Tag ‘Operação Rodin’

As trampas do Detran não acabam

14:51 | 06/05/09 | Rodrigo Alvares

Lembranças da Rodin (Rosane de Oliveira/ ZH)

Em reunião com representantes do Sindicato dos Servidores do Detran, o deputado estadual Fabiano Pereira (PT) mostrou aos sindicalistas cópia de um relatório da Polícia Federal.

O documento detalha mandado de busca e apreensão realizado na empresa Rio del Sur no dia em foi deflagrada a Operação Rodin.

O texto diz que na empresa, registrada em nome de familiares de Lair Ferst, réu no processo da fraude no Detran, foi encontrada farta documentação referente à Atento Service.

Ao comentar a apreensão, analistas da PF levantaram a possibilidade de haver vínculo entre Lair e a Atento.

- Fabiano quer ouvir a delegada Estella Maris Simon na Comissão de Serviços Públicos da Assembleia, por ele presidida.”

Mas o melhor foi Yeda reconhecer dívida com guincho.

Ei, preste atenção. Estão fechando o cerco

4:08 | 23/01/09 | Rodrigo Alvares

Parece que alguém não deve se preocupar só com o PT assumir a Assembléia Legislativa do RS e perder o patrocínio do banner para uma newsletter que ninguém pede para ler:

Testemunhas de defesa (Rosane de Oliveira)

O ex-comandante da Brigada Militar e hoje juiz militar Paulo Roberto Mendes figura na lista de testemunhas de defesa de Francisco Fraga no processo da Operação Rodin, que desvendou a fraude do Detran.

Em gravações de outra investigação da Polícia Federal, a Operação Solidária, Mendes foi flagrado pedindo apoio de Fraga para chegar ao comando-geral da corporação.

Yeda Crusius está no rol das testemunhas do ex-presidente do Detran Flavio Vaz Netto.”

Tu deves te lembrar. Tem jornalista no Bovinão com orgulho de dizer que “gosta de tocar o pau no MST. Essa nota não tem fonte, sou eu”. E depois eles tentam processar e acossar quem tem provas da Polícia Federal contra eles para escrever notas chapa-branca.

Saiu barato

22:09 | 19/12/08 | Rodrigo Alvares

Procuradoria denuncia nove por suposto esquema de caixa dois no Detran-RS (Folha)

O Ministério Público Estadual do Rio Grande do Sul denunciou à Justiça nove pessoas por suspeita de participação em um esquema de superfaturamento e caixa dois no Detran (Departamento Estadual de Trânsito) do Estado.

Conforme a acusação, foram desviados R$ 1 milhão entre 2006 e 2007. O dinheiro saiu de pagamentos feitos pela Fenaseg (Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados), que fazia pagamentos a empresas que prestavam serviços utilizados pelo Detran.

A Fenaseg gerencia os recursos do DPVAT (seguro obrigatório) e destina 1% do total pago pelos contribuintes para financiar campanhas de educação no trânsito indicadas pelas autoridades de trânsito dos Estados.

Entre os acusados estão dois ex-presidentes do órgão, Carlos Ubiratan dos Santos e Flávio Vaz Netto, que responderão por peculato (desvio de dinheiro público) e lavagem de dinheiro. (…)

O MP investigou apenas parte dos pagamentos e concluiu que a empresa Tops Consultoria foi usada para desviar R$ 939 mil do R$ 1,4 milhão que recebeu.

De acordo com a denúncia, a Tops, que era responsável pela informatização do sistema de multas, fez pagamentos de R$ 270 mil a uma padaria de seus sócios –o que sustenta a acusação de lavagem de dinheiro.”

E aí, comeu?

15:51 | 22/08/08 | Leandro Demori

O nobre leitor não deve lembrar porque a memória bovina é curta [isso aqui só pode ser piada]. Então vamos lá.

Esse é o Pastor Osvaldo e sua saga santa:

- Flagrado negociando propina de R$ 300 mil com a empresa SP Alimentação em troca de um contrato para fornecimento de merenda escolar por um ano à prefeitura de Sapucaia do Sul. Valor do contrato - R$ 4 milhões - foi obviamente superfaturado.

- Depois que a mídia má [”RB$ MENTE”] divulgou a matéria, Pastor Osvaldo milagrosamente sumiu [impossível evitar].

