Tag ‘Fogaça’

Reuniões em Rainha do Mar, Fogaça

2:43 | 15/07/09 | Rodrigo Alvares

PMDB estuda data de saída do governo (ZH)

Em almoço na Assembleia Legislativa hoje, o presidente estadual do PMDB, senador Pedro Simon, deve discutir com deputados estaduais a melhor data para deixar o governo Yeda Crusius.

Como o partido terá candidato ao Palácio Piratini em 2010, a ideia é dar prioridade à definição do prazo de desembarque.

Simon defende que a legenda deixe o governo quando houver um período de ‘normalidade’ na gestão. O objetivo é sair sem romper com Yeda. A orientação será para que o partido aprove projetos na Assembleia.”

A eleição do ano que vem promete. Mais detalhes na sequência.

Pedro Simon, Paladino da Ética

18:37 | 25/06/09 | Rodrigo Alvares

Foto: Agência Brasil
simas2.jpg
“Se o Fogaça teve algum ato secreto? Nem isso ele conseguiu em 16 anos”

Amigo Poeta, escuta este meu desabafo

14:38 | 07/04/09 | Rodrigo Alvares

Yeda qualifica Fogaça de “querido amigo” (ZH)

Governadora tenta se reaproximar de prefeito em encontro

Cinco dias depois de um estremecimento provocado pelo veto à apresentação da primeira-dama Isabela Fogaça num show antes de Brasil X Peru, no Estádio Beira-Rio, na semana passada, a governadora Yeda Crusius abraçou o prefeito José Fogaça num gesto de apaziguamento. O encontro ocorreu na abertura de uma reunião da governadora com prefeitos, ontem, no Hotel Embaixador.

‘Meu querido amigo, amigo de todas as horas. Temos respeito mútuo, amizade, um bem-querer danado. Seja bem-vindo aqui – disse Yeda’, em meio ao discurso.

Fogaça chegou atrasado ao evento. Quando se dirigia à mesa de autoridades, Yeda chamou-o. Os dois trocaram um abraço rápido. Na solenidade, o prefeito estava próximo à governadora, mas não foi convidado a se manifestar. Coube ao presidente da Federação de Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Elir Girardi, discursar em nome dos prefeitos.

‘Repeti a Fogaça o que digo todos os dias a ele e ele me diz: ninguém vai nos intrigar. A nossa posição política, história de vida e vida em comum no Congresso simplesmente não será intrigada. A campanha eleitoral é no ano que vem‘, explicou Yeda a repórteres. (…)

Um dos únicos momentos de irritação de Yeda foi ao responder a um repórter se o encontro com prefeitos não era semelhante ao do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, contestado pela sigla da governadora, o PSDB.

‘Não tenho barba nem me chamo Dilma (Rousseff). Você está fazendo intriga‘, afirmou.”

Para variar, Yeda entrou em modo psicótico/obsessivo e acabou por intrigar quem estava presente sobre o que já deve estar acordado para as eleições do ano que vem. Mas o resto é intriga, deixa quieto.

Perdi miseravelmente

19:35 | 23/03/09 | Rodrigo Alvares

Aposentado cobra de Fogaça situação das calçadas (Zero Hora)

Foto:Marcelo Oliveira
poeta.jpg
“Blog? Isso é coisa de guri de apartamento. Agora canta, Poeta”

Ao ver o prefeito José Fogaça apresentando o novo sistema de coleta seletiva da cidade, hoje pela manhã, no largo Glênio Peres, o vendedor aposentado Edeu Rodrigues, 81 anos, não se conteve e aproximou-se. Com o dedo em riste, Edeu reclamou da situação das calçadas da área central. Segundo ele, a prefeitura deveria se preocupar mais com as calçadas inacabadas ou destruídas. No final, Edeu convidou o prefeito para visitá-lo e conhecer a calçada na frente da casa do aposentado. Fogaça apenas apertou a mão e agradeceu.

