Tag ‘Yeda Crusius’

Tem hora para tudo

8:49 | 06/08/09 | Rodrigo Alvares

O timing para o último post do A Nova Corja não poderia ser melhor. Se alguém ainda duvidava do que alertamos aqui desde 2006, é melhor levar em consideração o que os procuradores do Ministério Público Federal aturaram em uma ação de 1,2 mil páginas, feita com base em cerca de 20 mil ligações telefônicas.

A farsa do desgoverno Yeda Crusius está escancarada. Espero que no meio dessa investigação esteja o documento que fez o governo do Estado entrar com uma medida cautelar covarde contra este blog. Yeda e seus amigos apenas vão colher o que plantaram nos últimos anos.

Ah, sim: não sobrou apenas para a desgovernada. O MPF também indiciou Carlos Crusius, os deputados José Otávio Germano, Luiz Fernando Záchia, Frederico Antunes, o ex-secretário Delson Martini, a assessora Walna Vilarins Meneses, o diretor do Banrisul Rubens Bordini e do presidente do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul, João Luiz Vargas. Todos muito assíduos por aqui nos últimos tempos.

Apesar das várias aporrinhações pelas quais passamos, os melhores momentos destes cinco anos vão perseverar.

Agora, enquanto a desgovernadora está awol, é preciso manter a consciência e saber que ela é apenas a ponta dos problemas. Não sei como vai manter sua mansão com as contas bloqueadas, mas isso não é mais problema meu. Por conta de compromissos profissionais, não posso mais manter atualizações como gostaria, e prefiro fechar o blog a fazer um trabalho meia boca.

Espero que o A Nova Corja permaneça como registro da demência que assola não só o governo Yeda, mas a política gaúcha e brasileira. As eleições do ano que vem serão as mais importantes desde 1989, e boa parte da bandalha praticada por eles ultimamente está nos arquivos do blog.

ABRA$$O

E a agenda de amanhã?

22:49 | 05/08/09 | Rodrigo Alvares

Governo emite nota oficial sobre anúncio
de procuradores do Ministério Público (Palácio Piratini)

Em nota oficial emitida nesta quarta-feira (5) à noite, o governo do Estado afirma que o anúncio feito por procuradores do Ministério Público, em entrevista coletiva, do ajuizamento de ação de improbidade administrativa contra vários agentes públicos, deixou estarrecidos todos quantos defendam o estado democrático de direito, que é fundamentado em liberdades, direitos e deveres pelos quais as instituições republicanas devem zelar.

O texto prossegue chamando atenção para o fato de que as pessoas citadas publicamente pelo Ministério Público sequer conhecem a ação a que terão de se defender. No referido anúncio - conforme diz a nota -, são chamados precipitadamente de réus a governadora do Estado, assim como outros cidadãos brasileiros, sem que qualquer ação penal tenha sido ajuizada.

E mais: no entendimento do Supremo Tribunal Federal nem caberia ajuizamento da ação de improbidade administrativa à governadora, agente político que é. Certamente, os membros do Ministério Público Federal não desconhecem esse entendimento e, portanto, excederam-se ao ajuizar uma ação visivelmente inadequada“.

No entendimento do governo do Estado, é inacreditável que cidadãos agentes públicos possam ser atacados por outros agentes públicos sem serem notificados dos fatos que lhe são imputados.

Em nome de todo o governo, Yeda Crusius reafirma que apoia toda e qualquer investigação que siga o rito processual do direito brasileiro. Reitera também sua plena confiança na Justiça e que acompanha com serenidade os acontecimentos. E afirma ainda que aguarda o momento para mostrar a inteira correção dos atos praticados, lamentando o episódio patrocinado por membros do Ministério Público. ‘A recuperação administrativa e financeira do Rio Grande do Sul é a prova da seriedade, honestidade e probidade com que o Estado é gerido’, destaca.”