- Dias depois postou no Orkut uma foto totalmente genial (clique imediatamente para morrer muito) quando, como bem observou esta Corja, Pastor Osvaldo se mostrou um gênio da fuga. O homem foi se esconder no Ceará, que ninguém sabe onde fica, portanto, jamais o acharão.

pastor_osvaldo_ceara
Quem me achar come de graça o ano todo

- Na mesma semana, Pastor Merenda lança na tenéti um making off de seu NU ARTÍSTICO [assim, um bônus mesmo].

pastor_osvaldo_praia
Batismo: não penteei as pernas, descuLLpa

Então, pergunta nosso estimado leitor, o que DIABOS (ops) temos de novo sobre o Pastor Merenda?

Olha, sobre ele, NADA. Acontece que o proce$$o que corre sob segredo de justiça interfonado hoje pela imprensa tem tudo para se ligar perfeitamente à saga do santo-homem-do-pão-com-banha.

Se não, olha:

“O Ministério Público Federal (MPF) em Canoas (RS) propôs ação de improbidade administrativa contra o prefeito de Canoas, Marcos Ronchetti, o secretário de governo, Francisco Fraga, o secretário de Educação, Marcos Zandonai, além dos proprietários e representantes das empresas SP Alimentação e Gourmaitre Cozinha Industrial e Refeições, por fraude superior a 5,6 milhões de reais em processo licitatório e no contrato para fornecimento de merenda escolar no município. (MPF/RS - 12/12/2007)

Fraga está filiado ao PTB desde setembro de 2003, mas suas ligações políticas são mais fortes no PSDB e no PMDB. Entre os tucanos, ganhou notoriedade na gestão de Ronchetti, que foi coordenador político da campanha da governadora Yeda Crusius. Durante o período de transição, foi visto na sede provisória do novo governo articulando com a então governadora eleita.

Segundo políticos de Canoas, Fraga também tem fortes laços com o deputado federal Eliseu Padilha. Sua mulher, Maria Dolores Fraga, trabalha no escritório político do deputado na Capital. A distância com o PTB é tanta que o companheiro de partido e deputado estadual Cassiá Carpes já pediu sua expulsão da sigla.” (ZH - 01 de abril de 2008 [não é piada])

Aí assim, bovino leitor: isso tudo é só uma suposição assim NEM TÃO VAGA para que você entenda o que está acontecendo. Este post também serve de apoio a Eliseu Quadr Padilha e a Alceu “sem noção” Moreira, que não têm a mínima idéia de nada e não entenderam nada de nada + nada.

Abra$$o.

Eliseu Quadr Padilha e Alceu “sem noção” Moreira

11:26 | 22/08/08 | Leandro Demori

Da página 10 de Zero Hora:

“Os 40 réus da Operação Rodin ainda não começaram a ser ouvidos pela Justiça, e uma nova bomba sacode os meios políticos do Rio Grande do Sul. Em um inquérito protocolado em 1º de agosto no Supremo Tribunal Federal sob número 2.741, o Ministério Público Federal pediu autorização para investigar os deputados federais Eliseu Padilha (PMDB), José Otávio Germano (PP), o presidente da Assembléia Legislativa, Alceu Moreira (PMDB), e o secretário estadual de Habitação, Marco Alba (PMDB). Outras quatro pessoas sem foro privilegiado são listadas entre os investigados. Entre elas, está o secretário de Governo de Canoas, Francisco Fraga (PTB), réu na Operação Rodin.

Questionado pela Página 10 sobre o teor da investigação, Padilha disse estar ciente de que há um procedimento tramitando no STF, mas garantiu não saber o motivo. O deputado afirmou que seu advogado não teve acesso ao conteúdo.

Alceu Moreira afirmou não ter “a mínima noção” sobre o motivo da investigação, mas afirma estar “absolutamente tranqüilo”:

– Não tenho nenhuma relação com Canoas. A única possibilidade que vejo é ter falado ao telefone com alguém que esteja sendo investigado.”

