Tag ‘Detran’

Imprensa gaúcha tem um Watergate nas mãos

11:43 | 23/07/09 | Rodrigo Alvares

A história é conhecida e chega a ser um fetiche para os jornalistas, mas quem fizer um paralelo dela com o desgoverno Yeda Crusius (PSDB/RS) vai perceber que a única diferença é que os pilantras de Richard Nixon foram julgados e condenados em dois anos.

nixonfist.jpg

“Henry Kissinger es-tá mor-to, OK? Acabou a coletiva”

As semelhanças são tantas que até os destemperos de Yeda contra seus ex-aliados, a oposição e a Mídia Má encontram-se com as reclamações que Nixon fez quando era presidente, mas tentou remendar em sua autobiografia, “Na arena”, recomendado para a desgovernadora ler enquanto está de férias.

Abaixo, um trecho do mea culpa do ex-presidente americano com a imprensa:

“Sou o primeiro a reconhecer que os políticos poderiam melhorar suas relações com a imprensa. Acima de tudo, eles deveriam tratar os profissionais da mídia com respeito. Eles têm uma tarefa a cumprir. Você deve tratá-los com respeito. Eles têm uma tarefa a cumprir. Você deve ajudá-los a fazer seu trabalho, desde que eles não lhe preguem nenhuma peça

Se até Nixon admitiu isso, não custa muito Yeda revisar tudo e impedir episódios constrangedores como estes, publicados na Zero Hora de hoje:

“Segundo um secretário com acesso à governadora, Lied estava constrangido e quase chorou ao se reunir com Yeda na segunda-feira. (…)

Não consigo compreender por que saiu só Buchmann. Todos os envolvidos no episódio deviam ter sido afastados juntos. Por que esperar? O nosso governo é muito lerdo‘, desabafou um homem de confiança de Yeda. (…)

‘Não foi apenas uma pessoa que criou confusão. Por que pinçar um envolvido (Buchmann), justamente o que está em conflito com o Palácio, e tirá-lo do governo‘, afirmou um dirigente do PMDB.”

Richard Nixon se ferrou por causa da trupe do Monthy Python que o cercava. Yeda Crusius mal consegue controlar seus Três Patetas.

As trampas são intermináveis no Detran

13:03 | 21/07/09 | Rodrigo Alvares

Não tem um dia em que o arrimo das trampas do desgoverno Yeda Crusius (PSDB/RS) - também conhecido como Detran - apareça envolvido em notícias pouco abonadoras. Para não dizer escabrosas:

Lied diz que agiu de boa-fé (Zero Hora)

Foi de boa-fé que o chefe de gabinete da governadora Yeda Crusius, Ricardo Lied, disse ontem ter visitado, na terça-feira, o presidente do Detran, Sérgio Buchmann.

Na ocasião, Lied afirmou ter pedido a Buchmann colaboração para a prisão de Fábio, seu filho de 26 anos, por tráfico de drogas, a fim de que fosse evitado um “final trágico”. Buchmann negou-se a atender ao apelo, e a detenção ocorreu horas depois.

Lied prestou depoimento por 40 minutos à Corregedoria-Geral da Polícia Civil (Cogepol) na noite de domingo. Relatou que estava em seu apartamento na noite de terça-feira quando recebeu uma ligação do delegado Luis Fernando Martins Oliveira, do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc). O policial lhe disse que precisava conversar e pediu para ir até sua residência.

Chegando ao local por volta das 22h, Oliveira relatou a existência de uma denúncia anônima contra o filho de Buchmann. Na versão do chefe de gabinete, como os policiais desconfiavam de que o jovem poderia estar armado e reagir, lhe pediram auxílio para fazer contato com Buchmann e, por intermédio dele, “franquear” o acesso à casa do jovem.

Como não sabia o número do celular do presidente do Detran, Lied ligou para uma secretária a fim de obter a informação. Relatou que, ao chegar ao prédio de Buchmann, o presidente do Detran o recebeu junto ao portão e convidou-o a entrar.

Preferindo permanecer junto à entrada, o assessor perguntou a Buchmann se ele tinha um filho que morava na Cidade Baixa. O presidente do Detran reagiu de forma ríspida, dizendo não ter contato com o jovem havia mais de 20 anos. (…)

Na quarta-feira, Buchmann havia apresentado a Zero Hora uma versão diferente. Segundo ele, os visitantes teriam lhe pedido que telefonasse para o filho a fim de avisá-lo da prisão iminente.