Cada vez mais embaçada essa história

12:35 | 30/07/09 | Rodrigo Alvares

“Eu tenho muita vontade de chegar na governadora, olhar nos olhos dela e falar, o Marcelo não está aqui com a gente pelo simples fato de não ter aceito mudar de lado. Isto é uma coisa que me conforta e conforta a minha família. A maior virtude de um homem é o seu caráter, é sua honestidade, é o cara ser íntegro. Infelizmente, o Marcelo foi covardemente apunhalado. São coisas da política suja, da política baixa

“Eu queria desejar força para a governadora e falar que o Marcelo confidenciava para vários amigos dele que ele iria se candidatar a deputado federal pelo PSDB nas próximas eleições e também falar que todos os seus amigos, todos os seus parentes sabem que o Marcelo não se suicidou. Brasília inteira sabe que Marcelo não se suicidou

Marcos Cavalcante no programa Bom Dia (Rádio Guaíba), apresentado por Rogério Mendelski - 29/07

Mais tarde, no Jornal da Record:

Voltaire Porto – O Vice-governador em algum momento foi comentado pelo Marcelo Cavalcante, você tem alguma informação do Paulo Feijó?

Marcos Cavalcante – Paulo Feijó é um cara que surgiu desde o começo do governo com a governadora Yeda e isso também faz com que a gente possa pensar que ele está envolvido também. O Lair e a Magda a gente viu umas contradições das coisas que aconteceram da visita que ele fez no dia. A gente não sabe se ele esteve aqui no dia ou se esteve antes e ele voltou na quarta feira no dia que o Marcelo foi enterrado. E ai a gente tem que investigar isso ai.

Certo que não vai dar em nada

11:16 | 29/07/09 | Rodrigo Alvares

Depoimento de Buchmann deve abrir
nova investigação (Correio do Povo)

Foto: Cristiano Estrela/CP
02cpers9.jpg
Demorô

A Polícia Federal (PF) prepara estratégia para deflagrar o que pode ser denominada a Operação Rodin II. Hoje, o superintendente da Polícia Federal Ildo Gasparetto se reúne, em Santa Maria, com o delegado Gustavo Schneider, que conduziu a investigação da fraude do Detran. Denunciada em 2007, a fraude teria desviado R$ 44 milhões da autarquia, gerando uma CPI na Assembleia e que originou a Operação Rodin na PF.

Foi Schneider também quem tomou o depoimento de quase cinco horas do ex-diretor do Detran Sérgio Buchmann dois dias antes de ele ser demitido pela governadora Yeda Crusius. Buchmann teria feito declarações explosivas sobre a relação de empresas, em especial com a Atento Service, que prestava serviço de guincho para o Detran.

A empresa cobra uma suposta dívida de R$ 16 milhões, reconhecida pelo governo, que teria autorizado o pagamento à época da ex-presidente do Detran Estella Maris Simon, exonerada por se negar a pagá-la.

Gasparetto decidiu ir a Santa Maria após ler o conteúdo do depoimento de Buchmann, degravado de fitas de áudio e vídeo. No município, pretende decidir o destino das revelações do ex-presidente do Detran, também exonerado por supostamente não reconhecer a dívida com a Atento. Gasparetto poderá anexar o conteúdo do depoimento a inquéritos já existentes ou abrir nova operação investigatória.”

Vou cobrar royalties do PSOL

17:28 | 27/07/09 | Rodrigo Alvares

“NOTA OFICIAL: PSOL questiona paradeiro da governadora Yeda

O (des)governo gaúcho

O PSOL - Partido Socialismo e Liberdade do Rio Grande do Sul - repudia o sumiço injustificável da governadora Yeda Crusius, que se encontra em lugar incerto e não-sabido, sem que tenha passado o cargo ao vice-governador, Paulo Feijó, como determina a Constituição.

Ainda com as férias do presidente da Assembleia Legislativa, o Executivo gaúcho está acéfalo. O PSOL entende que o povo gaúcho não merece tamanho abandono e questiona o paradeiro da governadora.

Roberto Robaina

Presidente do PSOL/RS

Pedro Ruas

Secretário de Relações Institucionais do PSOL/RS

Discordo. O povo gaúcho merece muito mais demência. O potencial é quase ilimitado.

Update 17h40

Yeda está no Palácio Piratini (André Machado/ZH)

A governadora Yeda Crusius está despachando neste momento no Palácio Piratini. A agenda também não é confirmada pela assessoria, mas envolveria a conversa com secretários. O destino, por enquanto não é o Palácio das Hortênsias.