Algumas considerações desta Corja (o processo está aqui):

Eliseu Quadrilha Padilha - Nóis sabe de umas coisinhas que podem ajudar vossa excelência a descobrir o motivo da investigação. Favor aguardar até a semana que vem ou entrar em contato com nosso host no Império:

650 Hamilton Ave SE
Suite D
Atlanta, GA 30312

Alceu Moreira - bem SEM NOÇÃO você, né naum? Ainda mais para um presidente de Assembléia. E depois de uma aspa dessas (”A única possibilidade que vejo é ter falado ao telefone com alguém que esteja sendo investigado”) Moreirinha causou um nó na nossa cabeça malévola. Eu, por exemplo, não costumo conversar ao telefone com “alguém que esteja sendo investigado”, sobretudo se eu saiba disso.

Nunca [NóóóUNCA] entendo.

Pedimos desculpas aos hospitais pelo aumento de atendimentos esta manhã. O blog ficou fora do ar durante o período, causando crises de abstinência e e-mails sem fim. PAREM.

Joabel Zzz…zzz…zzz

17:00 | 11/08/08 | Walter Valdevino

Como você já deve estar can$adinho(a) de $aber, há tempos estamos interessados na questã da publicidade pública bovina.

Na seqüência das notícias (aqui e aqui) sobre o pedido de anulação do edital de publicidade (R$ 92.948.970,00 = pobreza) do desgoverno bovino para vários órgãos públicos, ajuizado pelo Ministério Público €$tadual em 1º de agosto junto à 3ª Vara da Fazenda Pública Bovina, a Zero Hora deste sábado fez um resuminho das oito irregularidades apontadas:

1) Previsão de contratação de empresas que tiraram de 2º a 6º lugares na licitação para atender as contas de publicidade
2) Indefinição sobre o objeto dos contratos da licitação, além da possibilidade de aumento nos valores sem aditamento e indefinição quanto aos prestadores do serviço para o Banrisul, responsável pela maior parte dos valores de propaganda
3) O briefing (peça destinada às agências para orientar o trabalho dos publicitários) teria sido montado com foco no governo estadual e não nos órgãos de administração indireta
4) Estabelecimento de preços mínimos para as propostas superiores ao permitido
5) Falta de participação das entidades da administração indireta envolvidas. Para os promotores, a Secretaria de Comunicação [para os tolinhos: Carlo$ Cru$iu$, o Barbicha] centralizou indevidamente o processo
6) Excesso de funcionários não estáveis, com cargos em comissão (CCs), nas decisões sobre a licitação, além da falta de capacidade técnica de parte de alguns integrantes da comissão
7) Erros ao avaliar as propostas de preço, comparando por critérios idênticos situações diferentes, em prejuízo do poder público
8) Falta de previsão no edital dos valores a serem pagos como cachê e direitos autorais na reutilização de peças publicitárias”

Buena$, isso tudo já vinha sendo divulgado desde sexta-feira e repito aqui só para contextualizar a resposta oficial do a$$e$$or de impren$a da desgovernadora, Joabel Pereira, cuja “qualidade é a franqueza” (ainda b€m):

O edital foi produzido nos mesmos moldes dos governos anteriores, como tem de ser. O processo vai seguir, a não ser que o Judiciário determine a anulação.”

Foi neste momento que o Tico e o Teco aqui na minha cachola surtaram.

Joabel está dizendo que o MP€ está delirando ao apontar as oito falcatruas ou está dizendo que as oito falcatruas são feitas há milhões de anos?

A d O rU.

UPDATE (21h51): o desgoverno divulga nota oficial sobre proce$$o de licitação. Embromation… vai dar merda, vai dar merda…. zzzz….zzz..zzzz..

Falcatruagem nas agência$

19:43 | 08/08/08 | Walter Valdevino

Nosso trecho predileto da matéria do site do Ministério Público Estadual sobre o relatório PARCIAL da Força-Tarefa que, entre outras coisas, pediu ao Procurador-Geral da República que investigue João Luiz Papai Noel Vargas, presidente do TC€ bovino, e o deputado federal José Otávio Fala, Liderança Germano (PP):

“O Ministério Público ajuizou, ainda, ação civil pública contra o Estado do Rio Grande do Sul propondo a nulidade da licitação em andamento para a contratação de empresas de publicidade, no valor total de aproximadamente R$ 93 milhões. A licitação em questão objetiva contratar seis empresas [DCS, SLM Ogilvy, Nova Centro, Agência Matriz, Martins + Andrade e Escala] para responsabilizarem-se pelas contas publicitárias da Administração Pública direta e indireta, incluindo, dentre outros, DAER, Detran, CEEE, Corsan e Banrisul.

