Tag ‘favela’

Me prometeram a Expointer

15:52 | 31/08/08 | Rodrigo Alvares

As coisas que o vivente não recebe aos domingos. As carroças pela cidade foram a atração turística mais intrigante para meus colegas do curso quando passamos por Porto Alegre. Ganhou até do Museu da RBS montado na Usina do Gasômetro.

Leilão é cancelado e cavalos vão para uma ONG

logo_menu.jpg
Alô, Pê Tê?

“O leilão da EPTC - de cavalos apreendidos por maus-tratos - programado para acontecer neste sábado, 30 de agosto, foi suspenso, e agora aqueles 28 cavalos e 1 burrico estão livres da carroça ou do abatedouro. A maior parte trabalhou por mais de 20 anos, sustentando 4 gerações de carroceiros.

Os grupos Porto Alegre Melhor e Chicote Nunca Mais entraram com ação no Ministério Público no dia 25, o que resultou em um acordo entre EPTC e Chicote Nunca Mais, intermediado pelo MP, repassando os animais para uma ONG de eqüoterapia. Agora, a intenção das ONGs envolvidas na libertação dos cavalos em Porto Alegre é implantar chips de identificação para segurança e controle, evitando extravio, revenda ou mesmo furto dos eqüídeos.

homepage_foto_14.jpg
Esteio é pra lá?

Apesar da vitória, toda ajuda se faz necessária neste momento delicado, e quem já estava mobilizado para ’salvar’ cavalos no leilão pode seguir ajudando de diversas formas.”

Porto Alegre virou uma favela. E vai piorar

19:04 | 24/06/08 | Rodrigo Alvares

niver.jpg

Também estão convidados todos os carroceiros que atravancam as ruas da cidade, as crianças de rua que aprenderam malabares em oficinas de inclusão social e não saem das sinaleiras porque a rua é um espaço lúdico - como uma secretária da Juventude declarou ao Estadão, em 2004 -, os camelôs que dominam o centro, as máfias das cooperativas de llixo, os engenheiros que compraram alvarás para construções irregulares - como a Igreja Universal - e, por último mas não menos importante, toda a tigrada que se instalou a mando do PT como uma verdadeira quadrilha nas seções do Orçamento Participativo.

Ju$tiça du Braziu = favela mental de terno

15:29 | 30/05/08 | Walter Valdevino

Como vários de vocês já devem saber, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) deu início à favelização das eleições municipais de 2008 obrigando o jornalista Pedro Dória a tirar de seu blog os banners de apoio ao candidato Fernando Tanga de Crochê Gabeira (PV-RJ).

pedrodoriacensura.jpg
Errado. Tinha que ser “Censurado pela favela monumental que controla o Bananão”

Pedro Dória, um dos 25 leitores desta Corja, iniciou em 18 de janeiro deste ano uma campanha para que Gabeira se candidatasse à Prefeitura do Rio. O movimento tomou corpo e pesou para que o deputado aceitasse entrar na disputa. Dória, então, colocou logos apoiando o SEU candidato em SEU blog pessoal.

Dando continuidade ao banditismo fora de controle do T$€, o TRE-RJ levou a sério uma “denúncia” sobre a campanha e intimou Gabeira a pedir a retirada do material do site.

Can$ei. Tudo que eu tinha para comentar já comentei no post sobre o T$€. Agora, só me resta CONCLAMAR (baixou um espírito DCE aqui) as massas que usam internet no Braziu (mil pessoas) a fazer o óbvio: começar a declarar sem fim e sem limites apoio aos seus candidatos. Em toda parte, em todo lugar, sem parar um segundo. Zzz..zzz..zzz.

Única forma de TOCAR FOGO nos TREs até que eles parem com essa favela (não vão parar).

Para a próxima semana, AGUARDEM o início oficial da CAMPANHA ELEITORAL NOVA CORJA.

Teto salarial de R$ 100.000 djá!

