Tag ‘Psol’

Vou cobrar royalties do PSOL

17:28 | 27/07/09 | Rodrigo Alvares

“NOTA OFICIAL: PSOL questiona paradeiro da governadora Yeda

O (des)governo gaúcho

O PSOL - Partido Socialismo e Liberdade do Rio Grande do Sul - repudia o sumiço injustificável da governadora Yeda Crusius, que se encontra em lugar incerto e não-sabido, sem que tenha passado o cargo ao vice-governador, Paulo Feijó, como determina a Constituição.

Ainda com as férias do presidente da Assembleia Legislativa, o Executivo gaúcho está acéfalo. O PSOL entende que o povo gaúcho não merece tamanho abandono e questiona o paradeiro da governadora.

Roberto Robaina

Presidente do PSOL/RS

Pedro Ruas

Secretário de Relações Institucionais do PSOL/RS

Discordo. O povo gaúcho merece muito mais demência. O potencial é quase ilimitado.

Update 17h40

Yeda está no Palácio Piratini (André Machado/ZH)

A governadora Yeda Crusius está despachando neste momento no Palácio Piratini. A agenda também não é confirmada pela assessoria, mas envolveria a conversa com secretários. O destino, por enquanto não é o Palácio das Hortênsias.

A informação pode ser que acalme o ânimo do PSOL que protestou pelo fato da governadora Yeda Crusius não ter transmitido o cargo ao vice-governador Paulo Feijó nestes dias em que está fora do Palácio Piratini.”

Imagina se fosse com a Manuela

8:45 | 17/07/09 | Rodrigo Alvares


“Ela ficou desfilando, fora de qualquer sanidade mental”

“A situação da governadora é desesperadora”

17:52 | 14/07/09 | Rodrigo Alvares

Enquanto as denúncias sem provas do PSOL contra a desgovernadora Yeda Crusius (PSDB/RS) estão para fazer aniversário, a deputada federal Luciana Genro troca umas ideias com Paulo Henrique Amorim sobre a conspiração de meio universo para apear a tucana do Piratini.

pha1.jpg

Não há o impeachment porque a Assembléia Legislativa em primeiro lugar vem sendo ‘comprada’, tá? Vários parlamentares vem sendo ‘comprados’ através da liberação de cargos. O Diário Oficial tem saído com muitas páginas nas últimas semanas de nomeações, liberações de verbas para bases eleitorais de parlamentares e também porque existem muitos parlamentares na Assembléia que também estão envolvidos, cujos nomes inclusive já vieram à tona em investigações da Polícia Federal, no depoimento dessa testemunha que é o Lair Ferst.”

Me espantei que em nenhum momento falam mal da Mídia Má, Feia e Bobona do Bovinão. Pena que Paulo Henrique Amorim não perguntou sobre os vídeos comprometedores que Pedro Ruas afirma ter assistido.

Faltam as provas

17:55 | 06/07/09 | Rodrigo Alvares

Leia abaixo a petição que o PSOL vai entregar na próxima quarta-feira à juíza Simone Barbisan para pedir o bloqueio de bens da governadora, do ex-marido dela, Carlos Crusius e do ex-secretário-geral de Yeda, Delson Martini:

petio1.jpg
petio21.jpg

Yeda mente e a culpa é dos outros

17:08 | 12/05/09 | Rodrigo Alvares

A assessoria do PSOL enviou nota depois de ir ao Ministério Público de Contas ver em que pé anda o tal processo da compra da Casa de Yeda:

MP de Contas ainda investiga compra de casa da governadora

Foto: Letícia Heinzelmann
mpcontas1.jpg
“A Yeda tá mentindo para todo mundo sobre a casa? Conta uma nova”

A deputada federal Luciana Genro, o presidente estadual do PSOL, Roberto Robaina, e o vereador e advogado Pedro Ruas foram nesta terça-feira, 12, ao Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas se interar sobre os rumos da ação de improbidade administrativa apresentada pelo partido em agosto de 2008, referente à compra da mansão da governadora Yeda Crusius.