Dentre outras irregularidades, pôde-se apurar que houve previsão de contratação da 2ª a 6ª colocadas para responsabilizarem-se por algumas contas de publicidade. Além disso, não há previsão, no edital, do valor máximo a ser pago a título de cachê e direitos autorais na reutilização de peças. Também, indefinição do objeto dos contratos decorrentes da licitação, pois, há a possibilidade de modificação dos valores dos futuros contratos sem aditamento.

A Ação do Ministério Público objetiva impedir futuras contratações que, a par de ilegais, são prejudiciais ao Poder Público no que pertine à escolha das contratantes, aos valores a serem pagos às agências como forma de remuneração pelos serviços prestados e à própria transparência da administração pública.”

Fraude no Detran v. 7.0

12:41 | 08/08/08 | Walter Valdevino

Em entrevista coletiva concedida agora há pouco (áudio aqui), o procurador-geral de Justiça do €$tado, Mauro Renner, anunciou:

1) Encaminhamento de representação ao procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, contra o deputado federal José Otávio Fala, Liderança Germano (PP) e contra o presidente do Tribunal de Contas do Estado, João Luiz Vargas.

Foram divulgados vários áudios IN$UPERÁVEI$ (aguardem novo funk), ainda da Operação Rodin, que comprovam por A + B o envolvimento de TODO O UNIVERSO na falcatrua do Detran.

2) Ação pedindo a anulação do edital de publicidade do desgoverno para vários órgãos públicos, entre os quais DAER (afundará desgoverno depois das eleições. Aguaaaardem. Zzz…zzz..z.), Detran, CEEE, Corsan e, obviamente, Banrisul, reponsável por mais de 70% de toda a verba publicitária do desgoverno bovino (banners incluídos).

A bolada do edital tem o valor de R$ 92.948.970,00 (pobreza, que horror) e seis agências de publicidade tinham levado: DCS, SLM Ogilvy, Nova Centro, Agência Matriz, Martins + Andrade e Escala.

Se você não está zzz…zzz…zz, deve lembrar muito bem que quando o edital foi divulgado muita gente andou soltando foguetes por aí, principalmente porque teria sido “um erro do governo gaúcho amarrar a decisão sobre a licitação que vai escolher as agências que atenderão as suas contas.”

Adoramo$ demai$ tudo i$$o.

3) Ação de improbidade administrativa contra o advogado Carlos Dahlem da Rosa, funcionário fantasma da CEEE e cujo escritório recebeu R$ 4 milhões por prestação de serviços à Fatec desde 2003, e contra Antonio Dorneu Maciel, então diretor administrativo da companhia e responsável por bancar a fanta$magoria de Dahlem.

4) Ação contra a FDRH (Fundação de Desenvolvimento em Recursos Humanos) por suspeita de fraude em proce$$o$ licitatórios.

UPDATE (15h12): a nota do próprio Ministério Público sobre a Força-Tarefa está aqui.

Lair acusa Yoda - fodeo

8:14 | 06/08/08 | Walter Valdevino

Se tem uma coisa delícia sempre que estoura alguma maracutaia é quando o pessoal magoadinho resolve abrir a boca.

Lair Fer$t, o empresário que comandou toda a primeira fase do e$quema de roubalheira do Detran e foi pego com a boca na botija tentando sacar a merreca de R$ 200 mil na semana passada, resolveu falar. Lair, o ex-Mi$$, se desfiliou do P$DB há alguns dias e tem andado bastante magoadinho com a tucanagem desde que foi jogado para escanteio pela desgovernadora e pelo maior intelectual bovino, o Prof. Fernande$, da Con$ultoria Pen$ant.

Em mais um furo na mídia má local (zzz…zzz…zzz), Lair resolveu falar para a mídia má paulistóide. Em entrevista publicada na Folha de S. Paulo de hoje, Lair, que está prestes a fechar um acordo com o Ministério Público Federal em troca da retirada de parte das acusações contra ele, acusa diretamente a desgovernadora de reestruturar o esquema de fraude no Detran com a troca da Fatec pela Fundae.

Principais trechos da matéria e da entrevista:

Acusado de desvio no Detran-RS muda versão e agora envolve Yeda

(…)

O empresário Lair Ferst, acusado de ser um dos pivôs do desvio de R$ 44 milhões do Detran-RS, envolveu ontem pela primeira vez a governadora Yeda Crusius (PSDB) na fraude.

