Tag ‘Senado’

Não me tirem para Pedro Simon

7:15 | 31/07/09 | Rodrigo Alvares

mad.jpg

Toca para o aeroporto

18:25 | 23/07/09 | Rodrigo Alvares

Mulher de Sarney cai e deve passar por cirurgia em SP (Folha)

A mulher do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), Marly Sarney, sofreu um acidente na manhã desta quinta-feira e deve ser transferida na noite de hoje para o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Dona Marly, 77, deve passar por uma cirurgia, já que fraturou três costelas e também sofreu quatro fraturas na região do ombro. O presidente do Senado deve acompanhar a mulher durante todo o tratamento em São Paulo.

Segundo a assessoria do presidente do Senado, dona Marly teria tropeçado em um tapete e sofrido uma queda.

Os assessores não souberam informar se o acidente ocorreu na Ilha de Curupu, onde Sarney passa férias com a família, ou na residência deles em São Luís, no Maranhão. Mas disse que o presidente do Senado está muito abalado com o ocorrido e preocupado por causa da idade de sua mulher.”

De acordo com a Infraero, dois voos procedentes de São Luís devem aterrissar no aeroporto de Guarulhos por volta das 2h30 de amanhã. Sorte da dona Marly que o senador não é uma pessoa comum e já deve estar em algum jatinho.

O recesso parlamentar funcionou mesmo

11:50 | 22/07/09 | Rodrigo Alvares

“Ai, pai, tô adorando meu telefone”

- Maria Beatriz Sarney, filha de Fernando Sarney e neta de José Sarney

Gravação liga Sarney a atos secretos (Estadão)

Uma sequencia de diálogos gravados pela Polícia Federal com autorização judicial, durante a Operação Boi Barrica, revela a prática de nepotismo explícito pela família Sarney no Senado e amarra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), ao ex-diretor-geral Agaciel Maia na prestação de favores concedidos por meio de atos secretos.

Em uma das conversas, o empresário Fernando Sarney, filho do parlamentar, diz à filha, Maria Beatriz Sarney, que mandou Agaciel reservar uma vaga para o namorado dela, Henrique Dias Bernardes.

Ouça os diálogos que ligam Sarney a atos secretos e a favores de Agaciel. Abaixo, trecho da conversa que deixa Sarney com as calças na mão:

Sarney - Alô?

FS - Benção, pai.

Sarney - Deus lhe abençõe. Olha, você não tinha me falado o negócio da Bia…

FS - Não, Não, ela falou comigo ontem.

Sarney - Mas ele (Bernardo, o irmão de Bia que deixaria o Senado) entrou logo com um pedido de demissão. Agora, pra…(é interrompido por Fernando)

FS - Eu falei com o Agaciel.

Sarney - Já falou com o Agaciel?

FS - Eu falei, falei.

Sarney - Tá.

FS - Pedi pro Agaciel segurar com ele. Agaciel tá com os dois currículos (do Bernardo e do Henrique) na mão dele, tá com tudo lá.

Sarney - Tá bom, eu vou falar com ele.

FS - Eu preveni. É só isso aí. É isso que eu queria. Que tu desse uma palavrinha com ele (Agaciel). Ele já tá sabendo, tá? Eu já…Se tu der resolve.”

Pelo “Fica, Sarney” e o “VoLLta, Simon”

14:31 | 14/07/09 | Rodrigo Alvares

Simon pensa em ir para casa (André Machado/ Zero Hora)

O plenário do Senado Federal faz neste momento uma catarse sobre sua crise. Na verdade a oposição no Senado Federal faz a catarse. (…) Os apartes são muitos.

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) repetiu o que disse ontem ao Gaúcha Atualidade e disse que não basta mais o afastamento de Sarney. Quer que ele renuncie à presidência.

‘Estou morrendo de vergonha! Me dizem: vá para outro partido. Mas não tenho para onde ir meu Deus. Estou pensando em ir para casa. Não tenho mais nada a fazer aqui’, afirmou.”