“Ao invés de ficar apresentando a coleta seletiva, ele deveria se preocupar em multar estes proprietários que não cuidam das calçadas. Hoje, eu quase caí numa delas“, saiu falando alto o aposentado, antes de desaparecer entre os pedestres.

Contraponto

Segundo a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, questionado sobre a conservação das calçadas, o prefeito respondeu que a prefeitura fiscaliza e multa, mas a responsabilidade da conservação é dos proprietários dos prédios. Fogaça perguntou o endereço do cidadão Edeu Rodrigues e se ele cuida de sua calçada. O prefeito ainda agradeceu por sua preocupação com a cidade.”

Poeta queria ser Obama

9:52 | 17/03/09 | Rodrigo Alvares

Do Blog da Rosane (Zero Hora):

Fogaça não revela voto

Acredite se quiser: autor do projeto que autoriza a construção de prédios residenciais no pontal do Estaleiro, o prefeito José Fogaça disse há pouco que ainda não sabe como vai votar no referendo que a prefeitura fará nos próximos 120 dias. Fogaça diz que não quer influenciar os cidadãos. Vai ficar na condição de magistrado.

O referendo será organizado pela prefeitura, sem interferência da Justiça Eleitoral.

Fogaça não descarta a possibilidade de usar a Internet no referendo.

Nada de novo no front bovino

16:18 | 24/12/08 | Rodrigo Alvares

Não era só por causa do espírito natalino que vi trocentas pessoas bebendo cerveja pelas avenidas Assis Brasil e Benjamin Constant por volta das 10h de hoje. Preciso acreditar que elas também leram o caderno Perspectivas 2009, publicado hoje pelo Correio do Povo.

Para ser mais específico, a matéria da repórter Flávia Bemfica sobre os prováveis candidatos ao Piratini em 2010. Nada contra o que ela escreveu, pena que a constatação dos fatos acaba parecendo uma praga, porque não há surpresas.

A desgovernada Yeda Crusius (PSDB) já está a colocar o ônibus da reeleição nas ruas graças ao tal Déficit Zero - que não deve durar muito, dizem. O PT deve indicar Olívio Dutra pela quarta vez em cinco eleições - e se não for ele, pode sobrar até para Raul Pont.

Diante desse quadro desolador, só podia sobrar para o PMDB e o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça. O mais triste é ver o Poeta como o favorito caso as respectivas candidaturas sejam confirmadas.

Porque o PT não deve empolgar - como acontece desde 2002 - e vai chegar se esbaforindo à eleição, mesmo que a popularidade de Lula esteja em 99,99%. Yoda vai sofrer não só com a mania esquizofrênica dos gaúchos de não reelegerem governadores, mas também com a Falência Mondial em 2009. Quem mandou governar um estado exportador de matéria-prima (A/C: Carne)?

Nesse vácuo, Fogaça aparece como favorito. Não só pelo PMDB ter conquistado mais de 150 cidades neste ano, mas porque também está calejado pelo fracasso do Guri Chorão, em 2006.

Noves fora a política conciliadora do Poeta, bem diferente das derrotas acachapantes de Yeda na Assembléia Legislativa e o sectarismo petista, o peemedebista é sim - e não escrevo isso com prazer - o favorito para governar o Bovinão a partir de 2011.

Agora só falta construir mais duas iguais

13:21 | 19/12/08 | Rodrigo Alvares

Com problemas, Baltazar de Oliveira é reinaugurada

Foto: Jefferson Bernardes
img414x276_20081219114952jef_1336a.jpg
“Toca pro viaduto Leonel Brizola que aquilo precisa de uma demão de tinta”

A governadora Yeda Crusius e o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça, inauguraram nesta sexta-feira a Avenida Baltazar de Oliveira Garcia andando de ônibus. Eles embarcaram em um coletivo, no Triângulo da Avenida Assis Brasil, pouco antes das 11h e desembarcaram na estação Colégio São Francisco, próximo a Alvorada. Os corredores de ônibus estão sem sinalização. Segundo o secretário de Mobilidade Urbana, Luiz Afonso Senna, a situação será normalizada em março.” (Zero Hora)

Quem banca Porto Alegre?