Uma semana depois de se desfiliar do PSDB, Ferst -que ajudou a coordenar a campanha de Yeda em 2006- afirmou em entrevista exclusiva à Folha que foi uma decisão da cúpula do governo reestruturar o esquema de desvio.

O empresário negocia com o Ministério Público Federal e com a Justiça implicar cerca de dez nomes de integrantes e ex-integrantes do primeiro escalão do governo gaúcho, além de pessoas com foro privilegiado, em troca da retirada de parte das acusações contra ele.

(…)

As novas informações que Ferst promete acrescentar se referem à chamada “fase dois” da fraude -quando o Detran substituiu, em maio de 2007, a Fatec pela Fundae, ambas fundações ligadas à Universidade de Santa Maria.

(…)

Agora, Ferst afirma que era amigo da governadora e que foi recebido mais de uma vez por Yeda depois da posse. Segundo ele, a reestruturação da fraude, com a troca de fundações, foi decisão política do governo. “É público e notório que houve o envolvimento da governadora nesse processo”, disse ele.

(…)

A reavaliação de sua estratégia de defesa ocorreu após o cancelamento do depoimento que prestaria à Justiça Federal no dia 20. Aprovada este ano, a lei 11.689 altera o curso do processo criminal, deixando para a última fase os depoimentos dos réus. Além da razão processual, Ferst mostra-se magoado com o “abandono” de tucanos.”

O trecho fatal da entrevista:

FOLHA - A troca de fundações foi fruto de decisão do governo?
LAIR FERST
- Não seria possível essa mudança sem orientação política de governo, sem respaldo político.

FOLHA - Do alto escalão?
FERST
- Do governo como um todo, na sua plenitude.

FOLHA - Da governadora?
FERST
- Na CPI do Detran, o próprio [ex-] presidente do Detran, Flávio Vaz Netto, disse que teve reuniões tratando deste assunto [com Yeda]. Ela se reuniu também com sindicatos de examinadores. É público e notório que houve o envolvimento da governadora neste processo. […] Aparecerão nomes que não foram nem citados no inquérito. Há vários personagens que não foram citados que poderão a ter sua participação esclarecida.”

O outro lado (zzz…zzz…zzz…):

“Por meio de sua assessoria de imprensa, a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), que cumpria agenda em Brasília ontem, afirmou que não tomou conhecimento da fraude do Detran antes da deflagração da Operação Rodin, da Polícia Federal, em novembro do ano passado.

“Se ela tivesse tido conhecimento, teria feito o que sempre faz quando surge alguma denúncia: mandado apurar“, disse o assessor Joabel Pereira, repetindo um argumento já apresentado anteriormente pela governadora quando foi questionada sobre o assunto.

(…)

Escalado pela tucana para falar sobre o papel de Ferst durante a campanha eleitoral de 2006, o deputado federal Cláudio Diaz (PSDB), um dos coordenadores da campanha, afirmou que o empresário não tinha participação em decisões importantes na eleição de 2006.

Desconheço qualquer papel dele na coordenação, ele raramente aparecia no comitê. Vi o Lair eventualmente em alguma ação de rua“, disse o deputado tucano.”

Decadência e pobreza

16:52 | 30/07/08 | Walter Valdevino

É claro que você já ouviu 500 vezes no repeat o Funk do Detran, nossa super produção musical que estourou em todas as paradas. É óbvio também que você já conhece de cor um dos principais trechos do funk:

Eu cobrei: um milhão e meiô
Tá?
Eu cobrei: um milhão e meiô

Diante disto, é simplesmente chocante que o lobista Lair Ex-Mi$$ Ferst, cujos bens estão bloqueados pela Ju$tiça, tenha tentado sacar R$ 200 mil em dois bancos da capital bovina. É muita pobreza. É muita falta de cla$$e.

R$ 200 mil não é nem a metade do que cada um de nós aqui do blog recebe por mês de propina para sustentar nosso claro e evidente comprometimento ideológico.

Estamos MUITO decepcionados, Lair. Você já teve mais cla$$e.

Do blog da Rosane de Oliveira:

Policiais federais gaúchos impediram hoje o lobista Lair Ferst de burlar a decisão da Justiça Federal que bloqueou suas contas bancárias.