O presidente do Detran entendeu que, se intervisse, Fábio poderia se livrar das drogas em seu poder e, com isso, ele próprio estaria usando seu cargo para frustrar o trabalho da polícia.

Buchmann temia estar sendo empurrado para uma armadilha por Lied e pelos policiais. Fábio é filho de seu primeiro casamento e mantém com o pai uma relação distante.

Na quinta-feira, o chefe de Polícia, João Paulo Martins, havia dito a Zero Hora que os policiais tinham se dirigido ao apartamento de Buchmann na suposição de que Fábio vivesse no local com o pai. Ele declarou não ter conhecimento da presença de Lied.

O chefe de gabinete rejeitou ontem a tese de cilada apresentada por Buchmann e lembrou que a operação estava em andamento quando eles procuraram o presidente do Detran.

Lied também rebateu uma insinuação de Buchmann feita em entrevista ao programa Atualidade, da Rádio Gaúcha, na manhã de ontem. O presidente do Detran afirmou que o assessor demonstrou medo de ser gravado por câmeras de vigilância em frente ao seu prédio.

Segundo Lied, ele estava apenas preocupado em não importunar os vizinhos mais próximos da entrada do edifício.”

Tá. Arrã. Deve ter sido por isso que Lied disse há pouco na Rádio Gaúcha que conversou com Yeda Crusius sobre o caso. E afirmou que ela teve a mesma interpretação que a sua: o aviso sobre a prisão do filho de Buchmann não teve conotação política.

As trampas do Detran não acabam

14:51 | 06/05/09 | Rodrigo Alvares

Lembranças da Rodin (Rosane de Oliveira/ ZH)

Em reunião com representantes do Sindicato dos Servidores do Detran, o deputado estadual Fabiano Pereira (PT) mostrou aos sindicalistas cópia de um relatório da Polícia Federal.

O documento detalha mandado de busca e apreensão realizado na empresa Rio del Sur no dia em foi deflagrada a Operação Rodin.

O texto diz que na empresa, registrada em nome de familiares de Lair Ferst, réu no processo da fraude no Detran, foi encontrada farta documentação referente à Atento Service.

Ao comentar a apreensão, analistas da PF levantaram a possibilidade de haver vínculo entre Lair e a Atento.

- Fabiano quer ouvir a delegada Estella Maris Simon na Comissão de Serviços Públicos da Assembleia, por ele presidida.”

Mas o melhor foi Yeda reconhecer dívida com guincho.

Feliz Natau, Braziu

18:17 | 24/12/08 | Leandro Demori

gabibbo.jpg

E que 2009 ainda pior do que 2008 (porque a gente precisa continuar tirando onda de alguém).

Saiu barato

22:09 | 19/12/08 | Rodrigo Alvares

Procuradoria denuncia nove por suposto esquema de caixa dois no Detran-RS (Folha)

O Ministério Público Estadual do Rio Grande do Sul denunciou à Justiça nove pessoas por suspeita de participação em um esquema de superfaturamento e caixa dois no Detran (Departamento Estadual de Trânsito) do Estado.

Conforme a acusação, foram desviados R$ 1 milhão entre 2006 e 2007. O dinheiro saiu de pagamentos feitos pela Fenaseg (Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados), que fazia pagamentos a empresas que prestavam serviços utilizados pelo Detran.

A Fenaseg gerencia os recursos do DPVAT (seguro obrigatório) e destina 1% do total pago pelos contribuintes para financiar campanhas de educação no trânsito indicadas pelas autoridades de trânsito dos Estados.

Entre os acusados estão dois ex-presidentes do órgão, Carlos Ubiratan dos Santos e Flávio Vaz Netto, que responderão por peculato (desvio de dinheiro público) e lavagem de dinheiro. (…)

O MP investigou apenas parte dos pagamentos e concluiu que a empresa Tops Consultoria foi usada para desviar R$ 939 mil do R$ 1,4 milhão que recebeu.

De acordo com a denúncia, a Tops, que era responsável pela informatização do sistema de multas, fez pagamentos de R$ 270 mil a uma padaria de seus sócios –o que sustenta a acusação de lavagem de dinheiro.”