16:31 | 08/12/08 | Rodrigo Alvares

Depois de dar uma olhada na lista de doadores da campanha do prefeito reeleito José Fogaça (PMDB), não deixa de ser curioso que, das 19 empresas ligadas à construção e empreendimentos imobiliários e que bancaram R$ 863 mil dos R$ 2,6 milhões declarados pelo partido não tenha a empresa BM Par, dona do terreno.

Na última sexta-feira, Fogaça anunciou que vai vetar a decisão dos vereadores - que estão sendo investigados pelo Ministério Público do Bovinão por causa das suspeitas de propina para aprovar a alteração da lei 470/02, que permite edificações residenciais na área do Estaleiro.

Fogaça fez um movimento esperto. Jogou de volta aos vereadores a possibilidade de fazer um referendo popular em 2010, com propaganda e tudo mais, e deve esfriar a discussão e a investigação em cima dos parlamentares que votaram bem rapidinho e quase na moita.

O prefeito prega a transparência em torno do assunto, mas o fato é que não deixa de ser estranho 19 empresas ligadas a empreendimentos imobiliários bancarem não só a sua campanha, mas também a de Maria de Rosário (PT), com R$ 565 mil dos R$ 4,3 milhões gastos - metade fornecida do diretório nacional do partido, sem contar R$ 100 mil de um certo banco chamado BMG.

Seria salutar que os dois partidos liberassem de onde saiu a grana dos diretórios. Não é só o Pontal do Estaleiro que precisa ser discutido. A menos que alguém tenha se esquecido do Plano Diretor e da Supersecretaria da Copa 2014.

Kenny queria viver

19:44 | 27/11/08 | Rodrigo Alvares

Novos cestos de lixo são alvos de vandalismo

O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) contabiliza a necessidade de recuperação de mais de 1% dos 5.500 cestos coletores de lixos instalados neste ano nas vias urbanas de Porto Alegre.

Foto: Divulgação
kenny.jpg

Nos 11 meses de 2008, o DMLU contabilizou a perda de apenas sete lixeiras por algum tipo de acidente. Outros 54 cestos coletores estão recolhidos de volta à Divisão de Apoio Operacional alvos de vandalismo.

Cada lixeira custa em média R$ 127 para voltar às ruas da cidade. A Divisão de Limpeza e Coleta analisa, no momento, 96 solicitações de instalação de novos cestos coletores.

Poesia precisa de tradução

20:36 | 26/11/08 | Rodrigo Alvares

Bem que o Walter me alertou, mas foi impossível escapar da entrevista do prefeito reeleito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), ao Jornal Já sobre o Pontal do Estaleiro. Abaixo, alguns trechos do que os bovinenses vão aturar pelos próximos quatro anos não apenas sobre esse assunto, mas que mostra a disposição esfuziante do Poeta para qualquer coisa:

Fogaça: ‘Sobre o Pontal eu não posso e não quero responder’

Já - Esse projeto tramita há bastante tempo a Secretaria Municipal de Planejamento. Em 2006, foi avaliado pela Comissão de Análise Urbanística e Gerenciamento, formada por todas as secretarias do município. Também foi alvo um estudo prévio de viabilidade urbana. No entanto ele não foi encaminhado pelo Executivo. Por quê?

Fogaça - Porque eu precisava de uma audiência à população e à comunidade, uma vez que isso mexe com valores que são históricos na vida da cidade. Eu inclusive disse aos mentores do projeto que eles precisavam formar massa crítica. Ou seja, fazer a população conhecer, debater e se manifestar a respeito dessa idéia. Não poderia ser algo assim, partindo de uma empresa e o poder público, simplesmente por uma opção técnica toma uma decisão. Precisava - e precisa - de uma ampla manifestação da cidade a esse respeito.