Diante da notícia por parte do procurador-geral Geraldo Da Camino de que as investigações seguem abertas, as lideranças vão lhe enviar, com o pedido para que sejam anexadas à ação, cópias dos e-mails apresentados ontem à imprensa, durante entrevista coletiva.

As conversas via correio eletrônico, reveladas por um interlocutor oculto, mostram que o marido da governadora participou da arrecadação de fundos de caixa-dois para a campanha eleitoral tucana em 2006, e suspeita-se que parte desses recursos ainda tenham sido desviados para a compra da residência.

A casa adquirida por R$ 750 mil por Yeda estava avaliada em R$ 1,5 milhão e o proprietário já havia recusado oferta de R$ 1 milhão pelo imóvel. A mansão foi adquirida em 2006, quando Yeda ocupava o cargo de deputada federal e já era governadora eleita. O valor da propriedade é imcompátivel com os ganhos da então parlamentar e de seu marido, professor universitário.

Diferentemente do que Yeda vem dizendo à imprensa, portanto, as suspeitas sobre sua casa não estão extintas.

‘Ela disse, e é verdade, que o Ministério Público Estadual aprovou as contas. Mas isso foi feito por um procurador indicado pela própria governadora. Há ainda outra ação, esta sim apresentada pelo PSOL, no Ministério Público de Contas, que ainda está apurando os sinais aparentes de riqueza da governadora’, apontou Luciana Genro.”

Te decide, Protógenes

16:32 | 20/04/09 | Rodrigo Alvares

O delegado Protógenes Queiróz publicou uma nota constranegedora em seu blog para se defender da matéria publicada ontem pelo Estadão. Não fosse perturbador alguém escrever sobre si na terceira pessoa, ele se sai com pérolas como essas:

“Continuam as informações de conteúdo duvidosos a respeito da conduta do Delegado Protogenes como servidor público federal nas ações de combate a corrupção, com o propósito exclusivo de, em defesa do banqueiro condenado Daniel Dantas”.

Ele vai além: “No tocante à matéria publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo em sua edição de 19.04.2009, esclareço que sou convidado, com frequência, para proferir palestras em vários pontos do país, tendo sempre como tema meu trabalho cotidiano, ligado ao combate à corrupção e à criminalidade.

Nada cobro e nada recebo por essas palestras além das passagens aéreas e, se necessário, a hospedagem, que são fornecidas por aqueles que fazem o convite. Desconheço por quem ou de que forma essas despesas são pagas.

A nossa participação nas Universidades em palestras é gratuita e não é ligada a nenhum partido político, razão pela qual atendo, na medida do possível, a todos os convites que honrosamente me são formulados, como servidor público cumpridor do meu dever para com a sociedade e o Brasil.”

Pelo visto, Protógenes não leu essa matéria no Estadão de hoje:

Protógenes deve ser aposta eleitoral do PSOL em 2010

Protógenes diz que foi convencido pelos líderes do PSOL de que, embalado na bandeira do combate à corrupção, alcançará a marca de 1,5 milhão de votos em uma eventual disputa por uma vaga deputado federal por São Paulo no ano que vem.

O PSOL, por sua vez, aposta que o ex-chefe da Satiagraha, com a sua fama de ‘justiceiro’, alcance um desempenho duas vezes superior ao conquistado pelo ex-prefeito Paulo Maluf (PP-SP) na urnas em 2006.”

Dois meses com provas no ar, PSOL

18:42 | 19/04/09 | Rodrigo Alvares

As denúncias que o PSOL gaúcho fez ao governo Yeda completou dois meses meses neste domingo, e ainda não apareceram ou muito menos foram comprovadas. Ao invés disso, tu abres o jornal de hoje e lê isso:

Protógenes viaja com cota do PSOL (Estadão)”

O delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz, ex-chefe da Operação Satiagraha, usou passagens da quota de pelo menos um deputado do PSOL para viajar e participar de eventos coordenados pela legenda. A prática configura envolvimento em “atividade político-partidária”. O artigo 43, inciso 12, da Lei 4.878/65, que estabelece o regime jurídico da PF, proíbe que delegados se envolvam com partidos políticos.

