Tag ‘vereadores’

Muay Thai x Vereadores de Porto Alegre

7:56 | 18/06/09 | Rodrigo Alvares

Quem me conhece há uns bons anos sabe que sou entusiasta do Muay Thai. Por isso, a vergonha absoluta quando esse tipo de coisa acontece em uma Casa onde a prioridade é nomear ruas e expulsar os gatos do perímetro.

Foto: Camila Domingues/ Câmara POA
dida.jpg
“Tenho contrato com a Nike. E esse teu terno reversível do Tevah?”

ETIQUETA NO PARLAMENTO (Zero Hora)

Olha quem está falando ao microfone
Reação de francês a suposto descaso na
Câmara da Capital acende controvérsia

A indignação de um lutador multicampeão francês, o franco-argelino Dida Diafat, com a suposta desatenção a seu pronunciamento na Câmara Municipal de Porto Alegre na tarde de segunda-feira expôs uma polêmica: quem presta atenção ao que é dito no parlamento?

Na tarde de segunda-feira, Diafat falou por cerca de quatro minutos como convidado do vereador João Pancinha (PMDB) na mesa da Câmara e impôs constrangimento a um grupo de parlamentares que conversava no plenário.

Aos 39 anos, 11 vezes campeão mundial de muay thai (arte marcial também conhecida como boxe tailandês), ator de filmes nos quais contracenou com o astro Jean-Claude Van Damme, Diafat defende há 15 anos a aplicação do esporte como forma de tirar crianças da miséria.

Ele se sentou à mesa da Câmara ao lado do presidente da Casa, Sebastião Melo (PMDB), por volta das 15h30min. Vestindo camisa polo e calça jeans, foi apresentado e convidado a saudar os presentes com um breve discurso logo após o também breve pronunciamento do compatriota François Sabado, dirigente do Novo Partido Anticapitalista (NPA), que foi à Câmara a convite do PSOL. Falando em inglês com forte sotaque, o visitante contou um pouco da sua vida e de como se salvou da pobreza por meio do boxe tailandês.

Diafat era traduzido por uma intérprete. Irritado com vereadores que conversavam no plenário, pediu atenção dos parlamentares.

– Sou próximo do governo francês e, quando falo com ministros, por exemplo, eles estão focados. Fiquei irritado ontem (segunda-feira) porque tive a sensação de que os políticos não se importam muito com as crianças brasileiras – disse Diafat ontem, rumo o aeroporto Salgado Filho, onde embarcaria para a França.

Depois de pedir atenção, Diafat repetiu parte da sua história e, novamente chocado com as conversas, fez um novo alerta.

O lutador, que veio ao Estado a convite da Confederação Brasileira de Muay Thai Tradicional para palestrar sobre o esporte, não culpa todos os parlamentares pelo incidente e espera que o ocorrido tenho sido resultado do seu inglês. Mas, ainda assim, saiu surpreendido pelo recepção.

– Nos Estados Unidos, Alemanha e Espanha, quando falamos de crianças, todo mundo escuta porque ama as crianças – disse ontem.

Diafat foi aplaudido e tirou fotos com parlamentares na Câmara. Nem todos os vereadores, no entanto, engoliram o puxão de orelha. O decano da Casa, João Dib (PP), aproveitou um aparte para repreender a atitude do estrangeiro, depois de sua saída.

– Ele não estava trajado convenientemente. Eu não merecia ter a atenção chamada por um diabo que veio sei lá de onde. Ele pode ser artista de cinema, mas eu sou vereador de Porto Alegre – disse o ex-prefeito, relembrando o episódio. (…)”

Falando nisso, já tiraram as crianças das esquinas da avenida Ipiranga? Ou das pontes que cruzam o Dilúvio? Era uma tarefa do PT e que José Fogaça (PP$/ PMDB) não consegue resolver há cinco anos. Alguém protesta? Claro que não. Dá trabalho ir até a prefeitura. É sujo e tem ciganas lá, cruzes.

Sim, são 20 anos de incompetência crônica dos bovinóides. E o que vocês fazem? Montam banquinhas na Redenção. Bom mesmo é providenciar para que as faixas de segurança de Porto Alegre sejam feitas em blocos de concreto.

Tiger uppercut na Câmara de Vereadores

16:57 | 15/06/09 | Rodrigo Alvares

Campeão de muay thai divulga esporte
(Câmara de Vereadores de Porto Alegre)

O campeão mundial de muay thai por 11 vezes, Dida Diafat, visitou hoje (15/6) a Câmara Municipal de Porto Alegre, quando defendeu maior divulgação do esporte na cidade e no Brasil. Disse que na França, onde mora, o governo decidiu apoiar o muay thai, principalmente como forma de retirar crianças das ruas e reintegrá-las à sociedade. Diafat também é ator e participou de vários filmes estrelados por Jean Claude Van Damme.”

Sem graça, não? Agora misture com um pouquinho de jornalismo:

Campeão de Muay Thai nocateia
os vereadores (André Machado/ ZH)

Os vereadores de Porto Alegre deram uma pausa hoje na discussão sobre o Plano Diretor para conhecer o Muay Thai. Anunciando-se onze vezes campeão mundial, o argelino naturalizado francês Dida Diafat, 36 anos, pediu que os parlamentares ajudem a retirar crianças de rua pelo esporte. Esta é a história de vida do atleta que trabalha com meninos franceses em vulnerabilidade.

Diante da habitual distração de parlamentares em plenário, o campeão chamou a atenção dos vereadores:

sagat.jpg

“Aí, essa história de proibir cotovelada não tem nada a ver, aí”

- Vocês estão me entendendo, não vim aqui apenas para ficar ficar falando. Destacou em um inglês afrancesado. Não entendo como muitos de vocês não estão prestando atenção no que estou falando, a gente fala sobre coisas boas e os políticos não estão nem aí para o que se está falando.

Constrangimento geral em plenário.

