer? Muita coisa ou pouca coisa. Que Laranja estava realmente na fo$$a e aceitou vender a man$ão por R$ 250.000 (pobreza) a menos do que foi oferecido a José Luís Borsatto? Ou que está muito estranha essa situação de Laranja, devendo essa bagatela mas não sendo cobrado pelos R$ 2.251.011,28 (pobreza)? Ou a dívida com o Banri$ul não tem nada a ver com a dívida de Laranja com o Itaú (rolos conhecidos dos processos 70025387580, 001/1.06.0200512-8, etc.) usada pelo advogado de Yoda para justifcar os R$ 200 mil que faltam para fechar a conta da man$ão?

Aguardem as cenas dos próximos capítulos.

De tédio não se morre no Bovinão, nosso querido pa$to.

UPDATE (05:03 - zzz…zzz…zzz) - Xiiii. Maldito pombo-correio assanhadinho que andou entrando em outras janelas:

Folha de S. Paulo de hoje (quinta-feira, 14/08/08):

Banrisul só cobrou vendedor de casa a Yeda após escândalo

Banco estatal demora 5 meses para entrar com ação de cobrança de dívida de R$ 2,2 mi

Para oposição, empresário pode ter se beneficiado no banco por causa de relação com governadora; Banrisul e Yeda negam irregularidades”

(more…)

A Nova Corja Con$ultoria Política Ltda.

19:33 | 12/08/08 | Walter Valdevino

Refletindo profundamente sobre a satisfação total do $enador Pedro $imon e do deputado federal Eli$eu Padilha com as explicações de Bu$atto e Feijó sobre a gravação FATAL, Rodrigo Alvares - apesar de todas as restrições impostas pelo governo chinês - e este que vos fala antecipamos o futuro para você, querido(a) leitor(a).

Depois não venha choramingar que não avisamos.

“Fugitivo sent 12/08/2008 19:03:
essa mulher vai cair

Fugitivo sent 12/08/2008 19:03:
pra valer, dessa vez

Walter says (19:00):
negócio tá ultrapassando TODOS os limites

Fugitivo says (19:00):
told you so = dec. 06

Fugitivo says (19:01):
é TODA SEMANA alguma merda

Fugitivo says (19:01):
aí a mulher vem e chama a oposição para uma reunião

Fugitivo says (19:01):
= collor 2

Walter says (19:01):
e nem começou DIREITO Procerg$, DAER, Banri$ul e agência$

Fugitivo says (19:02):
sim

Walter says (19:02):
robalheira do Pê Tê = DERROTA, AMADORISMO

Fugitivo says (19:02):
capaz de derrubarem ela pra não investigar

Walter says (19:02):
KHDKJA
BAH, TÁ AÍ UMA TEORIA INTERESSANTE

Fugitivo says (19:02):
aliás, essa é uma ÓTIMA teoria

Walter says (19:02):
posta

Walter says (19:03):
tá aí?”

19:05 - Hu Jintao manda derrubar a sala de imprensa das OlimPIADAS. Rodrigo Alvares está desaparecido e segue sua brutal jornada como um jornalista fora-da-lei.

Isquesseram da tenéti

10:50 | 31/07/08 | Walter Valdevino

Em meio à falência moral generalizada do Bovinão, nossa querida desgovernadora Yoda Cru$iu$ escreveu um artigo na Folha de S. Paulo desta quinta-feira falando sobre o empréstimo de US$ 1,1 bilhão que a Bovinolândia conseguirá com o Bird (Banco Mundial) para tentar tirar o €$tado mais pulitizadu du Braziu da bancarrota. Não sei se foi erro da a$$e$$oria do desgoverno ou da Folha, mas lá pelo meio do artigo temos isto:

yodaartigo.jpg
Isquesseram us purcentu

Mas tergiver$o. O post é para falar sobre a tal da lei nº 13.020/2008, promulgada ontem, que garante que todo cidadão bovinense tenha acesso, pela tal da tenéti, a informações sobre receitas e despesas do €$tado.