O levantamento completo das passagens ainda será feito pelo PSOL, mas ontem a deputada Luciana Genro (RS) disse ao Estado que seu gabinete emitiu pelo menos dois bilhetes para viagens de Protógenes a Porto Alegre. O Congresso não a proíbe de emitir essas passagens.

Segundo Luciana, o delegado obteve passagens no seu gabinete porque recebeu convite para participar de uma palestra na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e de um ato contra a corrupção, no centro de Porto Alegre, em novembro, com a presença da ex-senadora, candidata ao Planalto e agora vereadora de Maceió, Heloísa Helena (PSOL-AL).

“Eu usei da minha cota para que ele pudesse participar de um evento político. Acredito que pode, inclusive, ter sido mais de uma vez.”

Ela considera a prática legítima. “Se não usarmos a nossa cota de passagens, elas são canceladas. Acho normal que possam ser usadas para fazer política. É um despropósito que se use para a famílias passarem férias no exterior e não possamos usá-las para fazer política.”

A questão é simples: se não tem com quem gastar a cota de passagens, não gaste. Não faz parte do salário dos deputados, é um adicional. A farra é paga pelos idiotas aqui, como sempre. E não interessa se é para um delegado fazer campanha ou mandar a sogra para o inferno, ainda é uma desculpa esfarrapada.

Cartinha do leitor

16:14 | 19/03/09 | Rodrigo Alvares

De: Laura peixoto
Assunto: Protegenes em Lajeado…

“Oie! Ele não veio. Conforme o jornal local:

Protógenes não foi liberado por seu superior hierárquico. O policial federal esclareceu que sua liberação estava condicionada à análise de uma planilha de compensação de horários, o que não foi feito a tempo de permitir sua vinda.

A confirmação do cancelamento da viagem pelo delegado aconteceu um dia depois de a Polícia Federal tê-lo indiciado pelos crimes de violação do sigilo funcional e da Lei de Interceptações, supostamente ocorridos durante a Operação Satiagraha.

Em compensação um grupo de teatro de Poa veio e no final ficaram pelados no palco.
Muito melhor q ver o Protógenes vestido.

As pessoas ficaram de cara e a gente se matou rindo… Viva a colônia!!!

Abraço
Laura”

Um mês amanhã, pessoal

15:26 | 18/03/09 | Rodrigo Alvares

Nota da assessoria do PSOL, enviada hoje pela manhã:

Protógenes Queiroz se reúne com dirigentes do PSOL na Capital

Delegado vem ao Estado para palestrar sobre corrupção, em Lajeado

O delegado federal Protógenes Queiroz vem ao Estado nesta quarta-feira, 18, para realizar palestra com o tema ‘A corrupção no Brasil’, na Univates, em Lajeado.

Antes de se dirigir ao Vale do Taquari, Protógenes se reunirá em Porto Alegre com a deputada federal Luciana Genro, o presidente estadual do PSOL, Roberto Robaina, e o vereador Pedro Ruas, no escritório de advocacia deste (Av. Borges de Medeiros, 410, sala 724 - Centro). O encontro deverá ocorrer logo após o meio-dia, horário previsto para o delegado desembarcar na Capital.

A palestra de Protógenes em Lajeado está marcada para as 20h. Ocorre no auditório do prédio 7 da universidade (R. Avelino Tallini, 171 - Bairro Universitário). É direcionada a profissionais e estudantes de Direito, mas também será aberta à imprensa e aos demais interessados.

AVISO

O delegado federal Protógenes Queiroz só poderá chegar ao Estado no final da tarde, com isso, a reunião em Porto Alegre está suspensa. Protógenes deverá seguir direto para a palestra em Lajeado.”

O atraso do delegado seria porque ele foi chamado pela Polícia Federal hoje à tarde para prestar mais esclarecimentos sobre sua atuação na Operação Satiagraha - ontem foi interrogado e saiu com um indiciamento por violação da lei e quebra de sigilo funcional nas costas.