Indiciado pela Polícia Federal na Operação Rodin, Lair foi abordado no momento em que tentava efetuar saque de R$ 100 mil, em espécie, em uma agência bancária em Porto Alegre. Ele já tinha feito previsão de saque de outros R$ 100 mil em outra agência. O dinheiro havia sido transferido via TED nominal a Lair, momentos antes.

Os policiais agiram em cumprimento à ordem judicial que determina o bloqueio dos bens e contas bancárias de Lair, que após ser indiciado pela PF, foi denunciado pelo Ministério Público Federal e atualmente responde a processo criminal na Justiça Federal de Santa Maria.”

A Nova Corja sempre avisa

13:24 | 12/03/08 | Walter Valdevino

O leitor marcos jose comentou, no post abaixo, que está no site videVersus (coloquem RSS, peloamordedeu$) a notícia de que a Polícia Federal irá finalmente entregar à Justi$a o relatório final da Operação Rodin, que investigou as falcatruas do Detran-RS.

39 pessoas são citadas, entre elas o deputado federal José Otávio Germano (PP), ex-secretário de In$egurança do Bovinão no desgoverno de Germano Rigotto (PMDB) e João Luiz Vargas, ex-prefeito de São Sepé, ex-deputado estadual (PDT) e atual presidente do Tribunal de Contas (TCE) do Bovinão. A PF vai pedir autorizações especiais ao Supremo Tribunal Federal e ao Tribunal Federal Regional para que Germano e Vargas, que contam com foro e$pecial delícia, sejam investigados.

joseotaviogermano.jpg
Tá rindo do quê?

Como todos nós bovinenses lembramos, Otávio Germano foi o secretário de In$egurança que conseguiu piorar o estrago deixado pelo seu antece$$or, o petista afetado José Paulo Bisol (governo Olívio Odeio-neoliberalismo-feio-e-bobão Dutra), que tinha como uma das principais medidas humanizar a Brigada Militar, por exemplo, trocando os coturnos dos soldados por sapatos, decerto para não machucar tanto a bandidáji. Germano, além de ter indicado os dois ex-presidentes do Detran indiciados pela PF (Flávio Vaz Netto e Carlos Ubiratan dos Santos, ambos da cúpula do PP), também foi direto para o centro da lama depois que seu irmão, Luiz Paulo Germano, foi citado pela juíza Simone Barbisan Fortes, da 3ª Vara Federal e Juizado Especial Criminal da Subseção Judiciária de Santa Maria, como sócio do escritório de advocacia de Carlos Dahlem da Rosa, que teria recebido R$ 4,1 milhões da FATEC (Fundação de Apoio, Ciência e Tecnologia, ligada à UFSM), empresa mãe da falcatrua, como já tínhamos explicado aqui.

joaoluizvargas.jpg
A Nova Corja tem uma dica $upimpa para você, Papai Noel.

Já o barbudão João Luiz Papai Noel Vargas, enfiado na política até o pescoço, é a figurinha que decerto todos os bovinenses, povo mais pulitizadu du Braziu gostariam que estivesse exatamente onde está: investigando as contas públicas e as falcatruas de seus próprios amigos.

Segundo o videVersus, Papai Noel “teria sido o responsável pelo exame das contas do Detran gaúcho na maior parte dos anos da última década. Apesar de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, João Luiz Vargas também comandou comitiva que foi até o Palácio Piratini, no ano passado, pressionar para que a governadora Yeda Crusius assinasse carta de apoio a empresa que está sendo acusada de fraudar avais da estatal federal CGTEE para obtenção de empréstimos na Alemanha, supostamente para a construção de usinas térmicas no Estado.”

Veja você, portanto, que coincidência. Em 9 de novembro do ano passado esta Corja publicou o diálogo que tivemos com um dos nossos 600 informantes ao redor do mondo. Nunca antes na história do Bovinão alguém tinha citado Vargas como um dos envolvidos na falcatrua CGTEE-Prof. Fernandes-Pensant-FATEC-Detran. Em 19 de novembro, Papai Noel apareceu pela primeira vez na mídia má, em uma matéria de Leandro Fontoura na Zero Hora, comentada por nós no dia seguinte.

A Nova Corja: confie $empre.