Vota nóis - 3

10:54 | 26/11/08 | Rodrigo Alvares

ytnc.jpg

Ok, concordo que é chatice. Mas como hoje é o último dia para votar em nóis no The Bobs, aproveite e relembre isso, isso, isso e isso. Posts que lhe proporcionaram tantas risadas.

Mesmo quando a história era - e ainda é - séria.

busattochora11.jpg
“Deus, quanto mais vou ter que chorar até pararem de usar essa foto?”

Será que ainda está decorando o que vai falar?

17:01 | 24/11/08 | Rodrigo Alvares

Agora entendi a razão da “reunião interna” desde as 9h:

Governadora deve depor no Piratini sobre Caso Detran

A governadora Yeda Crusius irá depor no julgamento do processo da Operação Rodin, que tramita na Justiça Federal de Santa Maria. Ela foi arrolada como testemunha pela defesa do ex-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) Flavio Vaz Netto.

Segundo a assessoria de imprensa do governo, o depoimento será marcado de acordo com a disponibilidade de Yeda, que será ouvida no Palácio Piratini. Vaz Netto esteve entre as 13 pessoas presas pela Polícia Federal em novembro do ano passado, na operação que trouxe à tona a fraude de mais de R$ 44 milhões no Detran.

Um dia após a prisão, Vaz Netto foi exonerado do cargo por Yeda. Em depoimento à CPI do Detran, ele disse que a demissão foi ‘atitude de extrema deslealdade da governadora’.”

Seria interessante que a assessoria do Piratini divulgasse a quantas anda a “reunião interna” - se Yeda começou a decorar o que falar, foi mudar o penteado, enfim - porque estou muito preocupado que a Agência de Fotos do site do desgoverno só tenha quatro delas à disposição hoje. Nenhuma com Yeda à frente das lentes.

A Nova Corja avisou

18:42 | 31/10/08 | Rodrigo Alvares

Como prometido, começamos hoje a série de flashbacks dos envolvidos em supostas irregularidades no governo do Bovinão. Hoje, o deputado federal José Otávio Germano (PP). Amanhã, não sei. Envie uma sugestão.

Foto: Daniel Marenco/ ZH
68609post_foto.jpg

Terror e abandono em Napa Valley

Dois momentos bacanas do depoimento do ex-secretário de Segurança do Bovinão à CPI do Detran.

Quem precisa de José Otávio Germano?

“Yeda me disse: ‘Secretário, é complicado, mas não posso perder o apoio do deputado José Otávio Germano‘”. - Enio Bacci, em entrevista ao jornal Zero Hora

Padrão Funai de Jornalismo Investigativo

Divulgação
detran.jpg

Liderança segurando no osso e o e$quemão qualificado

Diálogo entre a advogada Patrícia Bado, mulher de Carlos Ubiratan dos Santos, o ex-presidente do Detran, e o deputado federal e ex-secretário de in$egurança no governo Germano Rigotto, José Otávio Fala, Liderança! Germano (PP).

Podemos organizar a festinha de um ano

18:53 | 30/10/08 | Rodrigo Alvares

Tribunal de Contas nega aposentadoria a ex-presidente do Detran (ZH)

“Flávio Vaz Netto, réu no caso Detran, teve o registro de aposentadoria negado na tarde desta quinta-feira no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Um dos pontos fundamentais para a decisão foi a rapidez com que o pedido de aposentadoria foi atendido. Consta no processo que Vaz Netto foi aposentado no dia seguinte a sua prisão pela Polícia Federal, há quase um ano. A operação foi desencadeada em 6 de novembro de 2007.”

Falta desbaratar muitas outras coisas, mas também explica muito a viagem da desgovernadora a Brasília ontem. Espero mesmo que o procurador-geral do Ministério Público de Contas, Geraldo Da Camino, entregue logo mais um relatório para encerrar esse assunto até o fim do ano, ao menos.

$chirmer = Pen$ant III

9:22 | 18/08/08 | Walter Valdevino

Gaúcho é tudo goLLpista mesmo.

Mal publicamos o póste abaixo e já recebemos email linkando para um vídeo (”Adicionado em: 17 de agosto de 2008“) supimpa do maior intelectual bovino (A/C Adil$on Troca) registrando seu apoio e carinho a Schirmer e ao vice Bisogno durante as eleições municipais de 2004.