A informação pode ser que acalme o ânimo do PSOL que protestou pelo fato da governadora Yeda Crusius não ter transmitido o cargo ao vice-governador Paulo Feijó nestes dias em que está fora do Palácio Piratini.”

Por que não Germano Rigotto?

15:56 | 27/07/09 | Rodrigo Alvares

O senador Pedro Simon (PMDB/RS) perdeu uma ótima chance de fazer novamente o próximo desgovernador do Bovinão nesta entrevista concedida ao jornal Zero Hora. Germano Rigotto está por aí dando mole e traria mais, digamos, doçura no trato do governo com a população.

rigorrto5.jpg
“Venha comigo se quiser sobreviver, Yeda. Vai ficar tudo bem”

Zero Hora – Há a expectativa de que a governadora Yeda Crusius negocie com o PMDB a saída do titular da Habitação, Marco Alba. Qual é a sua posição?

Pedro Simon – Não sei de nada. Teremos candidato próprio ao governo do Estado. Então, mais cedo ou mais tarde iremos nos afastar do governo. O interessante é a governadora compor o governo com gente ligada a ela e que fique até o final da gestão.

ZH – Como Yeda planeja uma reforma no secretariado, é o momento de Alba sair?

Simon – Esse é um problema dela. Se Alba sair, defendo a tese de que não devemos indicar substituto. Devemos sair e pronto. Todos os integrantes do PMDB que ela quiser tirar, está no direito de tirar. Ela sabe que nós queremos sair numa boa. Somos contrários a complicar e dificultar o governo. Seremos um aliado permanente em favor da governadora para que governe bem o Rio Grande.

ZH – O PMDB pretende conduzir essa substituição?

Simon – Não. Preferimos não indicar substituto.”

Quem melhor do que Germano Rigotto para entrar nesse governo e deixar a desgovernadora ainda mais refém do PMDB para as eleições - tática também vista no Senado. José Serra (PSDB/SP) não se fez de bobo e nomeou Geraldo Alckmin secretário estadual de Desenvolvimento, por exemplo.

Mas o Chuchu lidera as pesquisas para o governo bandeirante - o que não quer dizer nada, eu sei -, ao contrário de Yeda e Rigotto. Coloquem o ex-governador na vaga de Alba ou até de secretário da Casa Civil que todos os problemas e miguelices produzidas no Palácio Piratini desaparecerão.

Afinal, eles nunca existiram no governo do Guri Chorão.

Fui dar uma volta para catar a piedade alheia

12:12 | 24/07/09 | Rodrigo Alvares

Foto: Cris Castello Branco / Governo do Estado de SP
6728906.jpg
Vocês também avisam os nóia da Crackolândia antes de serem presos?”

Imprensa gaúcha tem um Watergate nas mãos

11:43 | 23/07/09 | Rodrigo Alvares

A história é conhecida e chega a ser um fetiche para os jornalistas, mas quem fizer um paralelo dela com o desgoverno Yeda Crusius (PSDB/RS) vai perceber que a única diferença é que os pilantras de Richard Nixon foram julgados e condenados em dois anos.

nixonfist.jpg

“Henry Kissinger es-tá mor-to, OK? Acabou a coletiva”

As semelhanças são tantas que até os destemperos de Yeda contra seus ex-aliados, a oposição e a Mídia Má encontram-se com as reclamações que Nixon fez quando era presidente, mas tentou remendar em sua autobiografia, “Na arena”, recomendado para a desgovernadora ler enquanto está de férias.