Tradução: “Ou seja, estou aqui há quatro anos, enrolei vocês para ficar mais quatro e ainda não sei como convocar nossa população politizada para tratar de um assunto que, no fim das contas, uma construtora vai decidir o que fazer”.

Já - Mas o senhor sabia que apresentar esse tipo de projeto é competência do Executivo?

Fogaça - Evidente que sabia! Tanto que pedi ao Secretario de Planejamento que fosse à Comissão na Câmara e dizer que eu, Prefeito, precisava de muito espaço e tempo porque precisava ouvir muito a comunidade. Isso está registrado. (…)

Tradução: “Que saudades do Bu$atto”.

Já - O senhor disse que em 2006 não encaminhou o projeto por falta de tempo para análise. Agora o senhor acredita conseguirá ouvir todos os lados?

Fogaça - É difícil dizer, muito difícil. Realmente o tempo não é suficiente para uma ampla e consistente formação de lastro de opinião. É óbvio, não é preciso dizer isso com muita ênfase.

Tradução: “Eu vou ter oito anos para não conseguir decidir o que fazer sobre o Estaleiro. Imagine para governar essa cidade”.

Já - Uma audiência pública está nos seus planos?

Fogaça - É uma avaliação que tenho que fazer para tomar essa decisão. Mas não quero emitir opinião agora. Eu ainda não assumi nem decidi nada. E só depois de ter comunicado aos vereadores, vou falar com a imprensa.

Tradução: “Que saudades do Bu$atto”.

Já - Depois da decisão do Legislativo – e se for o caso, com a sanção da Prefeitura – o terreno de propriedade da BM Par Empreendimentos será muito valorizado. A ação do poder público vai beneficiar economicamente um empreendedor privado. Qual sua opinião sobre isso?

Fogaça - Posso falar sobre isso em tese e sobre outras situações. Sempre que uma empresa tem um projeto aprovado, quando vai desenvolver precisa fazer compensações à cidade. Ou seja, adotar uma série de medidas e empreendimentos voltados principalmente para obras públicas de infraestrutura: sistema viário, saneamento, projetos sócio-habitacionais. Isso – em tese – vale para várias situações que a Prefeitura adotou.

Tradução: “Não tá ligada na supersecretaria da Copa de 2014? Vou deixar muitas teses e retóricas de legado para Porto Alegre”.

Já - O senhor quer dizer que os benefícios públicos realizados pelo empreendedor justificariam a valorização de seu patrimônio?

Fogaça - Não foi isso que eu disse. Não respondi a respeito do Pontal, mas sobre várias outras situações. Quando um construtor gera valor imobiliário para determinada região, ele gera também conseqüências – mais gente circula, utiliza redes de águia e esgotos, precisa ter creches, escolas… Sobrecarrega. Logo, ele tem que produzir uma compensação equivalente à repercussão e conseqüências que ele produz.

Tradução: “É que eu…putz, cadê o Bu$atto quando eu preciso?”.

Já - O senhor pode dar um exemplo?

Fogaça - O Internacional acaba de ganhar da cidade uma doação, uma cessão de uso do estacionamento lateral. Em contrapartida, está cuidando de 150 crianças durante quatro horas por dia. É como se estivéssemos fundando uma escola no Beira Rio. E ainda paga um valor de 25 mil reais por mês para a cidade, para os fundos de investimento. Para tu ver que toda a vez que algo é valorizado, existe uma compensação. (…)

Tradução: “Imagina o que não poderemos fazer se outras empresas pagarem essa fortuna para a cidade, em troca de um terreno enorme”.

Já - Entre esses critérios estão os problemas ambientais e legais levantados pelo Fórum de Entidades?

Fogaça - Mas tu vai fazer um cerco a respeito desse assunto do Pontal? Assim fica muito difícil te responder!