Volte para o Bovinão, senador Simon. Se não deu para limpar a Casa em todos esses anos, tempo é o que não falta para colocar ordem no pasto que o senhor deixou em tão boas mãos.

Dose Lula de agenda futebolística

18:31 | 03/07/09 | Rodrigo Alvares

Foto: Antonio Cruz/ABr
1430at3039.jpg
“Lúcio, que tal a liderança do PT no Senado? Nem gravata o Mercadante me dá”

Crise? Não é comigo

15:45 | 03/07/09 | Rodrigo Alvares

Que mimo o texto do presidente do Senado, José Sarney (PMDB/MA-AP), na Folha de S.Paulo de hoje (para assinantes):

Pinotti, um vazio que fica

Neruda, quando Silvestre Revueltas morreu, disse num verso forte que sua impressão era que um carvalho tinha tombado no meio do tempo. Essa é a sensação que temos quando perdemos um amigo que não era só uma ligação sentimental, mas um homem que carregava qualidades e virtudes que envolvem nessa perda a sociedade, o patrimônio humano do País. (…)

Quando morre um homem como o professor Pinotti, ficamos menores em nossa paisagem humana e de valores.”

Foto: Fabio Motta/AE
fabiomotta-sarneylandia.jpg

Todo o respeito a Pinotti, mas se ninguém caiu na história de que Sarney ocultou da Justiça Eleitoral uma casa de Brasília avaliada em R$ 4 milhões e culpou o contador, o excelentíssimo perdeu uma boa chance de tentar se defender de tantas denúncias.

Ainda bem que o capitão hereditário do Maranhão e do PMDB tem o apoio dos paladinos da Ética: Lula e seus senadores do PT, que como Sérgio Moraes (PTB/Ferradura), estão se lixando para tudo. Menos para 2010.

Sarney empurra enquanto pode

18:40 | 01/07/09 | Rodrigo Alvares

Repórter do CQC é derrubado por
seguranças de Sarney (Último Segundo)

O repórter Danilo Gentili, do programa Custe o Que Custar (CQC) da Band, foi derrubado pelos seguranças do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), nesta quarta-feira. Na chegada do peemedebista à Casa, Gentili tentou perguntar a Sarney ‘como é não ser tão poderoso quanto se pensava’, quando foi agarrado e levado ao chão pelos policiais que escoltavam o mandatário do Congresso.

Foto: AE
4919356danilo_gentili_brasil_272_398.jpg
“Seguranca do Sarney acabou de fazer comigo o que queriam fazer com ele”

Mais tarde, após o encerramento da sessão plenária, Gentili e grande parte da imprensa nacional tentaram conseguir uma declaração de Sarney sobre seu possível afastamento.

Nessa ocasião os seguranças se limitaram a dar cotoveladas e chutes nos calcanhares do repórter do CQC que perguntava: ‘Se o senhor sair da presidência a crise vai acabar ou ficar pior que antes?‘.

Tanto para a reportagem do CQC quanto para os demais veículos de comunicação, Sarney se limitou a dizer: ‘Não vou falar, vocês estão me impedindo de andar’.”

Pedro Simon, Paladino da Ética

18:37 | 25/06/09 | Rodrigo Alvares

Foto: Agência Brasil
simas2.jpg
“Se o Fogaça teve algum ato secreto? Nem isso ele conseguiu em 16 anos”

No pasto do cerrado é mais fácil

16:29 | 23/06/09 | Rodrigo Alvares

O senador Pedro Simon (PMDB/RS) acabou de falar no plenário do Senado que o presidente da Casa, José Sarney (PMDB/AP-MA), deveria pedir afastamento de 60 dias por conta das eternas denúncias que nunca são decifradas.