Confira djá:

Ah, sim: Schirmer perdeu a eleição para o atual prefeito Valdeci Oliveira (Pê Tê).

$chirmer = Pen$ant II

15:16 | 16/08/08 | Leandro Demori

Já que amanhã tem debate lá na Boca do Monte, vamos deixar aqui um póstezinho de final de semana para nossos 2,5 leitores desocupados. Lembra do nosso póste que dizia o seguinte?

“$$ - A ligação é bem clara: nas eleições de 2006, a Pensant ajudou a financiar duas campanhas eleitorais, não por acaso, ambas de Santa Maria, sede das fundações que serviram à bandidage para afanar dinheiro público. Os nomes: Tubias Calil e Cezar Schirmer.”

Pois é. Para facilitar mais ainda sua vida, caro leitor, leia esses dois trechos de conversas interceptadas pela PêÉfe durante as falcatruas do Detran.

TRECHO 1

Conversa de Ferdinando Fernandes com Tubias Calil, por telefone, feita no dia 28 de junho de 2007, às 19h05min. Tubias fala de um jantar para Ferdinando
- Tubias - Show de bola. Tava o Mário Gaiger (presidente da Fundae), o Padre Xiko, o Sarkis (ex-reitor da UFSM). Até agradeceram em nome da Fundae.
- Ferdinando - Ah, que legal que citaram. Não pude ir.
Telefonema feito por Ferdinando a Tubias, no dia 25 de julho de 2007, às 11h25min. Ferdinando e Tubias conversam sobre a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores:
- Ferdinando - Eu nem acho uma boa tu pegar de presidente na Câmara no último ano, porque aí tu fica… Tudo que acontece de errado é tu o responsável. E o Romero (Isaías, vereador) pode ser o ano que vem de novo?
- Tubias - A não ser que o Schirmer (Cezar Schirmer, deputado federal)…(trecho inaudível). Eu vou encher de gente aquelas casas ali (casas de filantropia). Tu tinha me pedido duas entidades. Para que era?
- Ferdinando - Era para pegar os computadores com o Ministério.

TRECHO 2

Em conversa do dia 23 de julho de 2007, às 14h17min. Tubias intermedia um contato entre Ferdinando Fernandes e o vereador Isaías Romero (PMDB). Os três falam sobre a saída de Romero do PDT para entrar no PMDB:
- Diálogo transcrito pela força-tarefa - Isaías (Isaías Romero) diz a Ferdinando que vai retribuir o favor. Isaías ingressa no PMDB apenas para pegar a legenda. Tubias diz que está na Câmara de Vereadores de Santa Maria, com o presidente. Ele quer saber quando tu (Ferdinando) vai resolver o problema dele (presidente da Câmara). Ferdinando diz que na sexta-feira não deu, mas que hoje vai conseguir aquilo lá. Presidente da Câmara diz que vai ficar eternamente grato. “Vou saber te retribuir isso aí”. Ferdinando diz para Romero ficar tranqüilo, “Vamos naquela linha que já falamos. Vamos ganhar a eleição e voltamos depois para lá”. Presidente da Câmara diz que “vou para ali (PMDB) só para pegar a legenda e depois volto, pois me eleger, eu vou.”

Legauzinhu, néam? Então, para deixar tudo bem amarrado e fechar mais um capítulo dessa história, esta Corja reproduz abaixo um folder impresso para a campanha de 2006. O material saiu de uma consagrada gráfica de Porto Alegre que garantiu não fazer material de campanha. “Não vendemos para políticos, muito calote”, disse a fonte da referida gráfica. “Só aceitamos imprimir o material por que o pagamento seria feito através da Pensant”.

schirmer_tubias.jpg

Bom final de semana.

FUNK DO DETRAN II (é um avancé)

2:46 | 12/08/08 | Leandro Demori

Só mesmo novas gravações da PF para tirar MC Demori de sua banheira de moedas da Coroa (pronúncia francesa para Demori, por favor, Dê-mô-rrríí). Como o MPE Bovino decidiu jogar mais áudios no meu ventilador de teto rapper em forma de Mustang, tirei um pouco da poeira do toca-discos-digital-importado-e-caro para fazer uns méxãps básicos. Espero que vocês gostem da nova música de trabalho, que me tomou mais de 3 horas de vida, aproximadamente 78 mil €uros [meu contador faz “sim” com a cabeça enquanto contabiliza o prejuízo].