Tradução: Fósforo aceso…ssssss…

Já - Só estou tentando ser clara…

Fogaça - A clareza é a seguinte: eu não posso falar sobre esse assunto, gostaria de não ficar respondendo sobre questões laterais. É altamente delicado, seria inclusive um desrespeito à Câmara e aos vereadores. Depois que a minha decisão for tomada e anunciada ao presidente da Câmara Municipal é que vou me manifestar para a imprensa“.

Tradução: “CABUUUM”.

Chama o chinesinho, aquele

18:13 | 07/11/08 | Rodrigo Alvares

Do Blog da Rosane:

Da China para Porto Alegre

José Fogaça está na China participando do 4º Fórum Urbano Mundial. O prefeito de Porto Alegre conversou hoje por telefone com o Gaúcha Atualidade sobre os resultados que ele trará para a Capital a partir desse encontro.

‘É a abertura de uma janela histórica para o mundo asiático, para Porto Alegre e para o Rio Grande do Sul.’

homemtanque.JPG
“Viaduto Leonel Brizola? É logo ali”

Fogaça disse que ter participado dessa exposição abrirá um caminho extraordinário para a Capital e para o Estado, mas também para as empresas e para os projetos daqui.

‘Quem sabe poderá se abrir novas oportunidades de relações comerciais com esse país fantástico que é a China de hoje.’”

Ah sim, não se esqueça de assistir a qual livro Germano Rigotto (GURI CHORÃO) está lendo e passe e o fim de semana sem sair da cama.

Dá para garantir mais demência. Muito mais

13:25 | 29/10/08 | Rodrigo Alvares

O ex-petista José Fortunati (PDT) concedeu algumas respostas interesses em entrevista concedida à Zero Hora. Pena que a maioria delas acaba por gerar perguntas muito mais escabrosas:

ZH – O que dá para cumprir das exigências para sediar a Copa?

Fortunati – Se o governo federal continuar nesta parceria, com a palavra empenhada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com a disposição da bancada gaúcha, temos condições de cumprir todas elas. Algumas coisas não dependem da prefeitura. No que depender do município, faremos o possível para trazer a Copa. Faremos a agilização de processos e obras. O Estado tem sido parceiro.

ZH – O senhor assegura a Copa de 2014 em Porto Alegre?

Fortunati – Dá para garantir. Mas, claro, daqui a pouco, com a crise internacional, pode ocorrer alguma coisa que inviabilize a Copa no Brasil. Nesse caso, não é responsabilidade nossa. Se a Copa do Mundo vier ao Brasil em 2014, posso garantir que entre as cidades-sede, com melhor estrutura e melhor preparadas, estará Porto Alegre.

ZH – É viável fazer o metrô até 2014 para desafogar o trânsito?

Fortunati – Não dará para fazer a totalidade. O projeto é quase um semicírculo. Todo o metrô é impossível. A primeira etapa estratégica (para a Copa) Centro-Beira-Rio-PUCRS é possível. O projeto básico está praticamente pronto. Com a liberação de recursos, começam os estudos de impacto ambiental já em 2008.”

Claro, a prefeitura levou quatro anos para terminar um conduto e um viaduto. Já que a desgovernada é tão bacana, não é melhor trazer de voLLta o especialista nas PP$ (Parcerias Público-$ocialistas)? Agora, os bovinóides precisam aturar até essa pachorra:

PMDB anuncia candidato contra sua aliada Yeda no RS (Folha)

Diferentemente de José Serra (PSDB), que foi fortalecido pela vitória de Gilberto Kassab (DEM) em São Paulo, a governadora tucana do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, terminou a eleição municipal ainda mais fragilizada em relação ao seu maior aliado, o PMDB do prefeito reeleito de Porto Alegre, José Fogaça. (…) Anteontem, um dia depois de ser reeleito, Fogaça lançou o ex-governador Germano Rigotto (2003-2006) para o posto ocupado por Yeda.”

A demência não dá um dia de trégua, é incrível. Pensei que nunca mais ia escutar essa palavra: Rigotto.

Quem, nós, responsáveis?