De acordo com o ex-governador gaúcho, a opinião pública não aguenta mais a falta de explicação para as falcatruas nos editais, os atos secretos, as chantagens e o fato de que não aparece ninguém para a assumir as crianças. “O presidente ainda me vem com frases como ‘A crise não é minha, é do Senado inteiro. Mas isso é um absurdo, porque se é uma crise da Casa, então o presidente deveria ser o primeiro a querer resolver esse problema’”, bradou.

Gostei do que Simon disse. Ainda mais porque, se substituir alguns nomes, fatos e denúncias, é exatamente o que ele deveria ter feito há muito tempo sobre os escândalos que assolam o Bovinão.

Homilia do juízo final para José Sarney

18:40 | 16/06/09 | Rodrigo Alvares


“A crise é do Senado, não é minha”

gato.jpg

GATO

Não é preciso escrever nada sobre o papelão que José Sarney (PMDB/AP-MA) faz como presidente do Senado. Mas sempre teremos sua galhardia literária para entreter os imortais na Academia Brasileira de Letras.

O jeito é o povo do Maranhão - e do Amapá - lembrar todo o progresso que o jovem promissor do vídeo abaixo prometeu, mas não antes de contruir a ponte José Sarney, a Escola Municipal Presidente José Sarney, que fica na Rua José Sarney, e a avenida José Sarney.

Melhor abrir licitação para construir masmorra

17:16 | 20/03/09 | Rodrigo Alvares

Depois de o Senado deixar claro para a população que tudo ali não passa de uma eterna quermesse, o nobre primeiro-secretário da Casa, Heráclito Fortes (DEMO/ PI), resolveu acabar com a baderna:

Heráclito Fortes suspende construção de cela no Senado (G1)

O primeiro-secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), determinou nesta sexta-feira (20) a suspensão da obra de construção de uma cela para quem cometer delitos dentro da Casa. A obra deveria ser concluída daqui a duas semanas.

Heráclito disse que a intenção é analisar a necessidade da construção. “Mandei suspender para analisar este caso”, disse o primeiro-secretário.

O diretor da Polícia do Senado, Pedro Araújo, informou que a cela, que é chamada de sala de custódia, começou a ser construída no final do ano passado e seria concluída em duas semanas. A cela poderia abrigar três pessoas e serviria para manter detido quem cometesse delitos dentro da Casa. Segundo Araújo, acontecem cerca de mil ocorrências por ano no Senado, mas nem todas levariam o infrator à nova cela.

A obra faz parte da reforma que está em andamento para ampliar o espaço da polícia da Casa. Como já estava em andamento, a construção não havia sido incluída na suspensão de novos empreendimentos determinada pelo presidente José Sarney (PMDB-AP).”

Quando se descobre que um parlamento que não faz nada de útil há meses tem mais cargos de diretores do que senadores - 181 a 81 -, é hora de vazar e deixar para o pessoal com cargos relevantes tocar o barco às claras.

Aguardarei ansiosamente Projetos de Lei e discursos no plenário dos responsáveis administrativos de áreas vitais do Senado, como da Coordenação Administrativa de Residências (leia-se: garagem) e da Coordenação de Apoio Aeroportuário (leia-se: ajuda para o check in).

Porque, depois de ver o choque dos senadores com a descoberta, melhor saber o que faz quem realmente manda por ali.

Update 17h31: Senado exonera diretores de ‘garagem’ e ‘check in’

Saudades da Semana do Presidente

10:13 | 11/02/09 | Rodrigo Alvares

Cartinha do novo presidente do Senado e nome promissor para as próximas eleições, José Sarney (AP-MA/ PMDB) ao jornal O Estado de S. Paulo:

Palavra do senador

O Estado de S. Paulo abriu, neste fim de semana, espaço para repercutir editorial que The Economist publicou em sua última edição, contendo ataques contra minha pessoa. Desejaria, a respeito, fazer alguns comentários.

Há muitos anos sou leitor e admirador de The Economist, revista que respeito pela coerência e exame aprofundado dos temas atuais. Por isso, mais do que surpreso, chocou-me o conteúdo do editorial de sua corrente edição pelo rancor que contra mim exibiu, esgrimindo acusações falsas e incorretas.