Crise de nervos para todos os lados

20:03 | 08/03/09 | Rodrigo Alvares

Os últimos dias passaram com vários boatos de que algo de peso estouraria contra Yeda Crusius (PSDB) em uma revista de circulação nacional e em um programa dominical. Sob esse contexto, a matéria da Carta Capital não trouxe muitas novidades e mais nada de relevante foi publicado de sexta para domingo sobre as denúncias do PSOL. Mesmo assim, tem gente em Porto Alegre que ainda não encontrou nas bancas a edição da revista com a desgovernadora na capa.

Enquanto isso, o delegado Protógenes Queiroz estava com passagem marcada rumo a Porto Alegre, mas foi proibido de viajar pela Polícia Federal. De acordo com uma fonte do PSOL, ele aterrissaria no Salgado Filho na última quinta-feira para prestar solidariedade a Luciana Genro.

Proibiram-no de deixar Brasília por causa da materia de capa da Veja desta semana, estrelada pelo delegado. Protógenes Queiroz teria usado métodos ilegais “para investigar autoridades como os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos), o ex-ministro José Dirceu, o governador José Serra (São Paulo), o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, o filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o empresário Fábio Luiz da Silva”, entre outros.

Apesar das negativas de Luciana Genro - ligar domingo à tarde é o fim da picada, foi mal - e da Record sobre uma eventual reportagem que iria ao ar hoje, é certo que amanhã o PSOL vai participar de uma plenária na Assembléia Legislativa com toda a cúpula do partido - mesmo que não tenham nenhum parlamentar na Casa.

Abaixo, a programação da AL para esta segunda-feira:

“AGENDA

Atividades da Assembleia nesta segunda-feira

1) Piso Nacional do Magistério

O senador Cristovam Buarque (PDT) reúne-se com prefeitos para tratar do Piso Nacional do Magistério. Às 15h, no Espaço do Fórum Democrático. O encontro foi organizado pelas lideranças do PDT na Assembleia Legislativa.

As lideranças do PDT no Legislativo e a Frente Parlamentar Gaúcha em Defesa do Piso Nacional do Magistério, coordenada pelo deputado Fabiano Pereira (PP), participam de ato público à favor do Piso Nacional da categoria, às 16h, no Plenarinho, 3º andar. O evento também vai contar com a presença do senador Cristovam Buarque (PDT). Após, os participantes realizam caminhada até a esquina democrática para defender as reivindicações do Magistério.

2) Comissão

A Comissão de Representação Externa para Levantamento da Criminalidade no Campo, coordenada pelo deputado Jerônimo Goergen (PP), vai acompanhar, em Santana do Livramento, o início do curso de formação de policiais para patrulhamento rural ministrado pela Brigada Militar. Essa é uma das primeiras atividades do órgão técnico, instalado na última semana na Assembleia Legislativa. A comissão terá 30 dias para apurar dados, em parceria com a Secretaria de Segurança Pública, sobre crimes como o furto de gado, máquinas, pivôs de irrigação e defensivos agrícolas.

3) Exposições

A exposição itinerante RS Mulher, alusiva ao Dia Internacional da Mulher, acontece nesta semana na Galeria dos Municípios do Legislativo gaúcho. Um conjunto de banners vão mostrar o trabalho e a vida de mulheres que estiveram à frente do seu tempo, quebrando paradigmas e preconceitos.

A individual com uma série de 12 óleos sobre tela do artista plástico gaúcho Erico Santos abre a agenda 2009 de exposições do Espaço Novos Talentos da Assembleia Legislativa (Praça Mal. Deodoro, 101), assinalando o Dia Internacional da Mulher. Com pinturas de pequenas, médias e grandes dimensões, o tema da exposição, que poderá ser visitada até dia 13 de março, das 8h30 às 18h30, é recorrente na obra do artista. A exposição integra a programação do Parlamento em celebração ao Dia Internacional da Mulher.