Diafat destacou que o Muay Thai é um esporte onde se entra para ter um estilo de vida, não um esporte para ganhar dinheiro. A página da Federação Paulista de Muay Thai diz que o “treinamento ajuda as crianças e adolescentes a terem maior poder de concentração em suas atividades paralelas” e é “muito conhecido pela sua eficiência em lutas de contato e até em torneios de Vale-Tudo”.

O vereador João Dib (PP) protestou contra o tratamento dado pelo francês:

- Ele precisa aprender educação. Destacou o ex-prefeito.

Diafat está em Porto Alegre para ministrar um curso na Ulbra. Ele também esteve em Buenos Aires para divulgar seu novo filme Chok Dee (boa sorte em tailandês).”

Melhor ensinar Muay Thai do que fazer oficina de malabares em espaços lúdicos. Sagat neLLes.

Uma coisa de cada vez, pessoal

5:56 | 23/12/08 | Rodrigo Alvares

Ninguém pode acusar os vereadores de Porto Alegre de falta de timing. Mal o Ministério Público engavetou a acusação de que alguns deles levaram propina para aprovar o projeto do Pontal do Estaleiro, e os líderes de cada partido se reuniram para decidir retirar a votação da pauta de 29 de dezembro.

A prioridade é discutir os projetos da dupla Gre-nal.

Foto: Pedro Revillon
pontal.jpg
“Aí, gurizada: vamos pensar a longo prazo OK? OK”

Até aí, compreensível. Pena que o veto do prefeito José Fogaça (PMDB) só voltará a ser mencionado lá pelos idos de janeiro, perto do carnaval - ou seja, nédedede até março.

Não dá para criticar as prioridades dos vereadores. Afinal, é só observar as cifras que envolvem os projetos para a Copa de 2014 e as que envolvem o Pontal. Assim é melhor, com o Plano Diretor da cidade retalhado durante o verão fica bem mais fácil dissuadir as pessoas.

A Nova Corja entrevista Soninha - Terceira parte

16:17 | 22/11/08 | Rodrigo Alvares

A Nova Corja - Como foi o rompimento com o PT? O pessoal lá não fala muito bem de ti.

Soninha - Só faltava falar. Seria de uma falsidade inacreditável. Não foi um dia em que houve um rompimento com o PT. Desde o começo, eu sofri. Desde, literalmente, o primeiro dia de mandato, que foi o dia da eleição da Mesa Diretora.

A Nova Corja - E tu pertencia a alguma tendência?

Soninha - Não.

A Nova Corja - E isso não causou nenhum problema?

Soninha -Depende. Depende se você é uma menina comportada ou uma pentelha. Na verdade, desde antes de de tomar posse, eu já comecei a ficar desconfortável. Primeiro, eu tive um encontro com um vereador do PT aqui na casa, que falou “Deixa eu te apresentar nossos colegas, deixa eu falar deles para você. Sabe, fulano: OLha, Fulano é muito engraçado. É uma figura. Se você fechar com ele por R$ 100 mil, não adianta vir alguém oferecer R$ 200 mil para ele, porque ele tá fechado com você”. Eu achei aquela uma maneira muito curiosa de apresentar alguém como uma pessoa engraçada. Depois “Sabe aquele outro lá? Olha, aquele outro, pela religião dele, ele é bastante rigoroso. Mas se você pagar, ele libera até a liberação da maconha”.

A Nova Corja - Um jeito bem Severino de negociar.

Soninha - Assim, achando graça no que para mim era trágico. Como se fosse “Deixa eu te contar do folclore da Câmara”. E depois disso, no meu primeiro encontro formal, o líder da bancada me chamou e disse: “Olha, você vai tomar posse no ano que vem, a gente tá discutindo o Orçamento, Mesa Diretora, vem aqui participar das reuniões. Eu fui para uma reunião em que o PT estava assumindo um compromisso de apoiar um candidato do Centrão - constituído pelas mesmas pessoas que meu colega falou.

A Nova Corja entrevista Soninha - Segunda parte

17:36 | 21/11/08 | Rodrigo Alvares

A Nova Corja - Mas essa história (negociação de uma fusão entre PSDB e PPS) não ganha importância depois que o PPS e tu anunciaram apoio à candidatura do Kassab, tendo em mente 2010? Porque tu teve uma boa votação aqui, por exemplo.

Soninha - É, tive. Que o PPS seria oposição ao PT era óbvio. Se declararia apoio ao adversário do PT, seria menos óbvio. Mas era muito provável. Porque o PPS, na eleição de 2004, foi da aliança que elegeu Serra e Kassab. Então, na verdade, não quis deixar de ter candidatura própria, quis disputar a eleição este ano. Mas, estando fora da disputa, apoiou o partido com o qual já tinha a chapa. A posição mais clara do PPS em nível nacional em alguns cenários, é de oposição ao PT. Claro que, como em todo quadro partidário brasileiro, você vai ter várias situções em que o PT e o PPS estão de um lado e o PSDB do outro. Você tem em Belo Horizonte PT, PPS e PSDB na mesma coligação. Se tentar avaliar a inclinação de um partido pelos seus aliados, o único que se salva é o PSTU.

A Nova Corja - O PSTU?

Soninha - É o único que não tem aliados à direita. O PSOL tem aliança com o Democratas em uma eleição municipal no Amazonas. Não é modo de dizer, eu estou afirmando o fato. Então, o fato de o PPS ter migrado de um lado ao outro do Meridiano de Tordesilhas”, porque depois que teve o Ciro Gomes candidato à presidência, não tendo candidato no segundo turno, apoiou o Lula. Depois rompeu com o governo dele, depois de ter apoiado o PT em São Paulo e passou pro lado de oposição ao PT. Como esse mundo tá dividido assim, em duas metades de uma laranja, estar contra o PT é estar aliado ao PSDB e ao DEM. Agora, aferir daí um fusão faz tanto sentido quanto dizer que o PCdoB vai fazer parte do PT. Vai deixar de ser um partido à parte.

A Nova Corja - Em Porto Alegre, já davam como certa a negociação.