Abaixo, um trecho do mea culpa do ex-presidente americano com a imprensa:

“Sou o primeiro a reconhecer que os políticos poderiam melhorar suas relações com a imprensa. Acima de tudo, eles deveriam tratar os profissionais da mídia com respeito. Eles têm uma tarefa a cumprir. Você deve tratá-los com respeito. Eles têm uma tarefa a cumprir. Você deve ajudá-los a fazer seu trabalho, desde que eles não lhe preguem nenhuma peça

Se até Nixon admitiu isso, não custa muito Yeda revisar tudo e impedir episódios constrangedores como estes, publicados na Zero Hora de hoje:

“Segundo um secretário com acesso à governadora, Lied estava constrangido e quase chorou ao se reunir com Yeda na segunda-feira. (…)

Não consigo compreender por que saiu só Buchmann. Todos os envolvidos no episódio deviam ter sido afastados juntos. Por que esperar? O nosso governo é muito lerdo‘, desabafou um homem de confiança de Yeda. (…)

‘Não foi apenas uma pessoa que criou confusão. Por que pinçar um envolvido (Buchmann), justamente o que está em conflito com o Palácio, e tirá-lo do governo‘, afirmou um dirigente do PMDB.”

Richard Nixon se ferrou por causa da trupe do Monthy Python que o cercava. Yeda Crusius mal consegue controlar seus Três Patetas.

Cuidado, demência farroupilha adiante

18:54 | 22/07/09 | Rodrigo Alvares

Apesar de constar na agenda, a desgovernadora Yeda Crusius (PSDB/RS) deu bolo no acendimento da Chama Crioula. Os brigadianos deviam estar em poucos números para ela não comparecer e ouvir esta coisa linda.

Avante, não retrocedam
Porque a luta tem suas manhas
E só quem tem ideais
Pode contar suas façanhas

E só quem tem ideais
Pode contar suas façanhas

Depois da ponte da Azenha
O grito de liberdade
A República Rio-Grandense
Era uma realidade

Piratini, capital
Dos sonhos, da igualdade
E tremula, tricolor
Com sonhos de humanidade

Avante, não retrocedam
Porque a luta tem suas manhas
E só quem tem ideais
Pode contar suas façanhas

Depois da prisão em Fanfa
Levado ao Rio e à Bahia
Bento fugiu pelo mar
Com ajuda da confraria

Barco vermelho em Rio Pardo
Estratégia e valentia
E os acordes da vitória
O nosso hino nascia

Avante, não retrocedam
Porque a luta tem suas manhas
E só quem tem ideais
Pode contar suas façanhas

A epopéia dos manchões
Que Garibaldi empreendeu
Com dois e coragem
O adverso venceu

Na invasão de Laguna
Anita ele conheceu
E desta união de ideais
Um mundo nunca esqueceu

Na carta de Alegrete
De ideias, houve guerra
Mas também ficou provado
que quem acerta não erra

Na paz de Ponche verde
A revolução se encerra
Mas escreveram façanhas
Molduras para toda a terra

Para proteger o laquê, use 200 brigadianos

12:33 | 22/07/09 | Rodrigo Alvares

Brigada montou megaoperação para
proteger Yeda (Correio do Povo)

Menos de uma semana após o protesto em frente à casa da governadora Yeda Crusius, a Brigada Militar montou uma megaoperação no Centro da Capital para evitar possíveis manifestações de sindicalistas. Duas horas antes da chegada de Yeda, que havia confirmado presença em uma solenidade na Universidade Estadual do RS, 200 policiais fizeram um cordão de isolamento para garantir sua proteção.

Foto: Paulo Nunes
02brigad.jpg
“É uma escola de lata aí dentro, magrão?

Pessoas que passavam pelas imediações da Farrapos, Barros Cassal e Alberto Bins foram abordadas pela polícia. ‘Todas as pessoas que estivessem com algum volume saliente, como mochilas ou pacotes, foram revistadas’, admitiu o comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Leonel da Rocha Andrade.

A corporação atuou juntamente com dois pelotões do Batalhão de Operações Especiais (Boe), agentes do 11º BPM e da 4ª Companhia do 9º BPM. ‘Essa mobilização é para evitar incidentes que venham a denegrir ou muitas vezes tumultuar a comunidade’, completou Andrade.

O forte aparato de segurança chamou a atenção dos moradores, acostumados com o reduzido número de efetivo na área. O subcomandante-geral da BM, coronel Lauro Binsfeld, negou falta de policiamento e enfatizou que a segurança de Yeda será reforçada.