Estou escrevendo à The Economist, exigindo retratação. Se não o fizerem, buscarei a via judicial. Assina-lo o tom preconceituoso com que minha idade foi tratada pela revista. Não posso conceber que The Economist, editada num país cuja rainha ascendeu ao trono em 1952, encontre motivo de achincalhe no fato de que tenha disputado meu primeiro mandato há mais de meio século.

A título de curiosidade, vale recordar que a história política da Inglaterra oferece inúmeros exemplos de nomes que dedicaram longos anos de suas vidas à causa pública com competência e dedicação. (…Demência…)

Lançando mão de subterfúgios, esforçaram-se os editorialistas de The Economist em lançar sobre meus ombros a responsabilidade de todos os males e injustiças que ainda afligem o Estado do Maranhão, onde há 30 anos não disputo uma eleição.

Recordo, ainda, que há sete anos o Maranhão é governado pelo grupo de meus adversários políticos. Finalmente, não entendo a razão de tanta preocupação da revista com o futuro governador do Maranhão, Jackson Lago, que em breve estará sendo julgado pela prática de crimes eleitorais, de formação de quadrilha e de recebimento de propinas, no âmbito da chamada operação Gautama, pelo Superior Tribunal de Justiça.

José Sarney
Brasília

Escolha os fiscais da eleição, Renan

12:57 | 02/02/09 | Rodrigo Alvares

O Sarney não nasceu com aquilo voltado para a lua. Ele nasceu com a lua naquilo

Pedro Simon (PMDB/RS)

Nada como uma boa disputa de poderes no Congresso na primeira segunda-feira de fevereiro para vermos quão bem os políticos do país representam o caráter de seus eleitores. Como até em eleição para síndico o PMDB quer mostrar que tem direito a cargos entrou de sola nas sucessões no Senado e da Câmara.

Agora mesmo, o ex-presidente José Sarney (PMDB/ AP) discursa no plenário do Senado. É um ótimo exercício masoquista ouvi-lo pregar a criação do jornal da Casa e sua admiração a Antônio Carlos Magalhães (DEMO/ BA).

Nasci assim, com o ânimo da prudência

José Sarney (PMDB/ AP)

O preferência do PSDB pela candidatura de Tião Viana (PT/ AC) contra Sarney pegou todos de surpresa, mas naquelas, claro. A campanha presidencial começa hoje, e como o partido precisa do apoio dos ´caciques do nordeste para vencer, votar no senador petista não é tão absurdo assim. Mas não contem para ninguém sobre o interesse deles nos cargos da Mesa Diretora.

Na Câmara, o cenário deve acompanhar o resultado no Senado. E é lá que o resultado realmente interessa ao governo federal. Mas vamos com calma, que a demência deve ir longe nesta segunda-feira. Se Tião Viana vencer, é possível que a cabeça dos deputados entre em parafuso na hora de votar em Michel Temer (PMDB/ SP), Ciro Nogueira (PP/ PI) e Aldo Rebelo (PCdoB/ SP)

Garibaldi Alves (PMDB/ RN) anuncia que as cédulas já estão à disposição. A votação secreta - aquela mesma que salvou o novo líder do PMDB no Senado, Reeenan Calheiros (PMDB/ Playboy). Aliás, o presidente da Casa pediu a Renan que indicasse os dois fiscais da eleição.

Jesus, Eduardo Suplicy acabou de suplicar a Gaiba que esperasse a chegada de um senador que ainda está sobrevoando Brasília. Alguém gritou lá do fundão: “É particular ou de carreira?”.

“O avião do seu Nery pousou”. Vamo que vamo.

Isso vai me deixar com sequelas permanentes.

Update 13h39:

abewavebig.gif

José Sarney acaba de vencer a presidência do Senado por 49 a 32 votos sobre Tião Viana. Um doce para quem adivinhar qual partido vai eleger o presidente da Câmara.