16:27 | 27/10/08 | Rodrigo Alvares

Até agora os diretórios estaduais e municipais do PMDB não se manifestaram sobre a agressão de militantes do partido ao jornalista da Folha de S.Paulo Graciliano Rocha. E pelo o que acabei de conversar com integrantes deles, isso não vai acontecer. Quase um dia já se passou e o PMDB não emitiu nota alguma sobre o ataque ao repórter, quanto menos sobre essa notícia:

Prefeito-candidato dá desconto em ônibus em Porto Alegre

“(…) Desde segunda-feira, usuários dos cartões magnéticos terão desconto de 50% na passagem, caso embarquem para um segundo trajeto dentro de trinta minutos. A passagem em Porto Alegre custa R$ 2,10. Pelo novo sistema, um passageiro que precisa tomar dois ônibus passa a pagar R$ 3,05 com o cartão, em vez de R$ 4,20.”

Mas confesso que estou curioso em saber por que a falta de interesse em emitir uma nota sobre o acossamento do jornalista dentro do comitê e a eventual ida de uma pessoa de dois metros que precisou ser acompanhada pela companheira de reportagem até a delegacia para fazer Corpo de Delito.

Notas sobre o assunto:

Abraji considera atentado à democracia agressão a repórter da Folha de S. Paulo

“A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo – Abraji considera um atentado à liberdade de expressão e à democracia brasileira a agressão sofrida pelo correspondente da Folha de S. Paulo em Porto Alegre, Graciliano Rocha, no comitê de campanha do prefeito reeleito José Fogaça (PMDB).

Ao chegar à entrevista coletiva do prefeito na noite do último domingo, o jornalista foi ameaçado por um dos militantes no local, que reclamou de uma reportagem publicada pela Folha no sábado, 25. Na saída da coletiva, que acabou sendo cancelada, Rocha levou um soco no rosto do militante que o havia ameaçado, caiu e levou pontapés dele e de mais dois militantes da campanha.”

Repórter da Folha é agredido por militantes de prefeito reeleito em Porto Alegre

No último domingo (26), o jornalista Graciliano Rocha, correspondente do jornal Folha de S.Paulo em Porto Alegre (RS), foi ameaçado e agredido por um militante em frente ao Comitê Central da campanha de José Fogaça (PMDB), prefeito reeleito da cidade.

Quando chegava à entrevista, um militante ameaçou Rocha - dizendo que ele não era bem-vindo ao local. (…) A ocorrência foi registrada no 10º DP e o jornalista foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) fazer exame de corpo de delito. Segundo o jornal Zero Hora, Clóvis Magalhães, coordenador da campanha de Fogaça, afirmou que “as questões implicadas devem ser pessoais e não da campanha. Eu lamento. O repórter deve tomar as medidas cabíveis”.

Espero que não só o repórter tome “asmedidas cabíveis”. Adoraria ver o Grupo Folha no cangote dessas pessoas que adoram criticar as agressões alheias e enfiam a cabeça em um buraco quando é com elas.

Cacetada democrática

23:02 | 26/10/08 | Rodrigo Alvares

A Mídia Má, Feia e Bobona vem do centro do país e denuncia o que ninguém no Bovinão tem coragem? Joinha, tu lê e ainda assim reelege o Poeta, com todos os seus problemas. Sem contar os furos que a imprensa daqui não se cansa de levar. O único porém é quando os militantes do PMDB agridem covardemente um repórter porque ele está cumprindo seu trabalho. Foi o que aconteceu com Graciliano Rocha, da Folha de S. Paulo, agredido por militantes de Fogaça após a vitória de hoje.

Graciliano Rocha prestava exame de Corpo de Delito na delegacia quando liguei para ele. Continuou sendo hostilizado durante a coletiva. Detalhe: ele tem quase 2m de altura e não é exatamente uma pessoa que puxa briga com idiot…ops, militantes. Ao sair do comitê, Graciliano foi atacado pela claque de Fogaça. Se duvida, leia a Folha de amanhã. Ele precisou da ajuda da repórter Simone Iglesias para acompanhá-lo no IML e garantir sua segurança até chegar em casa.