Soninha - Imagina. É uma conversa de pé, na porta de casa: “Ah, vamos conversar, um dia a gente vai ficar junto, hein: Mas tem que mudar o nome do partido”. E aí vira uma articulação nacional, é o fim da picada. É de um desrespeito com a base do partido absurdo. Se eles temem pelas suas próprias chances eleitorais, se estão insatisfeitos com o PPS e querem ir para o PSDB, saiam. Vão. Tem liberdade de associação. Claro, tem o risco de perder o mandato, mas, enfim, corra-se o risco.

A Nova Corja - E como o PPS avalia a gestão Serra; Kassab e o que espera do prefeito agora?

Soninha - Avalia que tem qualidades e defeitos. Qualidade na reengenharia das finanças, como agora mesmo, eu estava lá na Comissão de Administração Pública. Atribui-se muito, a Marta disse muito disso durante a campanha eleitoral, de que esse governo tem condições de fazer muito mais do que ela fez porque não pegou a casa arrumada e uma receita muito maior por causa do crescimento econômico. Ponto número um: a casa não estava arrumada. As dívidas decorrentes dos tais empenhos cancelados em 2004 eram de montante absurdo e que prejudicaram imediatamente a prestação de serviços essenciais.

A Nova Corja - E qual era o valor desses empenhos?

Soninha - (pega um polígrafo com os números da comissão) Aqui: Decreto 45.644 R$ 880 milhões. O que é um empenho cancelado: quando você tem um empenho para ser liquidado, é porque o serviço foi prestado e falta o pagamento, ou porque o contrato foi assinado com uma empresa de serviços contínua, como coleta de lixo.

A Nova Corja - Um tipo de calote.

Soninha - Um deles, sem ter sinônimo melhor. Então, tinha esse problema dos empenhos cancelados, que diziam respeito a alguns serviços essenciais, como poda, varrição, coleta de lixo, uma coisa absurda. E ainda tem os problemas dos precatórios decorrentes da gestão do Pitta e do Maluf. É uma herança que a gente continua pagando à medida que a Justiça vai dando ganho de causa às ações.

A Nova Corja - E como a prefeitura planeja resolver isso?

Soninha - Então, o que a prefeitura fez foi criar um Programa de Parcelamento Incentivado de dívidas para aumentar sua receita. Porque houve duas engenharias: para lidar com os credores e para aumentar a receita. O aumento foi muito maior que o crescimento econômico, isso é fato. Para aumentar a receita, criou o parcelamento incentivado, que é uma iniciativa velha. Entre não receber nunca uma dívida e receber em parcelas, com redução de juros de mora, criou o PPI, o Cadin (cadastro de devedores) para administrar melhor essa dívida. Foram várias medidas para receber dívidas que há muito tempo não vinham sendo pagas, para coibir a sonegação, vários modelos de engenharia que aumentaram a receita e que botaram o pagamento das dívidas do município razoavelmente nos trilhos.

A Nova Corja - E o lado ruim?

Soninha - Pelo lado ruim, o sistema de trânsito e transporte tem melhoras pontuais, mas estruturalmente evoluiu muito menos do que o necessário para a demanda que a gente tem.

A Nova Corja - Há quase um ano, eu vim aqui te entrevistar sobre o Projeto de Lei que implementa o pedágio urbano em São Paulo. O Kassab passou 2008 inteiro dizendo que “essa gestão não vai fazer isso”, mas acabou mandando o PL para cá pouco antes das eleições.

Soninha - Aquele era o Projeto de Política Municipal de Mudanças Climáticas, que prevê a possibilidadee de pedágio urbano, e com esse viés do controle da emissão de poluentes, do poluidor-pagador. Não é nem o pedágio urbano com o objetivo de aumentar a fluidez do tráfego. É de fazer o mais poluente pagar mais proporcionalmente. Mas o Kassab retirou o projeto e suprimiu esse artigo para apresentar de novo. Aí o vereador Carlos Apolinário (DEM) apresentou um projeto dele, prevendo a criação de pedágio urbano. Custa muito caro para o prefeito aprovar essa PL na Casa e sem respaldo popular, sem apoio de mídia.

A Nova Corja - Ele não teria poder político para isso depois de sair de um dígito nas pesquisas e ganhou a eleição. Isso não daria respaldo a ele?

Soninha - Não faz a menor diferença. Eu fui eleita com 50 mil votos e eu não tenho aqui mais poder de persuasão do que quem teve 14 mil votos. Depende da capacidade de fazer acordos e concessões. O prefeito, para fazer a Câmara aprovar uma medida tão impopular quanto o pedágio urbano, a Casa faria muitas exigências. Muitas exigências.

A Nova Corja - Que espécie de exigências?

Soninha - Compensações.

A Nova Corja - Aquelas compensações das quais tu falou na sabatina do Estadão.

Soninha - Eu falei de vários tipos de compensações. A pior delas é a de dinheiro, propriamente. Eu só me arrependo em um ponto. Pensando bem, eu nem sei se essa é a pior delas. Se a pior forma é você é você pagar em dinheiro pelo voto de um parlamentar. Porque se você atende a exigência de um parlamentar nomeando alguém inepto a um cargo público, esse é um prejuízo incalculável. Claro que é absolutamente errado, indesculpável, você pagar R$ 50 mil para um parlamentar votar de acordo com a vontade do Executivo. Agora, você nomear um coordenador de saúde incompetente, um subprefeito corrupto, um secretário inepto, e o custo disso? O impacto disso? Não só o financeiro, não é horrível?

A Nova Corja - E como está a tua relação com o pessoal ali dentro do plenário?

Soninha - Está apaziguada (pausa). Não teve mais nenhum desdobramento.

A Nova Corja - E como tu projeta o teu último mês aqui na Câmara?

Soninha - Ah, provavelmente menos produtiva do que eu gostaria. Mas isso não é só do último mês, é o mandato inteiro.

A Nova Corja - Que tipo de decepções?