4) Fotografia

A mostra fotográfica “Porto Alegre sob o Olhar de uma Mulher”, de Fernanda Bigio Davoglio, está em cartaz até o dia 27 de março, na Sala J.B. Scalco (Duque de Caxias, 968), com visitação das 8h30 às 18h30, de segunda a sexta-feira. A atividade integra a programação alusiva ao Dia Internacional da Mulher e homenageia a Capital gaúcha, que completa 237 anos no dia 26 de março. Integram a exposição fotos do Rio Guaíba, Ilha da Pintada, Catedral, Cais do Porto, Praça da Matriz, Mercado Público, Igreja das Dores, entre outras. Fernanda Bigio Davoglio é formada em Jornalismo pela PUC-RS e atua como fotógrafa profissional há 15 anos. Cursou fotografia no Studio Marangoni, em Florença, Itália e, atualmente, trabalha como autônoma. Ela produz fotos para as revistas Cláudia, Caras, Elle e Contigo.

5) Sindicato

A Assembléia Geral dos Servidores Penitenciários do RS acontece, às 13h30, no Teatro Dante Barone.

6) Reunião

A coordenação do Fórum da Reforma Política realiza reunião, às 18h, na Sala Alberto Pasqualini, 4º andar.”

Segue o baile

15:30 | 06/03/09 | Rodrigo Alvares

Abaixo, trechos da reportagem “Aperta o cerco à governadora”, publicada na Carta Capital desta semana, sobre o que tem sido publicado nos últimos dias sobre Yeda Crusius, o PSOL e a camararilha geral:

“O advogado Pedro Ruas, vereador de Porto Alegre pelo PSOL, vive uma estranha angústia. Todo dia, há 15 dias, ele anseia por acordar e descobrir que, finalmente, foi processado pela governadora do RS, Yeda Crusius, do PSDB. Ruas, 50 anos, alardeia ter o destino da tucana nas mãos. (…)

Parecia uma operação simples, de resultado prático e imediato - o pedido do impeachment da governadora do RS -, mas Yeda Crusius decidiu não se entregar tão facilmente. A tucana teve o cuidado de jamais se pronunciar com clareza sobre as acusações lançadas pelo PSOL. Nem muito menos se arriscou a processar nenhum dos acusados. (…)

Entre 2003 e 2007, Lair Ferst comandou um esquema de desvio de dinheiro no Detran (…) Em 2007, depois de empossada, a tucana designou Flavio Vaz Netto para a direção do Detran. Netto, diz a PF, tomou comando da quadrilha para si e isolou Ferst. O lobista, então, virou um pote de mágoas. Preso e processado, resolveu entregar todo mundo para se safar. (…)

Em Brasília, o superintendente da PF no RS, Ido Gasparetto, reuniu-se com o delegado Aelio Caracelli, da 10ª Delegacia de Polícia da capital federal, encarregado das investigações sobre a morte do assessor de Yeda. Um ponto a ser esclarecido é a reunião entre Magda Koenigkan e o lobista Ferst, um dia depois da morte de Marcelo Cavalcante. O encontro foi relatado à polícia por pelo menos duas pessoas ouvidas pelo inquérito. (…)

De acordo com Pedro Ruas, as provas apresentadas por Lair Ferst sobre atos de corrupção na campanha e no governo de Yeda Crusius chegaram ao conhecimento dele e de outros integrantes do partido no início de janeiro. O vereador chegou a ser acusado de ter recebido as denúncias das mãos do vice-governador Paulo Feijó (DEM), inimigo declarado de Yeda desde o início do governo, em 2007. (…)

Agora, [Feijó] prefere não falar sobre a possibilidade de impeachment. Mas capricha na ironia: ‘Se as provas (do PSOL) vierem a público, vai ter fila na minha porta’, diz.”

Como assim, cara pálida? Se vierem a público? Fila na minha porta? A única novidade da matéria é que estas duas frases entregam a caixa preta que Paulo Feijó realmente tem em mãos, mas que não apresenta à população por razões que ainda precisam vir à luz.