‘Temos que dar um basta ao movimentos radicais. A Brigada Militar não irá mais tolerar ações de falta de respeito‘, apontou Binsfeld, em referência ao ato do Cpers, na semana passada. O subcomandante afirmou que, a partir de agora, a mesma operação será repetida em todos os atos de governo.”

Melhor questionar de quem vem a falta de respeito no Rio Grande do Sul. Ainda bem que Yeda vai tirar uma semana de férias enquanto os prefeitos imploram ajuda em relação à gripe suína e assim evitar aglomerações no ambiente hermeticamente fechado que é o seu gabinete.

Traficantes são alertados no governo Yeda

8:17 | 22/07/09 | Rodrigo Alvares

O Chefe de Gabinete da governadora, um delegado do Denarc e o Superintendente de Serviços Penitenciários foram até a casa do presidente do Detran para avisar que seu filho, um traficante que tinha em casa 23 quilos de maconha e meio quilo de cocaína, seria preso minutos depois.

Sérgio Buchmann, pai do meliante, se recusa a ligar. Segundo o próprio chefe de gabinete da desgovernadora Yeda Crusius (PSDB/RS), a operação estava em andamento quando eles o procuraram. Ontem, Ricardo Lied disse que agiu de boa fé. Mas Buchmann, em reunião com o chefe da Casa Civil alguns dias antes, havia pedido demissão do cargo.

“Ele foi pedir demissão. Qual é o motivo de alguém estar pressionando ele?“, defende-se Lied. Dotado de uma incrível amnésia, o chefe de gabinete da desgovernadora se esqueceu que não apenas quem já caiu fora do barco como quem está dentro sabe demais sobre o que acontece no Palácio Piratini.

Pelo pouco que Buchmann tem dito nos últimos dias, Lied agiu bem. Pena que a Assembleia Legislativa está em eterno recesso, pois esse seria um bom fato novo que os deputados procuram para assinar o requerimento da CPI da Transtornada.

Yeda Crusius conversou com seu chefe de gabinete sobre o caso. Para ela, o aviso sobre a prisão do filho de Buchmann não teve conotação política.

Claro que não. Em um governo que praticou o maior estelionato eleitoral da História do Bovinão e nem esperou tomar posse para deixar isso claro, vive às rondas com escândalos quase semanais e usa seus netos para passar de vítima, nada mais normal do que um chefe de gabinete ir acompanhado de dois policiais ao apartamento do presidente demissionário da maior fonte de problemas de sua chefe.

Não é conspiração. São apenas três membros do governo que queriam avisar um traficante de que ele iria preso.

É uma farra governar o Bovinão

23:40 | 21/07/09 | Rodrigo Alvares

Agenda da governadora Yeda Crusius
para 22 de julho, quarta-feira

Porto Alegre

12 horas - Lançamento estadual do acendimento da Chama Crioula 2009 - Festejos Farroupilhas.

Local: Palácio Piratini.”

As trampas são intermináveis no Detran

13:03 | 21/07/09 | Rodrigo Alvares

Não tem um dia em que o arrimo das trampas do desgoverno Yeda Crusius (PSDB/RS) - também conhecido como Detran - apareça envolvido em notícias pouco abonadoras. Para não dizer escabrosas:

Lied diz que agiu de boa-fé (Zero Hora)

Foi de boa-fé que o chefe de gabinete da governadora Yeda Crusius, Ricardo Lied, disse ontem ter visitado, na terça-feira, o presidente do Detran, Sérgio Buchmann.

Na ocasião, Lied afirmou ter pedido a Buchmann colaboração para a prisão de Fábio, seu filho de 26 anos, por tráfico de drogas, a fim de que fosse evitado um “final trágico”. Buchmann negou-se a atender ao apelo, e a detenção ocorreu horas depois.

Lied prestou depoimento por 40 minutos à Corregedoria-Geral da Polícia Civil (Cogepol) na noite de domingo. Relatou que estava em seu apartamento na noite de terça-feira quando recebeu uma ligação do delegado Luis Fernando Martins Oliveira, do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc). O policial lhe disse que precisava conversar e pediu para ir até sua residência.