Pois bem, como ninguém deu mais detalhes sobre a lei, tentei procurá-la no Diário Oficial, no site da Corag (Companhia Rio-grandense de Artes Gráficas), responsável pela publicação do jornaleco. Vamos aos passos:

1) Tentativa de ace$$ar o site pelo navegador de tenéti Firefox:

coragfirefox.jpg

Como já tínhamos postado aqui no blog, trata-se da mesma mensagem que aparece quando se tenta ace$$ar, pelo Firefox 3, o home banking do mais mió di bão banco público do univer$o, o Banri$ul:

banrisulfirefox.jpg

2) Única saída: apelar para o navegador de tenéti Internet Bill-Gates-malvado Explorer, onde me deparo com a necessidade de se cadastrar para ace$$ar o querido diarinho:

coragcadastro.jpg

3) Feito o cadastro (login: novacorja; senha: PIG. akdhjas. Mentira.), nos deparamos com isto:

coragfalida.jpg

É a tenéti com horário de repartição pública (faz $entido).

4) Finalmente, depois de horas e horas de muita an$iedade esperando abrir o balcão virtual da Corag, conseguimos ace$$ar a lei:

coraglei.jpg

A pergunta, portanto, é: vamos ter que esperar o desgoverno bovino instalar essa tal de tenéti ou já podemos começar a mandar emails pedindo os gastos detalhados de tudo quanto é lugar (Banri$ul, A$$embléia etc. etc…. zzz…zzz..zzz)?

Banri$ul com problema$

7:45 | 04/07/08 | Walter Valdevino

Um querido leitor enviou print screen de sua telinha:

banrisulproblemas1.jpg

Aliás, esta é a mensagem que aparece quando se tenta ace$$ar o home banking do nosso banco bovino no Firefox 3:

Não foi possível concluir o pedido

ww8.banrisul.com.br usa um certificado de segurança inválido.
O certificado não é considerado confiável porque o certificado do expedidor é desconhecido.
(Código do erro: sec_error_unknown_issuer)

REMEMBER o relatório do TC€ sobre o Banri$ul:

“o Banco acertou com a FAURGS (intermediadora da empresa H9) o pagamento de um valor de R$ 1.793.600,00 (…) para ter acesso ao código-fonte de um software. Entretanto, o dispêndio de tal quantia pela Auditada não encontra justificativa na medida em que o software foi desenvolvido pela FAURGS (…) a pedido do próprio Banco, que pagou integralmente as despesas pelo desenvolvimento do software, de forma que a propriedade do mesmo, bem como o próprio código-fonte, deveriam, de acordo com as práticas de mercado, naturalmente pertencerem ao Banco“.”

Zzzz…zzzz…zzz…

Relatório do TC€ sobre Banrisul/FAURGS

18:15 | 02/07/08 | Walter Valdevino

Agora que vendemos nossa alma para a €squerda e andamos freqüentando coletivas de imprensa do P$OL, nada mais justo do que ganharmos alguns brinde$.

Além de cópia do registro de imóvel da casa da desgovernadora Yoda e da ação por improbidade administrativa, também recebemos anteontem cópia de páginas interessantes do Relatório de Inspeção Extraordinária do Tribunal de Contas do Estado, que realizou auditoria no Banri$ul em busca das falcatruas do banco com a FAURGS, a fundação da Universidade Federal Bovina.

Como você já deveria saber, postamos aqui, em 5 partes (1, 2, 3, 4 e 5) os melhores momentos do dossiê que o vice-governador Paulo Feijó preparou sobre nossa querida instituição financeiro-bovina.

O relatório, portanto, complementa várias informações do dossiê com detalhes precisos sobre as falcatruas. Nele, você encontra algumas constatações $upimpa$ e bastante úteis, principalmente agora que nosso querido banco e seus banners estão na pauta do dia:

- “os contratos realizados pelo Banrisul com a FAURGS (…) foram celebrados de forma irregular, eis que firmados sem o devido processo licitatório, em flagrante infringência ao inciso XXI do art. 37 da Constituição Federal, bem como aos princípios constitucionais da legalidade, da impessoalidade, da isonomia e da moralidade.