Soninha - A decepção de ver que o seu esforço, a qualidade e a dedicação do seu trabalho não tem a menor relação de causa e conseqüência com a sua produvidade como legislador. Se você estuda profundamente uma questão para elaborar um projeto de lei, para fazer um parecer do projeto de um colega. Na prática o resultado não é muito diferente. Quantas vezes eu já não peguei um PL na Comissão de Constituição e Justiça e analisei, estudei, debati, perguntei e fiz um parecer contrário. Facilmente ele é derrubado por quem nem leu o projeto.

Por causa da cultura que existe na Casa que, a menos que haja uma situação declarada de conflito, um vereador não se oponha ao projeto de outro. Isso só acontece em duas circunstâncias: de um conflito mesmo - de bloco, de grupo ou pessoal - entre os vereadores, ou, em último caso, em uma votação em segunda no plenário e que fica acordado que o vereador pode manifestar voto contrário ao projeto do outro só porque já está garantida a aprovação do projeto.

A Nova Corja entrevista Soninha - Primeira parte

17:24 | 20/11/08 | Rodrigo Alvares

A vereadora de São Paulo Soninha Francine (PPS) é uma pessoa inteligente, sensível e apaixonada com tudo o que faz. Ela também tem a fama de ser honesta e imediata em suas declarações. O fato de ter dispendido quatro anos de sua vida na Câmara dos Vereadores de São Paulo não teria me causado nenhuma reação se ela mesma não confirmasse que quase tudo que fez foi em vão, o que a torna uma das únicas pessoas normais que já encontrei na política brasileira. Abaixo, a primeira parte da entrevista:

A Nova Corja - Como está sendo voltar para a TV depois de todos esses meses de campanha?

Soninha - Eu gosto. Às vezes, tenho vontade abrir mão de algumas coisas para ter uma vida mais tranqüila, para não estar sempre tão apressada e aflita. E várias vezes eu já me perguntei se não devia parar com a TV. Mas quando eu começo a fazer, aí eu não tenho a menor dúvida. Eu geralmente chego para fazer o programa mais derrubada do que eu saio. Depois de fazer um programa de uma hora e meia no ar, eu me sinto melhor do que na hora em que chego.

A Nova Corja - É isso que eu tenho notado. Costumo assistir ao Bate-Bola [programa da ESPN] e e é bem descontraído.

Soninha - É, A gente fica à vontade ali. Claro que tem um roteiro, uma direção, tem um editor, uma orientação. o ponto eletrônico. Mas a gente tem liberdade - dentro de um formato, lógico.

A Nova Corja - Sim, outro dia vi o Antero Greco e o…

Soninha - Amigão [o jornalista Paulo Soares].

A Nova Corja - E o Amigão no Sportscenter rindo por uns dois, três minutos.

Soninha - Só para completar: por ser futebol, por algo que me dá prazer, por ser onde é, porque a ESPN tem uma filosofia, tem uma ideologia - e pratica. Além disso, é muito bom não viver só nesse mundo aqui, de vereadores e assessores e secretários, chefes de gabinete, de partidários, de opositores. É muito bom ter contato constante, próximo com outras pessoas. Ter outras relações profissionais fora desse mundo aqui. Porque aí a gente não deixa de olhar a política por fora, também. Não deixa de enxergar os absurdos da política.

A Nova Corja - Como pela tela de plasma ali [na ante-sala do plenário há uma TV que transmite os discursos dos vereadores]?

Soninha - É, com os olhos de quem tá vivendo uma situação e não se vê representado na política. Porque às vezes parece que a gente tá tão fechado em si mesmo, que parece que a gente tá confabulando a discussão mais importante do mundo.

A Nova Corja - Sim, como agora há pouco. Eu estava ali dentro e veio um segurança, me perguntou com quem eu estava e respondi “Com a Soninha”, e ele disse que eu não podia devia ficar ali. Mas agora eu tenho uma pergunta muito importante para te fazer e que me persegue há meses. Quem vai ganhar o Campeonato Brasileiro: o Palmeiras ou o Grêmio?

Soninha - O Palmeiras não é. Se são essas as alternativas, ficou fácil.

A Nova Corja - Bah, mas eu escutei por meses que o Palmeiras seria o campeão.

Soninha - É, e tinha boas chances, não tinha? Tanto que, até a semana passada, estava no páreo.

A Nova Corja - Bom, mas aí veio o Grêmio aí e, bom, normal, né?

Soninha - Até que é. Melhor perder para o Grêmio do que levar três do Sport. O Grêmio ainda tá no páreo.

A Nova Corja - Mas aí, nessa questão, tu tem acompanhado a construção da Arena do Palmeiras, sabe se vai ter dinheiro do governo estadual?

Soninha - Não, o recurso é todo privado.

A Nova Corja - E, dentro disso, como é a tua relação com o Serra [PSDB/ governador de São Paulo e também torcedor do Palmeiras]? Vocês devem se encontrar no Parque Antártica. Chegam a conversar…

Soninha - Sobre a arena?

A Nova Corja - Não, sobre o Palmeiras em geral, política…

Soninha - Ah, sim [ri]. Sobre o Palmeiras em geral, em dia de jogo principalmente. Mas sobre política a gente não tem conversado muito.

A Nova Corja - É que agora tá rolando essa história do PPS meio que entrar no PSDB.

Soninha - Papo totalmente furado. Nascido lá mesmo, no Rio Grande do Sul.

A Nova Corja - É mesmo?

Soninha - O fato é que, provavelmente algumas pessoas no PPS - especialmente alguns parlamentares com mandato -, analisando os resultados dessa última eleição, preocupados com a perspectiva das próximas eleições, com a possibilidade de o PPS ter chapa forte - representativa ou não - começam a planejar o próprio futuro.

E imagino que, em virtude de ter havido uma aliança renovada nos últimos anos, que o PPS podia se juntar ao PSDB. Mas isso é uma opinião deles, tanto quanto eu tenho a opinião de que a gente precisa evoluir do modelo partido e pensar no outro. As pessoas poderiam se organizar em várias células simultâneas conforme a área de atuação. As pessoas têm direito a uma opinião. Agora, eu discordo profundamente de quem tem essa opinião. Porque uma coisa é você tentar se fortalecer e temer pela sua própria sobrevivência com representação parlamentar. Um partido pode continuar existindo sem representação parlamentar, mas digamos que fica muito frágil.