Chegando ao local por volta das 22h, Oliveira relatou a existência de uma denúncia anônima contra o filho de Buchmann. Na versão do chefe de gabinete, como os policiais desconfiavam de que o jovem poderia estar armado e reagir, lhe pediram auxílio para fazer contato com Buchmann e, por intermédio dele, “franquear” o acesso à casa do jovem.

Como não sabia o número do celular do presidente do Detran, Lied ligou para uma secretária a fim de obter a informação. Relatou que, ao chegar ao prédio de Buchmann, o presidente do Detran o recebeu junto ao portão e convidou-o a entrar.

Preferindo permanecer junto à entrada, o assessor perguntou a Buchmann se ele tinha um filho que morava na Cidade Baixa. O presidente do Detran reagiu de forma ríspida, dizendo não ter contato com o jovem havia mais de 20 anos. (…)

Na quarta-feira, Buchmann havia apresentado a Zero Hora uma versão diferente. Segundo ele, os visitantes teriam lhe pedido que telefonasse para o filho a fim de avisá-lo da prisão iminente.

O presidente do Detran entendeu que, se intervisse, Fábio poderia se livrar das drogas em seu poder e, com isso, ele próprio estaria usando seu cargo para frustrar o trabalho da polícia.

Buchmann temia estar sendo empurrado para uma armadilha por Lied e pelos policiais. Fábio é filho de seu primeiro casamento e mantém com o pai uma relação distante.

Na quinta-feira, o chefe de Polícia, João Paulo Martins, havia dito a Zero Hora que os policiais tinham se dirigido ao apartamento de Buchmann na suposição de que Fábio vivesse no local com o pai. Ele declarou não ter conhecimento da presença de Lied.

O chefe de gabinete rejeitou ontem a tese de cilada apresentada por Buchmann e lembrou que a operação estava em andamento quando eles procuraram o presidente do Detran.

Lied também rebateu uma insinuação de Buchmann feita em entrevista ao programa Atualidade, da Rádio Gaúcha, na manhã de ontem. O presidente do Detran afirmou que o assessor demonstrou medo de ser gravado por câmeras de vigilância em frente ao seu prédio.

Segundo Lied, ele estava apenas preocupado em não importunar os vizinhos mais próximos da entrada do edifício.”

Tá. Arrã. Deve ter sido por isso que Lied disse há pouco na Rádio Gaúcha que conversou com Yeda Crusius sobre o caso. E afirmou que ela teve a mesma interpretação que a sua: o aviso sobre a prisão do filho de Buchmann não teve conotação política.

Começa oficialmente a ladainha eleitoral

8:40 | 20/07/09 | Rodrigo Alvares

Justiça cega. (Painel/ FSP para assinantes)

precand.jpg
“Estamos muito unidos. Ei, de quem é essa faca nas minhas costas?”

Nem bem o PT proclamou o lançamento da pré-candidatura de Tarso Genro ao governo do Rio Grande do Sul, os presidentes dos principais partidos de oposição a Lula passaram a fazer campanha por sua demissão imediata do Ministério da Justiça.

‘O ministro da Justiça do país tem de estar afastado da conjuntura eleitoral’, diz o senador Sérgio Guerra (PSDB). Para o presidente do DEM, Rodrigo Maia (RJ), a permanência de Tarso se torna insustentável, uma vez que a Polícia Federal atua na investigação das denúncias de corrupção no governo Yeda Crusius (PSDB). ‘Há incompatibilidade clara. Se a PF já atuava com viés político, imagine agora’, diz o deputado.

Não saio. Confrontado com o questionamento, Tarso diz que, se houvesse impedimento de pré-candidatos atuarem no Executivo, a própria Yeda teria de deixar o governo. ‘Minhas funções de ministro não se confundem com atuação política.’

É uma loucura governar o Bovinão

19:14 | 19/07/09 | Rodrigo Alvares

Agenda da governadora Yeda Crusius
para segunda-feira, 20 de julho

Porto Alegre

9h30min - Reunião Grupo de Comunicação.

Local: Palácio Piratini

15h30min -Solenidade de Assinatura do Certificado de Fornecedor do Estado nº 10 mil, à empresa Dotcom Soluções em Informática Ltda.

Local: Palácio Piratini