O Blog da Rosane divulgou uma nota sobre o assunto, mas gostaria de saber se é realmente nisso que virou Porto Alegre. A Simone Iglesias comentou por MSN o que houve, enquanto estava na DP:

“Rodrigo Alvares diz:
que história foi essa com o graciliano?

simone diz:
menino, tô sentada no chão do IML

simone diz:
esperando o coitado que tá fazendo exame de corpo delito

simone diz:
apanhou, coitado

simone diz:
de uns militantes do poeta dentro do comitê

simone diz:
vou te passar o relato por aqui

simone diz:
o demori ligou pra ele mas bem na hora da ocorrência

Rodrigo Alvares diz:
me passa mesmo que vou publicar

Rodrigo Alvares diz:
falei com o graciliano há pouco

simone diz:
o graciliano chegou no comitê pra coletiva e, logo que entrou, um militante foi tirar as caras e dizer que ele não era bem vindo, que escrevia matérias filhas da puta.

simone diz:
(reconheceu nosso amigo pelo crachá)

Rodrigo Alvares diz:
sim, ele me disse

Rodrigo Alvares diz:
mas quantas pessoas atacaram ele?

simone diz:
graciliano não deu bola, entrou, sentou, esperou a coletiva que não aconteceu porque o poeta não parava nunca mais de suar (providenciais lenços Kleenex do lado)

simone diz:
quando foi sair do comitê, o magrão que ameaçou deu um soco no supercílio esquerdo. o graciliano caiu no chão, já do lado de fora, e foi chutado por mais dois (que ele lembre)

simone diz:
aí, o daniel do Terra viu e foi dar uma força. a turma do deixa disso entrou em campo e apartou a briga

simone diz:
depois que acabamos a matéria da eleição, fomos na 10a. DP

simone diz:
ele registrou ocorrência e agora tá na fila do IML

simone diz:
FILA, COITADO!

simone diz:
desde às 6h na rua e ainda tem que ficar na fila com uns assaltantes que tomaram umas porradas de uns funcionários do coronel mendes

simone diz:
o melhor: o comitê do foga$$a tava distribuindo birita de graça

Rodrigo Alvares diz:
deus

simone diz:
e cadê a blitz do coronel mendes pra prender a militância do poeta que vai sair da joão pessoa bêbada????”

Desgovernada: procura-se

22:25 | 25/10/08 | Rodrigo Alvares

Eleições municipais por todo o Bovinão? Famílias desabrigadas por causa da chuva? Estado moralmente falido pelas denúncias semanais de corrupção? Esqueça tudo isso, porque a desgovernadora Yeda Crusius (PSDB) já fez isso para ti. Sabe aquela coisa de Transparência no governo? Pois nem o site do governo nos digna com a agenda de Yeda. A última vez em que deu sinal de vida foi naquela entrevista à TV Estadão.

Depois disso, *puff*, desapareceu. Dizem que continua no Fumaquistão, mas adoraria vê-la justificar seu voto para não queimar o filme de José Fogaça (PMDB) - ou de Maria do Rosário (PT), que seja. A menos que tu te contente em saber que ela está em reuniões internas há uns três dias.

yeda_zoiuda.jpg

A questão é: onde está Yeda Crusius? Tu não te importa? Pois deveria. Inevitável a piada pronta de que ela deve ter transferido a sede do poder estadual para São Paulo. Eu não chegaria ao ponto de chamá-la de fugitiva, mas toda a imprensa bovinense se descabela para encontrá-la.

A desgovernadora vota na Escola Prof. Leopoldo Tietbohl, localizada na rua Rivera, 400, no bairro Petrópolis. Como tu sustenta o lugar, nada mais justo do que ligar para lá - tel: 3331-0128 - e saber se Yeda foi votar ou se acha que precisa dar alguma justificativa a alguém.