Então, eu entendo que as pessoas temam pela sobrevivência do partido, das bancadas e tal. Mas não faz muito mais sentido você, por exemplo, atrair setores descontentes do PSDB - com as inclinações centristas do PSDB - para aumentar um partido de esquerda, ou procurar o PSB, ou outro partido socialista. Agora, você levar o seu partido pequeno a um grande não vai te fortalecer, vai te diluir.

A Nova Corja - E quem do Rio Grande do Sul botou isso na pauta?

Soninha - O Nelson Proença.

A Nova Corja - Tu andou sabendo do que o PPS aprontou no RS?

Soninha - Não.

A Nova Corja - No caso da Yeda [Crusius (PSDB)], com a CPI do Detran, quando flagraram um integrante do PPS, Cezar Busatto…

Soninha - Ah, sim.

A Nova Corja - …que era secretário da Casa Civil. Isso pegou muito mal.

Soninha - Claro.

A Nova Corja - E a Yeda chama ele de exilado político.

Soninha - Chama ele do quê?

A Nova Corja - Chama de exilado político porque logo depois disso ele se bandeou para os Estados Unidos para cobrir as eleições americanas.

Soninha - Bom, mas uma vez alijado do governo, tendo renunciado ao cargo, que mais resta? Se tiver que ser respondido na Justiça, que seja, mas politicamente, o governo é dela, e ela é quem tem que segurar a onda. Tem que responder por isso.

A Nova Corja entrevista Soninha - Teaser

19:46 | 19/11/08 | Rodrigo Alvares

Foto: Rodrigo Alvares
varias-069.jpg
Não, não é a Soninha. Faz parte de uma exposição africana no hall da Casa

A cidade sob meus pés e a garoa fina contra as lentes dos óculos. É bom estar de volta às ruas, a caminho da Câmara de Vereadores de São Paulo para entrevistar Soninha Francine (PPS). Quando estou quase em frente ao local, liga a assessora da parlamentar para avisar que o encontro teria de ser adiado em uma hora por causa de uma reunião da Comissão de Finanças, ou algo assim.

Eram 13h35, e eu teria uma longa espera pela frente. Ficar no boteco da esquina e tomar umas cervejas estava fora de questão. O que me levou a outra dúvida: por que diabos eu perderia uma coisa dessas no epicentro da representação legislativa do Brasil? Fui parar na Comissão de Saúde e encontrei o novo colega do blog Jones Rossi por lá.

Graças ao tédio mortal, descemos até o plenário para ele falar com um vereador. Fiquei só no biriri, observando as entradas e saídas do lugar e, claro, a discussão sobre uma tal de CPI dos Parasitas da Saúde. Voltamos ao oitavo andar, mas quando chegou perto das 15h, retornei à entrada do plenário para me encontrar com a vereadora.

Mas ela não aparecia, e temi um desencontro - alguns parlamentares usam elevadores privativos para chegar ao salão. Ipod nos ouvidos, me fiz de louco e usei a entrada dos funcionários. Nada aconteceu. Eu estava dentro. Passei os olhos e não encontrei a ex-candidata à prefeitura da capital do Fumaquistão.

Cruzei o plenário e observei que os jornalistas ficavam em algum tipo de gaiola, sem contato com os vereadores caso eles queiram fazer isso. Fui para a ante-sala, onde rola o tradicional cafezinho e conversas ao pé do ouvido. Na tela de plasma, os parlamentares com os discursos de sempre.

Aquilo me encheu o saco e voltei para o centro da festa. Sentei em uma das cadeiras no fundão e finalmente avistei a vereadora, concentrada em alguma leitura. Decidi esperar ela terminar porque, tu sabe, poderia ser uma grosseria. O problema foi que um segurança também me avistou e veio discretamente até mim.

Perguntou se eu estava com alguém: “Claro, estou com a Soninha”. Óbvio que ele veio com a conversa de que eu não podia estar ali. Pedi permissão para avisar a vereadora e acabar com a sua leitura, mas não deu galho e voltamos à ante-sala, onde demos início à uma entrevista bem esclarecedora.

Amanhã, a primeira parte da conversa.

Esconder por quê?

9:04 | 19/11/08 | Rodrigo Alvares

MP decreta sigilo sobre Caso Pontal (Zero Hora)

Responsável pela averiguação de suspeitas de propina a vereadores para votarem favoravelmente ao projeto do Pontal do Estaleiro, o promotor de Defesa do Patrimônio Público, César Faccioli, decretou na manhã de ontem sigilo sobre as investigações. A decisão, explicou, tem o propósito de preservar a identidade das testemunhas.

Ainda pela manhã, Faccioli ouviu o vereador Beto Moesch (PP). À tarde, foi a vez da vereadora Neuza Canabarro (PDT) falar ao Ministério Público. Os dois falaram à imprensa sobre rumores a respeito de propina. Segundo Faccioli, Neuza teria confirmado o que disse em entrevistas.

“Nenhum dos vereadores testemunhou pessoalmente qualquer ato ilícito. Eles ouviram dizer. Moesch indicou algumas pessoas que podem contribuir com a investigação”, declarou Faccioli.

Moesch informou que entregou ao promotor o nome de seis testemunhas. Elas devem ser intimadas ainda esta semana para comparecer ao MP.

Saiba, ligue, pergunte

16:49 | 13/11/08 | Rodrigo Alvares

Já que ninguém sabe direito para o que os vereadores de Porto Alegre servem, confira a lista abaixo e veja com o que eles se importam. Uma ligadinha para eles não deve custar muito, também.