- “na execução dos referidos contratos ocorreram ainda irregularidades como a subcontratação indevida dos objetos, aceita de forma passiva pelo Banrisul”.

- “as contratações efetuadas pela FAURGS, a exemplo dos contratos da Fundação com o Banco, foram todos realizados de forma direta, também sem processo licitatório, ou qualquer outro meio de seleção pública, fato que se constitui como um agravante à dispensa de licitação procedida pelo Banrisul, na medida em que a contratação de terceiros (…) caracteriza-se como burla ao processo licitatório“.

- “os contratos (…) de serviços de informática contínuos, essenciais e permanentes (…) deveriam ser executados por servidores do quadro permanente do Banco. Portanto, entende-se como irregular a terceirização dos serviços de informática promovida pelo Banrisul“.

- “as subcontratações efetuadas pela FAURGS (…) eram feitas através de Pessoas Jurídicas constituídas pelos profissionais contratados (quarteirização), fato que pode ser caracterizado como fraude trabalhista.”

- “nos contratos (…) realizados pelo Banrisul com a FAURGS, para prestação de serviços de consultoria relacionados ao projeto Banrisul Sempre (…) o Banrisul não fez, nem solicitou à FAURGS qualquer controle sobre as horas trabalhadas pelos consultores na consecução do objeto, apesar do significativo valor despendido através dos mesmos (R$ 19.780.511,01).”

- Um dos mais dementes de todos: “o Banco acertou com a FAURGS (intermediadora da empresa H9) o pagamento de um valor de R$ 1.793.600,00 (…) para ter acesso ao código-fonte de um software. Entretanto, o dispêndio de tal quantia pela Auditada não encontra justificativa na medida em que o software foi desenvolvido pela FAURGS (…) a pedido do próprio Banco, que pagou integralmente as despesas pelo desenvolvimento do software, de forma que a propriedade do mesmo, bem como o próprio código-fonte, deveriam, de acordo com as práticas de mercado, naturalmente pertencerem ao Banco“.

- “a FAURGS pratica evasão de tributos ao eximir-se indevidamente do pagamento do Imposto de Renda e da Contribuição Social Sobre o Lucro”.

- “a imunidade tributária que a FAURGS indevidamente se atribui constitui-se como vantagem desta (…) sobre os demais concorrentes [em “eventuais processos licitatórios”]”

- “a FAURGS cometeu infrigências a Resoluções do Conselho Federal de Contabilidade (…), em razão de ter omitido receitas nos seus Demonstrativos Contábeis relativos ao exercício de 2006, eis que informou ter auferido uma receita total de R$ 6.294.421,11, quando somente o Banrisul faturou o valor de R$ 24.233.743,65“.

- “as fundações de apoio freqüentemente apropriam-se da responsabilidade social e da força simbólica da “marca” das universidades a que estão vinculadas para firmar contratos com órgãos públicos (…) onde os verdadeiros interesses são somente privados“.

- “existe uma relação de simbiose entre a FAURGS e alguns de seus contratados (…), resultando em favorecimento direto a estes últimos, como se exemplifica pela relação mantida entre a Fundação e o Sr. Daniel de Oliveira Pinto“.

- “Estranha-se o fato de que uma empresa recém constituída (a H9 Projetos Serviços e Consultoria de Negócios Ltda. foi constituída em 21-09-2005), com capital registrado de apenas R$ 1.000,00, e que nunca tinha emitido nenhuma nota fiscal, tenha faturado no período de jan/06 a maio/2007, o significativo valor de R$ 6.984.600,00. Observa-se que das 27 notas fiscais emitidas no período (do no 001 a 027), 21 documentos fiscais foram emitidos contra a FAURGS, fazendo referência genérica ao Projeto “Reformulação do Banrisul“.