E lá vamos nós

21:10 | 04/03/09 | Rodrigo Alvares

O desgoverno finalmente entrou no jogo. Vamos ver o que acontece amanhã:

Governo do Estado vai ao Ministério Público Federal acompanhar investigações

Em correspondência encaminhada nesta quarta-feira (4) ao procurador-geral da República, a governadora Yeda Crusius comunicou ao chefe do Ministério Público Federal (MPF) a utilização político-partidária da instituição nos ataques que o PSol tem feito ao seu governo e solicitou a adoção de providências a respeito.

Em relação às investigações eleitorais requisitadas pelo procurador regional eleitoral na terça-feira (3), o secretário da Transparência e da Probidade Administrativa, Carlos Otaviano Brenner de Moraes, esteve, por determinação da governadora, no Ministério Público e formalizou requerimento visando a acompanhar as investigações que porventura venham a ser feitas. Na mesma linha de orientação da governadora, o secretário visitou o presidente do Tribunal de Justiça e o procurador-geral de Justiça, para informar que, apesar da movimentação política contrária, o governo segue trabalhando normalmente.

Na correspondência ao procurador-geral da República, Yeda Crusius manifesta absoluta confiança na legalidade, confiabilidade e efetividade das ações do MPF e repudia as justificativas sempre feitas pelos representantes do PSol, de que as denúncias possuem base em documentos “endereçados, pertencentes ou sob a guarda segregada” pelo Ministério Público Federal. Da mesma forma que mostra estupefação pela tentativa dos denunciantes em fazer uso político-partidário daquela instituição.

Ao reafirmar ao procurador Antonio Fernando Barros e Silva de Souza a disposição em cooperar em toda a ação que contribua para a manutenção do ambiente de estabilidade política, a governadora reitera pedido de audiência já formalizado e pede ações eficazes do Ministério Público Federal para cessar “este abuso que atenta contra o governo e a sua titular”.

Já em relação ao inquérito determinado pelo Ministério Público Eleitoral, o secretário Carlos Otaviano Brenner de Moraes requereu autorização para acompanhar pessoalmente as investigações policiais.”

São 30 dias para ver quem está mais apavorado

17:33 | 03/03/09 | Rodrigo Alvares

O superintendente da Polícia Federal no RS, Ildo Gasparetto, voltou de Brasília com a requisição feita ao Ministério Público Federal sobre os tais documentos e provas existentes nas denúncias feitas pelo PSOL contra a desgovernadora Yeda Crusius (PSDB). O prazo é de 30 dias para ver quem está mentindo nessa história. E espero que ela realmente tenha um fim.

ponte.JPG
Tem uma ponte Juscelino Kubitschek no caminho de Yeda Crusius

Os nobres deputados da Assembléia Legislativa barraram o pedido da bancada do PT para solicitar ao MPF as mesmas informações. Entendo o medo da base aliada: caso pedissem acesso, poderiam consegui-las. E isso não seria nada bom para a desgovernadora, pois não faltaria parlamentar para vazar o que conseguisse - ou não - na imprensa.

Mas não creio que eles sejam ingênuos o suficiente para acreditar que nada vai aparecer durante um mês inteiro. A impressão que fica é de que o quadro da eleição de 2010 já vai estar montado no início de abril.

Sobre assessores transparentes

9:03 | 27/02/09 | Rodrigo Alvares

Do Painel da Folha de S.Paulo:

Personagem. Na esteira das novas denúncias contra o governo de Yeda Crusius (PSDB-RS), resultado de fitas que o PSOL diz ter colocado nas mãos da Justiça, um nome passou a ser repetido nos corredores da Assembleia: Walna Vilarins Menezes, braço direito da tucana.

Caderneta. Segundo aliados da governadora, é Menezes quem controla as fichas de “A a Z” dos ocupantes de cargos públicos. Ela também fazia o elo com a representação gaúcha em Brasília, que foi chefiada por Marcelo Cavalcante, encontrado morto na semana passada em circunstâncias ainda obscuras.”

Com uma função mais desconhecida para a sociedade gaúcha do que a da secretária da Tran$parência, Walna raramente teve seu nome citado em qualquer matéria da CPI do Detran. É mister que as pessoas saibam qual é a função de uma CC de Yeda Crusius que recebeu um aumento considerável em outubro de 2008 sob a forma da alteração do nível do cargo de confiança.