Vou deixar que todos baixem o Funk do Detran II (é um avancé) de graça, OK? Mas depois, c´mon, comprem o disco, OK? Preciso mandar reformar o porta-jóias e comprar uma Magnum dourada nova que a minha já tem dois rivais na ficha. E eu detesto ter que gastar dinheiro para subornar a £ei.

Facilitei [estou muito facilitão hoje] e postei a letra logo abaixo.

Beijo.
MCD.

By ™ José Otávio “Fala, Liderança” Germano, Antônio Dorneu “É um avancé” Maciel, João Luiz “Papai Noel” Vargas, Rubem Höher, Luiz Paulo “Buti” Germano e Edu. COORDENADOR DE SWING: MC Demori

Oi
Oi, doutor Maciel
Ahn?
O deputado quer falar com o senhor, posso passar?
Pode

Oi, querido
Barão te ligou?
Não. Ele vai me ligar?
Hein?
Barão te ligou?
Não
Então amanhã manda ele me passar o santo
É um avancé

Hein?
É um avancé
Hein?
É um avancé

Aí eu falei que tu já tinha entregue aqueles primeiros cadernos
Sim
Tô aqui pra nós… completarmos a documentação

Conversei com o Campeão ontem de manhã, só não recebi os livros que ele ia me entregar
Mas acertou?
Não, ele disse que na semana que vem a gente evolui

É um avancé
É um avancé

Quanto que é?
Sete um
Veio sete zero
Tá bom
Então fiocu um pra trás, depois eu pego
Veio sete zero
Tá bom
Entendeu?
Entendi
Tudo OK

Beijo
Beijo
Beijo, tchau
Beijo

É um avancé

Veio sete zero
Tá bom
Veio sete zero
Náá, não te preocupa

Deixa eu só espirrar, só um pouquinho
Atchim! Atchim!

E o João Luis me ligou, diz que quer entregar uns precatórios hoje de tarde

Má não dá folga pra ele, não deixa ele solto

Tchau, Chefe do Terreiro!

República de Santa Maria = bandidági

2:07 | 09/08/08 | Marcelo Träsel

Republica de santa maria

Carro oficial é usado em furto em Santa Maria

Foto: Cláudio Vaz/Zero Hora.

Lair acusa Yoda - fodeo

8:14 | 06/08/08 | Walter Valdevino

Se tem uma coisa delícia sempre que estoura alguma maracutaia é quando o pessoal magoadinho resolve abrir a boca.

Lair Fer$t, o empresário que comandou toda a primeira fase do e$quema de roubalheira do Detran e foi pego com a boca na botija tentando sacar a merreca de R$ 200 mil na semana passada, resolveu falar. Lair, o ex-Mi$$, se desfiliou do P$DB há alguns dias e tem andado bastante magoadinho com a tucanagem desde que foi jogado para escanteio pela desgovernadora e pelo maior intelectual bovino, o Prof. Fernande$, da Con$ultoria Pen$ant.

Em mais um furo na mídia má local (zzz…zzz…zzz), Lair resolveu falar para a mídia má paulistóide. Em entrevista publicada na Folha de S. Paulo de hoje, Lair, que está prestes a fechar um acordo com o Ministério Público Federal em troca da retirada de parte das acusações contra ele, acusa diretamente a desgovernadora de reestruturar o esquema de fraude no Detran com a troca da Fatec pela Fundae.

Principais trechos da matéria e da entrevista:

Acusado de desvio no Detran-RS muda versão e agora envolve Yeda

(…)

O empresário Lair Ferst, acusado de ser um dos pivôs do desvio de R$ 44 milhões do Detran-RS, envolveu ontem pela primeira vez a governadora Yeda Crusius (PSDB) na fraude.

Uma semana depois de se desfiliar do PSDB, Ferst -que ajudou a coordenar a campanha de Yeda em 2006- afirmou em entrevista exclusiva à Folha que foi uma decisão da cúpula do governo reestruturar o esquema de desvio.

O empresário negocia com o Ministério Público Federal e com a Justiça implicar cerca de dez nomes de integrantes e ex-integrantes do primeiro escalão do governo gaúcho, além de pessoas com foro privilegiado, em troca da retirada de parte das acusações contra ele.