Votos a favor do Pontal do Estaleiro:

Alceu Brasinha (PTB) - 3220-4236

Almerindo Filho (PTB) - 3220-4245

Bernardino Vendruscolo (PMDB) - 3226-5629

Dr. Goulart (PTB) - 3220-4293

Elias Vidal (PPS) - 3220-4248

Ervino Besson (PDT) - 3220-4278

Haroldo de Souza (PMDB) - 3220-4203

João Carlos Nedel (PP) - 3226-5994/ Celular: (51) 9942.0193

João Antônio Dib (PP) - 3226-9078

João Bosco Vaz (PDT) - Não divulga o telefone

José Ismael Heinen (DEM) - 3226-7758

Luiz Braz (PSDB) - 3226-2218

Maria Luiza (PTB) - 3220-4281

Maristela Meneghetti (DEM) - Não divulga o telefone

Maurício Dziedricki (PTB) - Não divulga o telefone

Mauro Zacher (PDT) - 3220-4227

Nereu D´Avila (PDT) - 3226-3467

Nilo Santos (PTB) - Não divulga o telefone

Sebastião Melo (PMDB) - 3220-4209

Valdir Caetano (PR) - 3220-4221

Contrários ao projeto:

Adeli Sell (PT) - 3220 4254/ Celular: 9933-5309

Aldacir Oliboni (PT) - 32204266 / 32204268

Beto Moesch (PP) - Não divulga o telefone

Carlos Todeschini (PT) - 3226-4313

Cláudio Sebenelo (PSDB) - 3226-4079

Dr. Raul (PMDB) - 3220-4299

Guilherme Barbosa (PT) - Não divulga o telefone

José Valdir (PT) - Não está na lista do site da Câmara

Marcelo Danéris (PT) - Não divulga o telefone

Margarete Moraes (PT) - 3220-4251

Maria Celeste (PT) - 3220-4284

Mauro Pinheiro (PT) - Não está na lista do site da Câmara

Neuza Canabarro (PDT) - 3220-4242

Professor Garcia (PMDB) - 3226-2686

Abstenções:

Elói Guimarães (PTB) - 3227-5089

Maristela Maffei (PCdoB) - 3226-0696

Agora, parte da nota oficial da Câmara:

“Arquitetônico

Com a alteração do regime urbanístico daquela região, um escritório de arquitetura projetou para o local a construção de quatro prédios residenciais com 12 metros de altura cada um, com estacionamento subterrâneo, um edifício comercial de 12 andares com 195 salas e um flat também de 12 andares, com 90 apartamentos. Todas estas construções terão acesso privativo.”

Uau, me parece que eles estavam com tudo pronto e nos cascos mesmo. Aposto que agora tu estás orgulhoso de não se lembrar em quem votou há um mês.

Espigou geral

20:03 | 12/11/08 | Rodrigo Alvares

É nessas horas que sinto falta do Isaac Ainhorn para botar ordem na vala:

Pontal do Estaleiro: manifestantes protestam dentro e fora do Plenário (ZH)

Os manifestantes, que planejaram um protesto silencioso para o debate sobre o Pontal do Estaleiro, não resistiram aos discursos acalorados dos vereadores e iniciaram uma série de insultos e vaias nesta quarta-feira, na Capital.

Foto: Pedro Revillion
espiga.jpg
É demais para mim. Insira legenda

Estudantes e integrantes de entidades ambientalistas ocupavam a Câmara, dentro e fora do plenário. O público foi formado também, por uma minoria de representantes do Sindicato da Construção Civil de Porto Alegre, que só observava a sessão.

Aqueles que não receberam uma senha, puderam acompanhar os discursos do lado de fora do plenário onde foi instalado um telão, com toldo e cadeiras. Munidos de pandeiros, megafones e tambores, o espectadores vibravam e chegaram a atirar moedas contra o equipamento instalado no saguão.

Elson Sempé Pedroso
haroldo.jpg
Democracia não tem vez em estádio de futebol

Com o ato, o grupo insinuava que os parlamentares favoráveis ao projeto estavam recebendo dinheiro das empresas privadas envolvidas na obra. Do lado de fora do prédio um estudante se vestiu de espigão para simbolizar a construção do empreendimento.”

Parabéns bovinóide da capital

10:57 | 06/10/08 | Leandro Demori

Você acaba de reeleger 19 irrelevantes.

Nome do Vereador - Índice de projetos relevantes*
Carlos Todeschini - 26,2%
Bernardino Vendruscolo - 22,8%
Elói Guimarães - 22,7%
Professor Garcia - 21,4%
Luiz Braz - 21,1%
Aldacir Oliboni - 20,7%
Sofia Cavedon - 19,0%
Elias Vidal - 17,9%
João Antônio Dib - 15,0%
Maria Celeste - 14,7%
Adeli Sell - 11,8%
Carlos Comassetto - 10,7%
Maurício Dziedricki - 9,1%
Sebastião Melo - 8,8%
Dr. Goulart - 5,6%
Haroldo de Souza - 2,9%
João Carlos Nedel - 1,6%
Beto Moesch - 0,0%
Mauro Zacher - 0,0%

*Transparência Brasil

Vote nu

15:43 | 04/10/08 | Walter Valdevino

Geniau essa campanha da mídia má, feia, bobona e gollpista para que todo mundo vote con$ciente amanhã.

É geniau porque é simplesmente IMPOSSÍVEL escolher um candidato para votar. Nas outras cidades eu não sei, mas aqui na capital bovina tá dureza.

A Transparência Brasil divulgou na última quarta-feira um estoooodo mostrando por A + B que “88% da atividade legislativa dos vereadores de Porto Alegre é irrelevante“.

OITENTA E OITO POR CENTO = IRRELEVANTE.

Nas palavras da própria Transparência:

De 1.442 mil projetos apresentados entre 2005 e 2008 pelos vereadores que se encontram em exercício, 694 foram aprovados. Apenas 171 dessas propostas que se tornaram lei se referiam a assuntos com impacto sobre a vida e a administração da cidade. Os demais projetos aprovados - mais de 500 - dedicavam-se a homenagens, fixação de datas comemorativas e outros assuntos irrelevantes.