20:35 | 02/04/08 | Walter Valdevino

Os minimamente interessados na relação entre democracia e internet já estão sabendo da bomba que estourou há alguns dias: a mídia má, feia e bobona descobriu no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a resolução 22.718, de 28 de fevereiro de 2008 (aqui, em PDF).

A resolução, de relatoria do dotô Ministro Ari Pargendler e em vigor desde a data acima mencionada, “dispõe sobre a propaganda eleitoral e as condutas vedadas aos agentes públicos em campanha eleitoral” para as eleições municipais de 2008.

O Art. 18 do Capítulo IV da obra prima dos dotô do TSE diz o seguinte:

A propaganda eleitoral na Internet somente será permitida na página do candidato destinada exclusivamente à campanha eleitoral.

Isso significa que os candidatos só poderão divulgar suas idéias através daquela aberração sem limites que já foi utilizada na eleição passada, os sites no modelo www.candidatonumero.can.br. Mais ABSOLUTAMENTE NADA poderá ser utilizado para divulgação do candidato na redinha. Claro, o site só poderá entrar no ar a partir de 6 de julho de 2008.

O Caderno Informática da Folha de S. Paulo de hoje traz mais alguns detalhes:

Sem Facebook, MySpace e YouTube, provavelmente a campanha de Barack Obama à Presidência dos EUA não teria alcançado tanta repercussão. O “candidato 2.0″, que tem perfil em redes sociais e trava debates on-line, conseguiu arrecadar US$ 135 milhões, até janeiro, via doações de internautas.

(…)

Se um eleitor quiser fazer propaganda em seu blog ou no Orkut, poderá ser impedido -também há risco de multa para ambos.

(…)

De acordo com o presidente do TSE e ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Marco Aurélio Mello, o objetivo é equilibrar a campanha. ‘Se não, quanto maior o poder de penetração do candidato e seu poder econômico de arregimentar gente para ter blog, ele terá maior propaganda, desequilibrando a disputa’.”

Dado o nível de demência, o Con$elho €ditorial da Nova Corja tem a seguinte proposta: fixar o teto salarial de qualquer dotô que tenha cargo de decisão no Braziu em R$ 100.000,00 mais ajuda de custo para 1 viagem internacional por ano. O ano dos dotô ficaria, portanto, assim dividido:

- 6 meses de viagem por ano, com tudo pago, obrigatoriamente para países decente$ (= ter internet e democracia);
- 2 meses para tentar refletir sobre o que viu;
- 3 meses de férias “oficiais” para refletir mais ainda;
- 1 mês de trabalho para tomar decisões importantes;

Quem sabe assim nossos dotô não consigam aprender 1) o que raios é democracia; 2) como participação popular não está limitada a épocas de eleição; 3) o que raios é internet (já que ela ainda não chegou no Braziu e, pelo jeito, nenhum dos dotô tem email; 3) como funciona o mundo; 4) por que é necessário cuidado para não sucumbir aos danos cerebrais que um diploma em ad€vocacia pode provocar.

Talvez assim o dotô Marco Aurélio MeLLo deixe de falar tanta MERDA SEM SENTIDO. Talvez assim ele e seus colegas dotô deixem de achar que a juventudi dus tecladu será instantaneamente abduzida pelo “poder de penetração do candidato e seu poder econômico”. O dotô MeLLo deve achar que essa tal de internet malvada, feia e bobona é igual à televisão, esse instrumento maléfico e de cooptação a serviço do PIG.

Nossa favela moral jamais terá limites.

Favela no poder

11:47 | 15/01/05 | Walter Valdevino

Na primeira reforma ministerial, que aniversaria em dias, o presidente criou num único ato 1.322 DAS [ocupantes de cargos de confiança na administração pública], sem contar as novas gratificações para assessores. Em apenas sete meses, 1.122 haviam sido nomeados.

No dobro do tempo, o Primeiro Emprego empregou, com carteira assinada e mediante incentivo aos empresários, 2.583 jovens entre 16 e 24 anos, faixa na qual o desemprego é mais grave.

Texto inteiro aí embaixo:

(more…)