(…)

As novas informações que Ferst promete acrescentar se referem à chamada “fase dois” da fraude -quando o Detran substituiu, em maio de 2007, a Fatec pela Fundae, ambas fundações ligadas à Universidade de Santa Maria.

(…)

Agora, Ferst afirma que era amigo da governadora e que foi recebido mais de uma vez por Yeda depois da posse. Segundo ele, a reestruturação da fraude, com a troca de fundações, foi decisão política do governo. “É público e notório que houve o envolvimento da governadora nesse processo”, disse ele.

(…)

A reavaliação de sua estratégia de defesa ocorreu após o cancelamento do depoimento que prestaria à Justiça Federal no dia 20. Aprovada este ano, a lei 11.689 altera o curso do processo criminal, deixando para a última fase os depoimentos dos réus. Além da razão processual, Ferst mostra-se magoado com o “abandono” de tucanos.”

O trecho fatal da entrevista:

FOLHA - A troca de fundações foi fruto de decisão do governo?
LAIR FERST
- Não seria possível essa mudança sem orientação política de governo, sem respaldo político.

FOLHA - Do alto escalão?
FERST
- Do governo como um todo, na sua plenitude.

FOLHA - Da governadora?
FERST
- Na CPI do Detran, o próprio [ex-] presidente do Detran, Flávio Vaz Netto, disse que teve reuniões tratando deste assunto [com Yeda]. Ela se reuniu também com sindicatos de examinadores. É público e notório que houve o envolvimento da governadora neste processo. […] Aparecerão nomes que não foram nem citados no inquérito. Há vários personagens que não foram citados que poderão a ter sua participação esclarecida.”

O outro lado (zzz…zzz…zzz…):

“Por meio de sua assessoria de imprensa, a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), que cumpria agenda em Brasília ontem, afirmou que não tomou conhecimento da fraude do Detran antes da deflagração da Operação Rodin, da Polícia Federal, em novembro do ano passado.

“Se ela tivesse tido conhecimento, teria feito o que sempre faz quando surge alguma denúncia: mandado apurar“, disse o assessor Joabel Pereira, repetindo um argumento já apresentado anteriormente pela governadora quando foi questionada sobre o assunto.

(…)

Escalado pela tucana para falar sobre o papel de Ferst durante a campanha eleitoral de 2006, o deputado federal Cláudio Diaz (PSDB), um dos coordenadores da campanha, afirmou que o empresário não tinha participação em decisões importantes na eleição de 2006.

Desconheço qualquer papel dele na coordenação, ele raramente aparecia no comitê. Vi o Lair eventualmente em alguma ação de rua“, disse o deputado tucano.”

Decadência e pobreza

16:52 | 30/07/08 | Walter Valdevino

É claro que você já ouviu 500 vezes no repeat o Funk do Detran, nossa super produção musical que estourou em todas as paradas. É óbvio também que você já conhece de cor um dos principais trechos do funk:

Eu cobrei: um milhão e meiô
Tá?
Eu cobrei: um milhão e meiô

Diante disto, é simplesmente chocante que o lobista Lair Ex-Mi$$ Ferst, cujos bens estão bloqueados pela Ju$tiça, tenha tentado sacar R$ 200 mil em dois bancos da capital bovina. É muita pobreza. É muita falta de cla$$e.

R$ 200 mil não é nem a metade do que cada um de nós aqui do blog recebe por mês de propina para sustentar nosso claro e evidente comprometimento ideológico.

Estamos MUITO decepcionados, Lair. Você já teve mais cla$$e.

Do blog da Rosane de Oliveira:

Policiais federais gaúchos impediram hoje o lobista Lair Ferst de burlar a decisão da Justiça Federal que bloqueou suas contas bancárias.

Indiciado pela Polícia Federal na Operação Rodin, Lair foi abordado no momento em que tentava efetuar saque de R$ 100 mil, em espécie, em uma agência bancária em Porto Alegre. Ele já tinha feito previsão de saque de outros R$ 100 mil em outra agência. O dinheiro havia sido transferido via TED nominal a Lair, momentos antes.

Os policiais agiram em cumprimento à ordem judicial que determina o bloqueio dos bens e contas bancárias de Lair, que após ser indiciado pela PF, foi denunciado pelo Ministério Público Federal e atualmente responde a processo criminal na Justiça Federal de Santa Maria.”