Isso resulta numa taxa de relevância (projetos relevantes aprovados em relação ao total de projetos apresentados) de 12%. Assim, pode-se dizer que a irrelevância da atividade legislativa na Câmara porto-alegrense é de 88%.

(…)

Fazendo o mesmo cálculo para cada um dos vereadores, a média de produtividade relevante dos integrantes da Câmara foi de apenas 11%. Só dois ultrapassaram a marca dos 25% de relevância e nenhum chegou a 34%.

Depois do estoooodo foi possível avaliar o índice de relevância de cada vereador de nossa querida capital bovina. Vamos à lista em ordem decrescente de relevância. Sugestão: tem vários concorrendo à reeleição, portanto, dê uma conferida:

Vereador - Índice de relevância

Margarete Moraes - 33,3%
Carlos Todeschini - 26,2%
Bernardino Vendruscolo - 22,8%
Elói Guimarães - 22,7%
Professor Garcia - 21,4%
Luiz Braz - 21,1%
Aldacir Oliboni - 20,7%
Neuza Canabarro - 20,6%
Sofia Cavedon - 19,0%
Elias Vidal - 17,9%
José Ismael Heinen - 15,8%
João Antônio Dib - 15,0%
Maria Celeste - 14,7%
Alceu Brasinha - 13,8%
Ervino Besson - 13,2%
Dr. Raul - 12,5%
Adeli Sell - 11,8%
Carlos Comassetto - 10,7%
Maurício Dziedricki - 9,1%
Sebastião Melo - 8,8%
Claudio Sebenelo - 7,0%
Maristela Maffei - 6,8%
Almerindo Filho - 6,7%
Dr. Goulart - 5,6%
Maria Luiza - 3,1%
Haroldo de Souza - 2,9%
Nereu Davila - 1,6%
João Carlos Nedel - 1,6%
Beto Moesch - 0,0%
Guilherme Barbosa - 0,0%
Marcelo Danéris - 0,0%
Maristela Meneghetti - 0,0%
Mauro Zacher - 0,0%
Nilo Santos - 0,0%

Para tornar tudo mais divertido, a Transparência também analisou a bufunfa gasta com nosso queridos representantes:

A Câmara Municipal do Porto Alegre tem um orçamento para 2008 de pouco mais de R$ 68,4 milhões (o que significa R$ 1,9 milhão por cadeira de vereador), um montante baixo para os padrões brasileiros mas ainda assim mais elevado do que, por exemplo, o custo de um parlamentar argentino, chileno, português ou espanhol. Cada habitante de Porto Alegre contribui com R$ 48,15 para a manutenção de sua Câmara de Vereadores.

Cada vereador recebe um salário de R$ 8.561,00. Cada parlamentar recebe 14 salários por ano, dois deles a título de “ajuda de custo”. Além disso, os edis porto-alegrenses têm o direito de nomear até
seis assessores parlamentares por comissão, cujos salários variam entre R$ 722,00 e R$ 5.591,66
.”

Nesta tabelinha delícia você pode avaliar a irrelevância de cada vereador de acordo com os projetos apresentados e os promulgados:

transparenciapoa1.jpg

O estoooodo completo você confere no site da Transparência ou diretamente em pdf aqui. Vale também conferir a lista dos campeões em projetos de “batismo de logradouros”, “homenagens”, “datas comemorativas” e outros temas absolutamente relevantes, indispensáveis, sérios, etc.

Boa sorte amanhã na urna.

E lembre: BEBA MUITO E NÃO VOTE CON$CIENTE JAMAIS.

Censo Eleitoral A Nova Corja | Corpo Humano

2:37 | 25/09/08 | Leandro Demori

Espantado com os dados sobre a educação no Braziu, caro(a) leitor(a)? Nós não. Como você já deveria saber, A Nova Corja é três vezes maior (>>>) do que o IBGE. Então vamos ao que interessa: nossos amados póstes do apuradíssimo Censo eleitoral da tenéti brazileira. Hoje, dissecaremos (ahn? ahn?) o corpo humano.

• 10 candidatos se chamam ZÓIO, entre eles, Valmir Zóio de Cobra (PTB-SP), Zóio da Ducha (PSDB-SP), Zóio de Boi (PR-PT) e Edmilson Zóio Verde (PT do B-MT)
• São 6 OREIA. Destaque para Lindomar Oreia Seca (PRTB-CE)
NAZO só tem um, o próprio Nazo (PTB-PA)
• Há 44 BOCA, um festival. Menção honrosa para Professora Neile, a Boca Livre (PDT-RO), Boca Mucha (PP-SP), Boca Quente (PV-MA), Boca Loca (PT do B-RJ), Boca Aberta (PRP-BA), Boca Mole (PMDB-BA), Edvaldo Boca de Tempero (PRTB-PI) e Boca de Pia (PR-BA)
• São 5 GARGANTA
• Há cerca de 16 CORAÇÃO, com apontamentos fatais para Tigrão do Coração (PHS-RJ), Pescador de Coração (PSDC-RR) e Pedrinho Coração de Chocolate (PRP-RJ)

tigrao_coracao.jpg
Tigrão do Coração: fera

• Encontramos 14 candidatos cuja alcunha é MÃO. Você poderá votar em Edigar Mão Branca (PV-BA), Mão de Obra (PP-SP), Roque Corta-mão (DEM-BA), Mão de Ouro (PP-MA) e Marquinhos Mão-de-tesoura (PTC-SP). Alivie-se por não ter nenhum Mão Leve OK?
• A bancada do é ainda mais vasta. São 42 candidatos com todos os apelidos possíveis envolvendo o membro de maior orgulho do Braziu no exterior: Gracinha Pé-pé (PR-RN), Maria Bicho-de-pé (PPS-SP), Marquinho Pé de Boi (DEM-ES), Pé Grande (PMDB-RS), Pé de Cobra (PP-PA) [deus lose - Gênesis, 3, 14] e o mestre de todos, o indecifrável De Du Bate o Pé (PV-SP)
• Temos 8 PERNA, entre eles o misterioso Capivara Perna de Pau (PDT-SP) [sério, leia de novo: CAPIVARA . PERNA . DE . PAU. Isso não faz o menor sentido]