O Diário Oficial alterou, por exemplo, para o equivalente ao valor de CCE-12 a gratificação mensal atribuída a Walna. O que se sabe até agora: ela controla a agenda da governadora e tem grande influência sobre as nomeações. Por ela passariam todas as indicações para cargos em comissão no governo. Sem contar sua doação de R$ 4 mil para a campanha Yoda, em 2006.

Ontem, vazou a informação de que Marcelo teria verificado a possibilidade de entrar no Programa de Proteção de Testemunhas da Polícia Federal. O que pode sair hoje dessa vala deve estar em algum roteiro. Sexta-feira está aí, e as revistas semanais estão quase protinhas nas gráficas.

Se a PF e a Secretaria de Direitos Humanos já vazaram sobre o pedido de proteção de Marcelo Cavalcanti e irão rastrear suas ligações, é uma questão de tempo até que algo monstro exploda no colo de Yeda. Sem contar que a interpelação de Aod Cunha junto ao MPF fez um grande favor ao PSOL. Ou não.

Não quero explicações só de Yeda e do PSOL

12:26 | 26/02/09 | Rodrigo Alvares

O principal e eloquente argumento do Palácio Piratini é o de que o Ministério Público Federal, através do procurador Adriano Raldi, negou a existência de fitas ou provas de qualquer espécie nas mãos da entidade.

Tudo bem, é uma linha de defesa. Capenga, mas vá lá. O PSOL também poderia colaborar e soltar à imprensa o que tem - porque os dias passam e o partido só se queima a cada segundo.

Mas tem o seguinte: desde a última quinta-feira, Adriano Raldi tem sido o único representante do MPF a balizar a desgovernada. O problema é que o MPF tem, sim, documentação da CPI do Detran. E é o próprio Raldi quem confirma a existência dela nessa nota do longínquo mês de abril de 2008:

Rádio Guaíba

Jornal da Tarde – 16h00 – 10/04/08
Por: Bernardo de Souza Duarte
Data: 10/04/2008 Hora: 16:00

16h30 – Maurício Jühen – MP pode pedir quebra de sigilo de supostos envolvidos na fraude do Detran que tenham foro privilegiado. O procurador da República no RS, Adriano Raldi, membro da força-tarefa do MP federal na operação Rodin, que investiga as fraudes no Detran gaúcho, confirmou em entrevista ao programa Espaço Aberto da rádio Guaíba, que o MP federal pedirá à justiça federal, STJ, STF ou procurador geral da República, para investigar pessoas com foro privilegiado, caso necessário.

(SONORA DE ADRIANO RALDI, PROCURADOR REPÚBLICA RS)

Raldi justificou o porque do pedido da cópia dos registros do acesso de visitantes a Assembléia Legislativa entre sete e nove de maio do ano passado para verificar a visita a deputados de indiciados pela PF na operação Rodin. A suspeita é de que na data tenham ocorrido reuniões para fechar trica de contrato com o Detran da Fatec pela Fundae.

(SONORA DE ADRIANO RALDI)

Adriano Raldi explicou o porque de o MP federal ter retirado das cópias de novos depoimentos enviados à CPI do Detran, trechos em que depoentes eram confrontados com interceptações telefônicas.

(SONORA DE ADRIANO RALDI)

Nove novos depoimentos foram entregues ontem pelo MP federal a CPI. Para preservar o sigilo os deputados que quiserem acessar os dados terão que ir à secretaria da CPI e assinar um termo de comprometimento de não divulgá-lo.”

Que interessante. O MPF diz que não sabe de nada + nada, mas tem gravações com depoentes e acordos feitos com deputados há quase um ano. Mas como tudo é na base da reunião interna no Bovinão, eles ainda não descobriram nada e dizem que o PSOL alucina todas essas denúncias.

Peraí, uma contradição: como o MPF diz que as denúncias do partido não tem fundamento, se o próprio Raldi afirmou tudo isso à AL? Não são só Yeda Crusius e o PSOL quem têm muito a responder - e logo.