Quem tem saudades de Renan Calheiros?

9:17 | 07/01/09 | Rodrigo Alvares

É duro acreditar que alguém na famigerada blogosfera política pense muito diferente sobre a condição atual como Fernando Rodrigues faz na Folha de hoje:

A política como ela é

BRASÍLIA - A cada dois anos repete-se, em janeiro, uma novela manjada. Políticos se digladiam na disputa para presidir a Câmara e o Senado pelo biênio seguinte.

É raro, mas às vezes surge alguma novidade. Desta vez, a tentativa de ser o ‘fator diferencial’ veio de Tião Viana, candidato a presidir o Senado -e eleito pelo PT do Acre’

O petista conseguiu produzir uma carta-compromisso com 1.527 palavras sem fazer uma única promessa concreta. Eclético, misturou Lei Áurea, Juscelino Kubitschek, Tancredo Neves e Antonio Carlos Magalhães. No trecho obrigatório ‘vou-agradar-a-oposição’, transbordou ambivalência ao mencionar sua posição a respeito do uso indecente de medidas provisórias pelo Poder Executivo:

‘Enfatizo minha posição contrária à (…) gana legiferante do Executivo, de que o excesso de medidas provisórias seria a perfeita ilustração, prática que subverte terrivelmente a agenda legislativa’.

E daí? Daí, noves fora, nada. Não ajuda muito considerar uma perfídia as MPs baixadas por Lula. O importante é alterar o sistema. Mas o tom melífluo de Tião Viana esclarece sua intenção a respeito. Ele afirma estar “convencido de que há saídas para o problema” e que vai ‘debatê-las com os colegas’.

Em resumo, se vencer e vier a se sentar na cadeira de couro tingido de azul da presidência do Senado, Tião Viana já tem uma desculpa.

Depois de alguns meses de inação, será indagado por que não cumpre a promessa de alterar a regra das MPs. Responderá: ‘Eu tentei, mas meus colegas não quiseram’.

O mais estapafúrdio nessa história é a empreitada de Tião Viana estar sendo, em grande parte, apoiada por senadores de oposição. PSDB e DEM não têm candidato próprio.

Acreditam ou fingem acreditar na promessa vaga do petista Viana contra o petista Lula. É difícil saber quem engana quem.

Trabalho de branco

11:00 | 20/12/08 | Leandro Demori

Estava acessando a Agência Brasil em busca de fotos para tirar Nini ali do banner, mas o link do banco de imagens parace ter antecipado o recesso de verão de Neverland-DF. Como não tenho absolutamente nada pra fazer resolvi dar uma passeada pelo site. Encontrei uma pesquisa interessante na parte de infografia, vi que saiu alguma coisa por aí mas não achei nada na mídia má.

Gente, esse istudu é tudo o que a mídia má pode querer, não? Que gente mais sem criatividade, por deos. Nosso Senado é branco, nossa Câmara é branca, esse país é governado exclusivamente por brancos, tá ouvindo, BRANCOS. Isso é coisa pra espalhar aos quatro ventos e fazer o papel de bom moço que quer defender “historicamente” a Raça Negra. O velho ditado de que algo não funciona porque é “trabalho de preto” caiu por terra. O Brasil, segundo declaram os próprios parlamentares, é um imenso “trabalho de branco”, uma Branquice. Nossa UTI política é trabalho de branco, nossa falta de ética, nossa moral de funkeiro, nossa favela mental - coisa de branco. Toda a roubalheira, toda a corrupção, toda a falta de senso coletivo, o individualsmo malandro, tudo, TUDO, T.U.D.O. coisa de branco.

Só não sei se o mais grave do levantamento é constatar que é a maioria dos parlamentares SÃO brancos ou se DECLARAM brancos.

Por via das dúvidas, de hoje em diante, quando quiser algo bem feito, direi: “vê lá, hein, me faz um trabalho de preto, OK? Não quero saber de trabalho de branco”.