capivara.jpg
Capivara Perna de Pau

• São 3 RIM e nenhum PULMÃO, BILIS ou FÍGADO [CEwwwA prejudicada]
• O único UNHA é o gaúchomelhortudosempre Paulo Unha (PTB-RS)
• Apenas um DENTE segue na disputa. Para decepção geral, Vadão Jegue Dente de Ouro (PMDB-SP) desistiu
• São 4 DEDO, entre eles o Dedo da Padaria [nojo supremo] (PV-PE) e o Chupa Dedo (PRP-SP) [OK, isso está passando dos limites]

chupa_dedo.jpg
O Chupa Dedo. Pela cara, dói

Em respeito a você, caro(a) leitor(a), manteremos alguns órgãos sob segredo de justiça.

Leia mais sobre o estudo científico aqui
> Censo eleitoral A Nova Corja | Super-Heróis
> Censo eleitoral A Nova Corja | conclusões primeiras

Censo eleitoral A Nova Corja | Super-Heróis

16:03 | 19/09/08 | Leandro Demori

Dando continuidade ao nosso serviço de utilidade cívica, postamos mais alguns dados do apuradíssimo Censo eleitoral da tenéti brazileira. Reafirmamos, deste modo, a fé no funcionamento da democracia representativa. Se você não acredita em salvadores da pátria leia djÁ a nossa super seleção.

• O fato de haver apenas um ROBIN não causa decepção, pois nosso amiguinhu reúne TODAS as condições para fazer bonito na câmara de Aracajú - a começar pela roupa

robin.jpg
Robin (PTN-SE): santa democracia, Batman

• Infelizmente não há nenhum BATMAN
• A esperança dus póbri está nas costas de apenas um ROBIN HOOD, Oliveira Robin Hood (PP-RJ)
• Por sorte não temos apenas um, mas dois SUPERMAN: Eduardo Toledo, o Superman (PRTB-AM), e Super-Homem (PRB-AM). Sendo ambos do Amazonas, o governo pode desativar o Sivam. Invasão de cocaleiros? Visão de calor neles. Aviões clandestinos? Super sopro
• São 5 HULK, 3 em SP, um na BA e um no RS [certamente o mais fortemalvadomelhordetodos]. Há também os Hulks versão Braziu: Ruque (PPS-PE) e Zé Ruque, o Incrível (DEM-BA)

ze_ruque.jpg
GRrraurRRrrRrRrrurrRrRrRR

• Da turma dos THUNDERCATS, só o próprio Lion (PRB-RJ) encarou a disputa. Panthro, Cheetara, Wilikit e Wilikat não concorrem. Mumm-ra, “O de vida eterna”, também se acovardou
• A turma do HE-MAN é mais participativaedemocrática: são 4 He-Man (dois em SP e dois em PE). Mas não haverá embate sangrento, já que o Esqueleto fugiu da briga
• Há quase 20 FORMIGA, mas a Formiga Atômica não está entre elas
• Como ninguém foi macho o suficiente para assumir a identidade de WOLVERINE, a tarefa coube à Elaine Alves, a Wolverine (PR-RJ)

wolverine.jpg
Vem ni mim, Magneto

• Da turma do SCOOBY DOO há só 2 Scooby (SP e PA)

Censo eleitoral A Nova Corja

10:16 | 18/09/08 | Leandro Demori

Munida do mais puro sentimento de cidadania, esta Corja inicia hoje a publicação do Censo eleitoral da tenéti brazileira. Nossos poderosos servidores varrem todos os centímetros da rede do país ali de cima, o Braziu varoniu, mas também incluímos os territórios bovinóides. Porque a gente A-DO-RA a democracia representativa.

• 9 candidatos se chamam MACACO, entre eles, Tão Macaco (DEM-PE).
• 4 candidatos são FRUTA, com destaque para Negão da Fruta (PMDB-BA)
• Só tem um POBRE no Braziu, o Pobre Coitado (PSC-BA)

pobre_coitado1.jpg
Pobre Coitado

• Já RICO são 27. Pelo site do TSE, entretanto, Rico (PTB-PE) é pobre
• São 3 TORTO. Destaque para João do Facão Torto (PRP-BA)
RETO não tem nenhum
• Não há nenhum HONESTO. Em compensação, não há nenhum LADRÃO
• São 39 CABEÇÃO e 3 BURRO, contando com Cara de Burro (PSB-BA)

cara_burro1.jpg
Cara de Burro

• Há 5 MOLE, com destaque para Boca Mole (PMDB-BA) e Nem Mole (PPS-BA)
• São 5 DURO, com menção honrosa a vários: Juarez Cebo Duro (PMDB-CE), Francisca do Barro Duro (PMDB-MA) e [pega ar. pegou?] Wilson de Pao Duro (DEM-BA)
• Pra quem gosta de MACHO [horror] só há duas opções: Omar Farias “Macho” (PV-AM) e simplesmente Macho (PT-PA)
• A ala GAY está mal resolvida, só tem um, João Gay (PTB-BA)
• Por sorte, o Braziu comprova mais uma vez sua tradição bundalelê e faz bonito no quesito MULHER. São 15, para todos os gostos. Você pode ir de Mulher de Branco (PTN-AM), Mulher da Moto-Propaganda (PMN-MS), Bebê Mulher (PR-RN), Nena, a Mulher do Picolé (PT-CE), ou simplesmente Cláudia, A Mulher (PT-BA)

nena_picole1.jpg
Nena, a Mulher do Picolé

Conclusões preliminares
1) PMDB é igual a faculdade de jornalismo. Não sabe o que fazer da vida, faz jornalismo. Não sabe em que partido entrar, vai pro PMDB.
2) A Nova Corja está se mudando para a Bahia neste momento. Adeo$, Bovinão.