- “relação de favorecimento direto que há entre a FAURGS e alguns de seus contratados [”denúncia trazida a esta Corte de Contas pelo Sr. Vice-Governador” (…)]. Ocorre que o Sr. Daniel de Oliveira Pinto, sócio das Empresas LNXOPEN Informática Ltda. (participação de 28% das cotas) (…), e Execução Gestão e Consultoria em Informática Ltda. (participação de 50% das cotas) (…), empresas contratadas pela Fundação para a execução do contrato com o Banrisul, além de obter (para suas empresas) da FAURGS diversos Atestados de Capacidade Técnica convenientes (…) para participação em litações públicas relacionadas a serviços na área de informática, atua, também, como Procurador da FAURGS em processos licitatórios, nos quais poderia, inclusive, participar (através de suas empresas) como concorrente da Outorgante (FAURGS).”

- E disputando com a demência do código-fonte do software, temos, em explicação bastante didática, que… “consta que o consultor Villi Vitório Longhi, da Empresa MBS - Estratégias e Sistemas Ltda., teria, nos meses de junho e agosto de 2007, prestado 800 horas de consultoria, por mês, ao preço mensal de R$ 120.529,94 (R$ 150,66/hora). No mês de julho de 2007, teria prestado 792 horas de consultoria ao preço de R$ 119.324,69 (R$ 150,66). Ora, não seria logicamente possível ao consultor ter efetivamente prestado o número de horas informado (800 horas nos meses de junho e agosto e 792 horas no mês de julho) se um mês de 31 dias (o que não é o caso de junho que tem 30 dias) possui apenas 744 horas (31 x 24h)”.

Clica aqui para baixar o relatório em pdf delícia (tá um caos e com páginas fora de ordem, mas a diversão é garantida).

Novo jeito de aumentar salário

9:30 | 19/06/08 | Marcelo Träsel

A desgovernadora Yoda ontem defendeu o aumento do próprio salário em um discurso para prefeitos de todo o Estado. O pior é que ela tem razão em achar que R$ 7,1 mil é um vencimento ridículo para o cargo mais importante do Rio Grande do Sul. Deve ter até ascensorista da Assembléia Legislativa ganhando mais do que isso.

Ninguém pode ganhar mais do que o governador no Executivo, então a medida permitiria aumentar os salários de secretários e assessores. Quem sabe assim o dízimo partidário conseguiria dar conta das campanhas e não seria necessário desviar recursos do Detran, CEEE, Banrisul…

O problema é que, de novo, Yoda evidencia a mais completa incapacidade política. Deve ter sido difícil para ela decidir se introduzia o assunto agora, ou se aguardava um momento em que seu governo estivesse ainda mais afogado no mar de lama. Afinal, a desgovernadora parece auferir um enorme prazer em fazer as coisas na hora errada.

A desgovernadora também aproveitou para se fazer de vítima mais uma vez, dizendo que será submetida a “testes” e fazendo aquela chantagem emocional imbecil de que a CPI do Detran está “arranhando a imagem do Estado” no resto do Brasil e zzz.zzzzz.zz.zzz. Explicar as afirmações de seu ex-chefe da Casa Civil e como foi feita, afinal, a compra de sua casa, nada.

Momento 3ª idade

19:57 | 30/05/08 | Leandro Demori

Yeda nega venda do Banrisul e diz que banco é a jóia da coroa do RS

“A governadora Yeda Crusius respondeu, nesta sexta-feira (30), à manifestação de interesse do presidente do Banco do Brasil, Antônio Lima Neto, de incorporar o Banrisul à instituição. “O Banrisul não é para vender, é para desenvolver o Estado. O banco é a jóia da coroa do Rio Grande do Sul“, disse a governadora, recebendo aplausos, durante a apresentação do programa estruturante Duplica RS.”

yeda_coroa
Yeda Rorato Crusius, 26/07/1944: Coroa do Rio Grande do Sul